Crítica | Short Trips – Volume 3 (Big Finish)

Este é o penúltimo volume da série Short Trips, realizada pela Big Finish entre 2010 e 2011. O presente disco segue o mesmo modelo dos outros: oito histórias protagonizadas por Doutores diferentes (do ao ). Seu lançamento ocorreu em Maio de 2011.

.

Seven to One

3X01 – Season Premiere
estrelas 0,5

Equipe: 1º Doutor e Susan (principais) / 2º Doutor e Jamie / 3º Doutor e Jo / 4º Doutor e Romana II / 5º Doutor e Nyssa / 6º Doutor e Peri / 7º Doutor e Ace.
Espaço-tempo: Gray Space

A pergunta que me veio à mente assim que essa história acabou foi: qual é o sentido disso? Então as duas entidades do Espaço Cinza, que nunca concordavam com nada, resolveram aplicar um teste ao Doutor, privando-o da TARDIS e colocando, nesse Universo, falsos companions para empurrá-los pelas pequenas portas cinzas espaciais? Para quê? Que tipo de regra absurda eles tiraram daí se, ao final de tudo, voltam a discutir sobre quem deve usar a pequena peça do cachorro no Banco Imobiliário? Nada faz sentido nessa história!

Simplesmente não consegui entender o que Simon Miller pretendeu com esse roteiro absurdo. O pior não é nem o modus operandi das entidades ou dos androides RWR Mark II são justificáveis ou compreensíveis. Os sete testes pelos quais os Doutores têm que passar não levam a nada e parecem ter uma motivação gratuita, já que não há transparência de vingança por parte das entidades que… sim, foram enganadas pelo Doutor em sua última visita ao Grey Space, mas a história não dá indício algum de que uma inimizade ou algum tipo de ressentimento vilão tenha surgido daí. Um gasto desnecessário de personagens da série e tempo do espectador.

Localização dessa aventura na timeline de todos os Doutores

Para o 1º Doutor: acontece imediatamente antes de Uma Mãozinha Para o Doutor, portanto, antes de An Unearthly Child.

Para o 2º Doutor: acontece no período em que ele trabalhava para a CIA (Celestial Intervention Agency), antes de sua sentença ser finalmente decretada, no final de The War Games.

Para o 3º Doutor: acontece em algum ponto entre os arcos Carnival of Monsters e Frontier in Space.

Para o 4º Doutor: acontece imediatamente antes do arco Nightmare of Eden.

Para o 5º Doutor: acontece antes do áudio The Light at the End e antes do arco Arc of Infinity.

Para o 6º Doutor: acontece imediatamente após o arco The Two Doctors.

Para o 7º Doutor: acontece imediatamente após o arco The Happiness Patrol.

Roteiro: Simon Miller
Elenco: Nicholas Briggs, William Russell
Duração: 1 episódio de 18 min.

.

The Five Dimensional Man

3X02
estrelas 2

Equipe: 2º Doutor e Zoe
Espaço-tempo: Estados Unidos, 2 de outubro de 1959 / Planeta 801, século XXVIII

O grande peso dessa história é a improbabilidade de sua ocorrência e a forma desleixada como é escrita. O início lembra bastante as aventuras anteriores do 2º Doutor nessas pequenas viagens da BF, no sentido urbano e comum das pessoas que afeta.

Betty Brown é uma dona de casa que acabou de preparar o jantar do marido. Para passar o tempo, ela se senta à mesa para escrever uma história de ficção científica. Um barulho na cozinha revela que alguém acabara de chegar e esse alguém é Zoe, vestida com um traje espacial (!). Sem muito espanto, Betty aceita o fato. Zoe vem do futuro, do planeta 801, onde travava uma batalha contra Lord Ferdinand Stirling, que queria iniciar uma guerra contra a Terra. O Doutor aparece e diz que Jamie foi mantido refém em 801. Betty se propõe a ajudar e, após uma breve relutância do Doutor, embarca na aventura e acaba ajudando, por fim, a derrotar o cientista louco.

Mesmo que seja legal pensarmos na “origem de uma inspiração para se escrever um conto”, não dá para aceitar a forma como coisas tão grandiosas tomam lugar de forma simplista e gratuita na vida de um humano comum. As coisas simplesmente não funcionam assim.

Roteiro: Kate Orman
Elenco: David Troughton
Duração: 1 episódio de 18 min.

.

Pop-Up

3X03
estrelas 4

Equipe: 3º Doutor e Jo Grant
Espaço-tempo: Asteriode Epsilon Gamma, localizado no Aglomerado Epsilon

Depois de participar de uma Conferência de Paz em um asteroide do Aglomerado Epsilon, o Doutor e Jo voltam para a TARDIS e descobrem vários Micro Server Robots cobrindo a nave com centenas de cartazes publicitários. Vendo que um dos pequenos robôs está danificado, Jo o leva para seu quarto na TARDIS a fim de repará-lo. O pequeno robô então se conecta ao banco de dados da nave e começa a sobrecarregá-lo com uma torrente de anúncios publicitários.

O doutor está furioso. Ainda mais porque as propagandas do robô atingem os sistemas principais da TARDIS e seu único recurso é desligá-la completamente para limpar os sistemas. Ficamos sabendo que ao longo dos anos, o Doutor fez muitas atualizações na nave, mas não manteve as anotações de seu trabalho. Agora, ele precisa reinstalar tudo para fazer a nave funcionar novamente — e desta vez Jo irá garantir que ele instale um software anti-vírus.

O divertido roteiro de Dave Curan faz todo sentido nos nossos dias, quando somos bombardeados por propagandas em todos os lugares, desde os meios eletrônicos até a vida real. E o mais interessante ainda é como o Doutor lida com essas propagandas indesejadas, tendo do outro lado uma postura quase em tom permanente de desculpa por parte de Jo, que só queria reparar um robozinho que ela achara bonito. Eis aí uma eficiente mensagem para se vender programas anti-vírus!

Roteiro: Dave Curan
Elenco: Katy Manning
Duração: 1 episódio de 16 min.

.

The Wondrous Box

3X04
estrelas 4

Equipe: 4º Doutor e Sarah Jane Smith
Espaço-tempo: Estados Unidos, 15 de setembro de 1885

Quando a TARDIS se materializa em uma tenda de circo vazia pertencente ao empresário P.T. Barnum (famoso por seus “Maiores Show da Terra“), o Doutor e Sarah Jane decidem avançar no tempo para que possam desfrutar de uma performance. No entanto, a partida da TARDIS é vista por um dos artistas de circo, Benjamin, que algum tempo depois rouba a chave TARDIS do bolso do Doutor.

Acidentalmente, Benjamin ativa os controles da nave e é transportado alguns anos no passado circo. Sua chegada é vista por Jumbo, o elefante. A TARDIS então transporta Benjamin de volta para o presente, onde o Doutor e Sarah Jane acabam de descobrir o roubo da chave e conseguem recuperá-la. Mas então acontece a tragédia, quando o famoso Jumbo se distrai com o reaparecimento da cabine vista por ele alguns anos antes.

Baseada na ideia de que os elefantes nunca se esquecem de nada (ou que possuem uma memória incrível, para usar uma justificativa mais científica), essa história nos apresenta uma emocionante aventura do 4º Doutor e Sarah Jane. Tanto o empresário P.T. Barnum quanto Jumbo são personagens reais e a tragédia acontecida também.

Juliet Boyd consegue capturar a parte mais infantil, por assim dizer, do Doutor, sempre encantado com coisas que normalmente não chamam tanto a atenção de pessoas adultas (nesse caso, uma apresentação de circo). Por outro lado, explora a posição protetora e bastante humana de Sarah Jane, especialmente numa situação triste e trágica como a que ocorre nessa viagem.

Roteiro: Juliet Boyd
Elenco: Louise Jameson
Duração: 1 episódio de 17 min.

.

Wet Walls

3X05
estrelas 3,5

 

Equipe: 5º Doutor e Peri Brown
Espaço-tempo: Shropshire (Reino Unido), 1903

É uma noite de chuva em Shropshire. O Doutor e Peri procuram abrigo em uma mansão nas proximidades. Confundindo o Doutor com um médico de verdade, a governanta Gretchen leva-os até a patroa, Lady Catherine, uma mulher no auge da loucura, divagando sobre “crianças” e as “paredes úmidas”. Naquela noite, Peri experimenta os mesmos horrores de sua anfitriã, acreditando que as paredes e os pavimentos da casa estão em ruínas e encharcados — mesmo que o Doutor possa vê-los perfeitamente secos. O Time Lord deduz que uma forma de vida alienígena está usando a casa como um ventre para sua prole; infelizmente, a mudança zonal usada pelo alien não funciona corretamente, fazendo com que Lady Catherine e Peri compartilhem a mesma experiência de ver a “realidade”.

Numa pesquisa pelos arredores da casa, o Doutor e Peri encontram uma nave espacial e seu piloto, uma criatura assexuada do planeta Callopia que ficou presa na Terra depois de cair através de um Buraco de Minhoca. Um impasse acontece no decorrer da ação do Doutor e, naquele momento, a casa dá à luz uma série de aliens ameboides.

Depois que o Doutor coloca a nave no piloto automático, ele envia os bebês Callopianos para casa. Em seguida, uma revelação chocante (para Peri) sobre a identidade de uma das personagens da mansão vem à tona.

A história aqui é interessante e tem um tom macabro — e desconcertantemente cômico — que nos prende do início ao fim. O que nos deixa um pouco insatisfeitos é o início da história, quase sem uma justificativa declarada para  presença do Doutor no local.

Roteiro: Mathilde Madden
Elenco: Peter Davison
Duração: 1 episódio de 16 min.

.

Murmurs of Earth

3X06
estrelas 3,5

Equipe: 6º Doutor e Peri Brown
Espaço-tempo: Nuvem de Oort, limites do nosso Sistema Solar

O Doutor leva a TARDIS para a Nuvem de Oort, um massivo aglomerado de cometas no ponto mais extremo do nosso Sistema Solar. Esse início de história tem uma atmosfera bastante cômica, com Peri insistindo que só consegue ver rochas, “um montão de rochas na escuridão“, pelo scanner da TARDIS, o que não deixa o Doutor nada feliz.

Investigando um misterioso planetoide próximo, o Doutor e Peri se encontram em um paraíso holográfico envolto em uma cúpula artificial, onde eles se deparam com uma série de belos humanoides nus, cada uma réplica holográfica com base na forma de um único homem e mulher. Quando Peri é raptada pela criadora deste mundo, uma sonda alienígena orgânica chamada “Sentinel” que chegou ao Sistema Solar para procurar sinais de vida, o Doutor percebe que as projeções holográficas são baseadas na inscrição em uma das sondas Voyager da Terra (olha o perigo aí!). Após a “Sentinel” incutir a personalidade de Peri em suas criações, o Doutor consegue resgatar a companion e ambos correm para a TARDIS, sabendo que o “Paraíso” foi alterado.

Há uma série de referências interessantes a alusões a percepções que geralmente temos sobre a relação dos terráqueos com espécies alienígenas, se um dia as encontrássemos. Essa história é capaz de nos fazer pensar no lado oposto da moeda, a visão deles sobre nós ou qualquer outra espécie diferente, e também sobre o que realmente fariam se nos “capturassem”. No final das contas, há um sentimento, algo em específico que liga todos os seres vivos do Universo?

Roteiro: Michael Deacon, Jamie Middleton, Chris Wraight
Elenco: Colin Baker
Duração: 1 episódio de 18 min.

.

The Riparian Ripper

3X07
estrelas 3

Equipe: 7º Doutor e Ace
Espaço-tempo: Estados Unidos, anos 80

O Doutor e Ace estão investigando alguns relatos de jornais a respeito do “Riparian Ripper”, um assaltante não identificado que atacava pessoas ao longo de um trecho do Red River, nos Estados Unidos (qual dos dois o roteiro não determina). O Doutor, Ace e o médico responsável pelo caso, Leonard Millroy, descobrem que todas as vítimas tiveram alguns problemas com seus órgãos internos, cada um dos quais tinham sido retirados com precisão cirúrgica.

A dedução de que o Estripador está apenas tentando ‘ajudar seus pacientes’, vem logo a seguir e é estranha para o Doutor, Ace e Millroy. Mas um outro incidente acontece e, desta vez, o Estripador é encurralado e preso dentro de um bueiro. No entanto, quando o trio de investigadores chegam ao local, é trade demais: eles só conseguem ver o filantrópico alien  fugindo em uma nave espacial prateada.

Toda a ideia de julgar as aparências e coisas afins é retomada nesse episódio, que sofre de uma inquietante falta de carisma na reta final, apesar de o seu tema central trazer uma importante discussão ético-moral à tona, especialmente em tempos de violência e julgamentos/execuções antes de qualquer tipo de investigação.

Roteiro: Andrew Cartmel
Elenco: Sophie Aldred
Duração: 1 episódio de 16 min.

.

All the Fun of the Fair

3X08 – Season Finale
estrelas 3,5

Equipe: 8º Doutor e Lucie Miller
Espaço-tempo: Londres, possivelmente início do século XX

Um jovem contador de histórias em uma feira de atrações rouba a TARDIS do Doutor e a usa como meio de ganhar dinheiro, prometendo às pessoas o truque mais bem feito que já viram, uma viagem para um outro tempo. O problema é que ele realmente mandava as pessoas para um outro lugar, o que foi acumulando um grande número de desaparecidos na cidade, algo que desperta muitas suspeitas da Polícia.

Carney, o jovem em questão, é preso, em avançado ponto da história, por um detetive de sobrenome Miller. Escoltado na TARDIS pelo policial e por uma garota chamada Lucie, Carney é transportado para um mundo estranho, onde todas as suas ‘vítimas’ estão esperando, junto com o dono da “caixa azul”, o Doutor.

A história tem um tom bastante familiar e é, assim como a anterior, narrada em primeira pessoa. Apesar de haver algumas falhas no roteiro, especialmente na explicação do roubo e de como Lucie aparece “do lado de cá” da história, o tom da narrativa é divertido e pelo menos em sua parte mais óbvia se segura bem, algo que consegue diminuir a má impressão vinda pelo buraco narrativo no motor da história.

Roteiro: Bev Conway
Elenco: India Fisher
Duração: 1 episódio de 12 min.

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.