Crítica | Resurrection 1X01: Pilot

estrelas 4

Existe uma série de perguntas que pairam no universo desde que nos entendemos por gente e que independe de religião ou crença. De onde viemos? Para onde vamos? Existe vida após a morte? Quem nunca se pegou pensando em tais questões filosóficas?

A verdade é que independente de qual religião você possua, ou mesmo que não tenha nenhuma, é bem difícil lidar com a morte, seja de um ente querido, um animal de estimação ou apenas alguém próximo a você. Parece não haver palavras ou resposta o suficiente que preencha a dor da perda. Mas, e se essas pessoas que já faleceram há algum tempo voltassem à vida? Não, não falo de zumbis, mas sim de pessoas normais, que voltariam com a mesma aparência de quando morreram. Com base nessa idéia estréia a série Resurrection, no canal a cabo AXN.

A cidade de Arcadia em Missouri não será mais a mesma quando antigos habitantes, mortos há alguns anos, voltam à vida e retornam a cidade para reencontrar com seus familiares. A começar por Jacob (Landon Gimenez) um menino de 8 anos que os pais afirmam ter falecido há 32 anos. No meio de tudo isso tem o oficial da imigração Martin Bellamy (Omar Epps) que quer entender a todo custo o que está acontecendo e que irá contar com a ajuda da médica Maggie (Devin Kelley), prima de Jacob e que descobre haver mais nessa história toda do que seu pai que é o Xerife lhe contou. Mas, Jacob não será o único a retornar e aos poucos os cidadãos de Arcadia terão que enfrentar uma nova realidade o que irá questionar suas crenças e convicções.

Apesar de ter outro seriado europeu com a mesma premissa, essa não é a versão americana dele, pois ainda que possua o mesmo tema, ambos foram baseados em mídias diferentes. Com produção executiva de Brad Pitt, Resurrection é baseado no livro de Jason Mott, The Returned, o qual ele teve a ideia de escrever após ter tido um sonho com sua falecida mãe. O seriado, no entanto, seguirá uma linha diferente do livro.

Mesmo tendo uma trama um tanto religiosa/espírita, o episódio não chega a abordar diretamente tais questões, preferindo focar mais nas reações e perguntas geradas pela situação em si. Fica claro que Jacob voltou com um propósito, mas qual seria, é um mistério. Com um elenco cheio de rostos conhecidos como Omar Epps, Kurtwood Smith, Frances Fisher, entre outros, fica bem fácil de conectar-se a história, pois sabemos que o quesito atuação não deixará a desejar. Mesmo os novatos como Devin Kelley e o menino Landon Gimenez, trabalham muito bem, ele principalmente, com todo seu ar inocente, mas que no fundo está guardando algum segredo. Mesmo que o tema já tenha sido explorado, o seriado ganha o espectador no ritmo em que conduz sua história, nos prendendo até o último minuto e deixando aquele gostinho de “quero mais”, o que cá entre nós, deveria ser sempre assim. Ao nos fazer focar em um determinado núcleo, ele nos distrai para inserir aos poucos elementos surpresa que vão ampliar ainda mais a trama e nos deixar bem curiosos.

Resurrection será uma minissérie em oito episódios que promete fazer sucesso de público e crítica. A única preocupação em relação a seriados com essa temática é o medo de que ele apele para explicações estapafúrdias apenas para suprir a necessidade de respostas o que nem sempre é a melhor solução.

A série vai ao ar toda Quinta-Feira às 22h no canal a cabo AXN.

Resurrection – 1×01: Pilot (EUA – 2014)
Showrunner
: Joann Alfano, John Liebman, Dede Gardner, Jeremy Kleiner, Charles McDougall, Aaron Zelman, Brad Pitt
Roteiro: Aaron Zelman
Direção: Charles McDougall
Elenco: Frances Fisher, Omar Epps, Matt Craven, Nicholas Gonzales, Samaire Armstrong, Landon Gimenez, Mark Hildreth, Kurtwood Smith, Tamlyn Tomita, Devin Kelley
Duração: 43 min.

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.