Crítica | Samurai Jack – 5X09: C

estrelas 5,0
Contém spoilers. Leiam, aqui, as críticas das demais temporadas.

Resta apenas um episódio de Samurai Jack, o final definitivo da série (ao menos até segunda ordem) e, depois de um momento “felizes para sempre” em XCIX, Bryan Andrews e Genndy Tartakovsky pulam logo para a tragédia que tanto marcou a vida de Jack. Esse nono capítulo da quinta temporada do desenho, enfim, coloca o samurai frente a frente com seu arqui-inimigo, concretizando algo que já esperávamos: Aku utilizaria Ashi para derrotar o herói, tornando o capítulo anterior, aparentemente filler, em uma peça importante para a progressão narrativa da temporada.

Começamos o episódio imediatamente no ponto que fomos deixados na semana anterior e Jack precisa lidar com o fato de, pela primeira vez em sua vida, ter beijado uma mulher, deixando se apaixonar. Logo cedo o roteiro de Tartakovsky e Andrews deixam claro o perigo disso, através de uma visão do passado de Jack e como todo o que ama pode ser levado embora em uma questão de instantes. Enquanto isso, Scaramouch conclui sua longa jornada até o lar de Aku, onde diz para o vilão que Jack perdera sua espada, tirando-o de seu mal-estar, que tomara conta do demônio. Os dois lados desse conflito, então, vão de encontro um ao outro, prenunciando uma batalha final.

Aku utilizar Ashi para combater Jack não é nenhuma surpresa, mas, mesmo assim, o roteiro de C consegue construir a agonia constante no espectador, com a mulher querendo, à todo custo, se libertar, chegando a pedir para que Jack a mate. Entra aqui toda a construção da temporada até esse momento: sabemos que se Jack, de fato, a matar, ele jamais se perdoaria e a questão vai muito além do herói perder sua amada, o que está em jogo é o seu próprio espírito. A transformação de Ashi em um ser que se parece com Aku é como o golpe final e atinge tanto o protagonista quanto a nós, espectadores, em cheio, visto que tivemos todo esse tempo para nos aproximar da personagem e, agora, aparentemente, a perdemos.

Andrews e Tartakovsky nos entregam um dos melhores duelos do desenho até aqui, rivalizando com a sequência de ação de XCIV, que nos mostrara o combate de Jack com as filhas de Aku. A força dramática de C, porém, é muito maior, já que não é apenas a vida de Jack e Ashi em jogo, como toda a jornada do samurai até esse ponto: ser derrotado agora seria perder tudo novamente e, à beira do finale, isso ganha um significado ainda maior. Além disso, Jack perderia o pouco que lhe resta e o primeiro amor que sentira em toda a sua vida por alguém fora de sua família.

Nesses curtos vinte e cinco minutos somos lembrados de toda a vilania de Aku e como ele se configura como uma perfeita antítese do protagonista, representando tudo o que há de verdadeiramente mal nesse mundo. Evidente que isso apenas garante uma maior sensação de urgência em relação ao desfecho da série, tornando a ameaça desse demônio como algo que realmente deve ser extinguida (para aqueles que esqueceram depois desse longo tempo). O impactante final, que utiliza uma arte similar à velha abertura do desenho evidencia o quanto essa resignação de Jack significa, com o samurai não tendo mais como agir.

Claro que, nesse ponto, devemos nos lembrar do Escocês e de todos aqueles que o guerreiro ajudara ao longo da série e, possivelmente, veremos todos juntos, no próximo capítulo, ajudando o guerreiro, nos presenteando, enfim, com a batalha final contra Aku. A única preocupação é como isso irá acontecer em breves vinte e cinco minutos, afinal, Jack precisa, também, retornar ao passado e acabar com o demônio em seu próprio tempo. Mas cabe a nós apenas esperar, o que importa é que esse penúltimo episódio mais que construiu o drama necessário para a batalha final.

C, portanto, é mais um emblemático capítulo de Samurai Jack, que demonstra claramente o quão bem planejada foi toda essa temporada, com um ponto levando ao outro enquanto que pontas deixadas soltas anteriormente são novamente utilizadas a fim de completar o quadro geral. Se nada mudar teremos o final de toda essa história na semana que vem e já estamos contando os dias para ver como Jack irá dar a volta por cima.

Samurai Jack – 5X09: C — EUA, 13 de maio de 2017
Direção:
 Genndy Tartakovsky
Roteiro: Genndy Tartakovsky, Bryan Andrews
Elenco: Phil LaMarr, Tara Strong,  Greg Baldwin, Tom Kenny
Duração: 25 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.