Crítica | Samurai Jack – 5X08: XCIX

samurai-jack-xcix-plano-critico

estrelas 4

  • Contém spoilers. Leiam, aqui, as críticas das demais temporadas.

Essa quinta temporada de Samurai Jack realmente foi uma jornada frenética. Desde o primeiro episódio, todos tem dado continuidade à história, abandonando a estrutura procedural de outrora, com pouquíssimas elipses sendo introduzidas pontualmente. À beira do finale desse ano e, possivelmente, do seriado como um todo, Genndy Tartakovsky opta por deixar seus personagens e, consequentemente, os espectadores respirarem um pouco, através de um capítulo focado na relação entre Ashi e Jack. Em razão dos dramáticos acontecimentos passados, contudo, sentimos como se esse fosse um banho de água fria na temporada, ainda que seja um bom episódio.

Depois de resgatar sua espada e passar por um “extreme makeover”, Jack inicia sua jornada em direção a Aku, ao lado, é claro, de Ashi, que, enfim, vencera seu passado em XCVIII. De início já podemos sentir uma tensão entre os dois, que claramente se sentem atraídos um pelo o outro, mas ambos relutam em exprimir o que sentem, criando situações constrangedoras que expõem o humor característico da série. Ao serem forçados a abandonar o apertado meio de transporte o qual utilizavam, eles acabam se deparando com uma nave caída, cujo formato é uma clara referência a 2001: Uma Odisseia no Espaço. O que não esperavam é que, lá dentro, eles encontrariam um ser alienígena aterrador, que se estabelece como um grande desafio para os dois guerreiros.

Logo nos primeiros minutos já podemos prever que XCIX seria um capítulo mais à parte do restante da narrativa da temporada. O roteiro de Tartakovsky se apoia em situações cômicas, descontraídas, ao mesmo tempo que se aprofunda na relação entre o samurai e a ex-filha de Aku. O problema é que isso poderia ter sido facilmente trabalhado em conjunto com uma trama menos desconexa com o restante desse quinto ano. Ao invés disso, vimos algo que, por pouco, não se configura como um puro filler e mesmo o desfecho do capítulo não vem como um grande acontecimento, já que o beijo de Ashi e Jack era algo totalmente previsível desde a sequência no ônibus.

Mas, assim como qualquer arte, Samurai Jack não é somente sobre o seu fim e sim o caminho percorrido até lá e não podemos deixar de apreciar o que foi mostrado aqui. Fugindo dos tons escuros que marcaram grande parte da temporada, a arte segue por um caminho preenchido por cores mais vivas, ao ponto que vemos aqui tons claros que não vimos em nenhum dos outros sete episódios. Claro que o interior da nave assume um especto mais sombrio, novamente utilizando o verde para simbolizar a morte. Mas, mesmo assim, sentimos como se a atmosfera não estivesse tão pesada quanto em XCVII, por exemplo. Isso, naturalmente, se dá em razão do texto que insere mais piadas ao longo da narrativa.

Além disso, é preciso indagar sobre o impacto desse romance com Ashi no presente e futuro do personagem. Desde o início da série, Jack somente se demonstrara interessado por uma mulher, que, na verdade, era Aku disfarçado. Durante seu extenso treinamento, sempre fugindo das forças do mal, ele basicamente pulara sua adolescência direto para a fase adulta, da mesma forma que sua contraparte feminina. Tartakovsky, portanto, acerta em demonstrar a hesitação dos dois, que jamais percorreram esse caminho antes. Já em relação ao futuro do samurai, não podemos deixar de nos perguntar qual será o lugar de Ashi nos planos do herói: ela voltará com ele para o passado? Afinal, ele não pode simplesmente abandonar sua missão, por mais que tenha se livrado de seus demônios interiores. Se o caso for esse, é possível que tenhamos um final cíclico, com o pai passando a espada adiante para o filho, mas precisaremos aguardar para descobrir a resposta dessa questão.

XCIX fica um pouco abaixo da média (perfeita) estabelecida pelos outros capítulos dessa quinta temporada, mas isso não quer dizer que não seja mais uma prova de que Samurai Jack é uma verdadeira obra de arte. Como a calmaria que precede a tempestade, temos aqui um capítulo que nos permite respirar antes de mergulharmos profundamente nos episódios finais desse ano. Resta torcer para que o desfecho seja digno de tudo o que veio antes dele.

Samurai Jack – 5X08: XCIX — EUA, 06 de maio de 2017
Direção:
 Genndy Tartakovsky
Roteiro: Genndy Tartakovsky
Elenco: Phil LaMarr, Tara Strong,  Billy West
Duração: 22 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.