Crítica | Short Trips 5X07 a 9: Dark Convoy, Foreshadowing e Etheria

Equipe: 7º Doutor e Ace / 8ª Doutor e Charley / 1º Doutor, Vicki e Steven
Espaço: Submarino HMS Thunder / Escócia / Etheria
Tempo: 1941 / Anos 1970 / Indeterminado

As três edições desta 5ª Temporada das Short Trips aqui criticadas foram lançadas pela BF entre julho e setembro de 2015, cada uma dessas histórias com um Doutor diferente e grande diferença de qualidade entre elas.

DARK CONVOY (2/5), história com o 7º Doutor e Ace, se passa durante a II Guerra Mundial e coloca o Doutor e sua companion em um submarino próximo ao Círculo Polar Ártico (em uma trama que lembra bastante o cenário de Cold War) e traz surpresas interessantes para o espectador que gosta de estudar o conflito e ver como a série tenta explicar coisas reais através da ficção como muitas vezes já fez, a exemplo do desaparecimento do Mary Celeste, como vimos em The Chase.

O interessante dessa história é a sua carga emocional muito bem levada por Sophie Aldred, especialmente na interpretação da personagem Ace (digo isso porque ela também interpreta o Doutor e faz a narração da história). Estando o Doutor em conflito com a sua regra nem tão forte assim (principalmente a partir de sua 8ª encarnação) de jamais interferir em eventos históricos de peso, sobra para Ace o ponto moral e sentimental da História, uma vez que ela se sente na obrigação de salvar alguém em perigo enquanto o Doutor entende que algumas mudanças jamais poderiam ser feitas, caso contrário, a humanidade conheceria um mundo futuro completamente diferente — ao menos nesse Universo.

A trama se desenvolve muitíssimo bem no início e nas primeiras cenas dentro do submarino, mas após um despropositado resgate, a história ganha ares forçados, com uma sequência de eventos desesperada para convencer o espectador e que acaba chateando, porque quebra o ritmo inicial, indo por um caminho que, não fosse a boa interpretação de Aldred e o ótimo trabalho de produção da BF, poderia ter um rumo ainda pior.

FORESHADOWING (4,5/5) traz um roteiro de Julian Richards com olhar caloroso, cômico e perfeitamente ajustável ao passado da série, fazendo dessas uma das melhores histórias de caráter paradoxal que temos nas Short Trips. A história se passa na Escócia, nos anos 1970, e mostra o 8º Doutor e Charley presos após invadirem uma base da Royal Air Force em busca de um gigante inseto cujo habitat é o vórtex temporal (não bastava o Vortisaur de Storm Warning!) mas que conseguiu escapar, entrar na TARDIS e, por um descuido do Doutor, fugir da nave e voar pela área proibida da RAF.

Desde o início, há uma sensação de familiaridade e cumplicidade no roteiro que o espectador só descobrirá ao final da aventura, que serve como introdução ou prólogo cronológico de Vengeance of the Stones. A relação do Doutor frente ao seu interrogador causa espanto ao Tenente e a Charley, estranhamento que também nos acomete mas que só entendemos quando a identidade do Tenente é revelada.

A linha cômica que guia o episódio, a simplicidade e ao mesmo tempo inteligência com que o enredo é construído e o desfecho dele são verdadeiros atrativos para o espectador, um primeiro contato — bem, pelo menos até agora — que vai encantar a todos os que já assistiram à Série Clássica.

Por fim, temos a estranha aventura com o 1º Doutor, Vicki e Steven, ETHERIA (2/5), uma história de poucos atrativos e escrita sob um ponto de vista que confunde o espectador no início. Sabemos que o Doutor e Vicki conseguem escapar de um ataque de piratas. Steven e a TARDIS parecem ter sido capturados. O Doutor e Vicki aparentemente passam um tempo no local, tentando se acostumar, mas resolvem ir em busca de Steven e da nave, correndo o risco de serem encontrados/dominado pelo éter, uma substância de caráter aparentemente… alucinógeno. Ou que faz uma lavagem cerebral emocional nas pessoas.

A história não é de todo ruim, mas a mistura de uma busca por um amigo com o problema do controle mental através de uma matéria invisível (que no final se revelará um tanto… criminosa), desmancha uma impressão inicial que o espectador demorou para construir, exercício que acaba cansando e tornando a trama passável e esquecível.

Short Trips 5X07 a 9: Dark Convoy, Foreshadowing e Etheria (Reino Unido, julho a setembro de 2015)
Direção: Lisa Bowerman
Roteiro: Mark B Oliver (Dark Convoy), Julian Richards (Foreshadowing) e Nick Wallace (Etheria).   
Elenco: Sophie Aldred, India Fisher e Peter Purves (cada um um conto, respectivamente).
Duração: c.35 min. (cada episódio)

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.