Crítica | Star Wars: Contos Jedi (A Era de Ouro dos Sith, A Queda do Império Sith, A Saga de Nomi Rider)

estrelas 5,0

Com a instituição do novo cânone em Star Wars, uma quantidade gigantesca de material foi deixado de lado, especialmente o que abordava o período antes da Trilogia Prelúdio. O foco da Disney está claramente em tudo que gira em torno da Trilogia Original, explorando os diferentes desdobramentos das famílias e acontecimentos que assistimos nos filmes clássicos. Isso, contudo, não deve nos afastar de conhecer o antigo Universo Expandido, hoje conhecido como Legends, visto que muito pode ser entendido através do conhecimento deste, sem falar, é claro, que inúmeras histórias memoráveis nos foram contadas pelos diversos autores que passaram por essa galáxia muito, muito distante.

Star Wars: Contos Jedi é uma publicação da Dark Horse Comics dividida em diversos contos, com os primeiros deles nos levando para cinco milênios antes dos eventos de Uma Nova Esperança. Estamos falando de uma República ainda em expansão, defendida, como sempre, pelos Cavaleiros Jedi. O foco das histórias vistas aqui ficam longe do centro da galáxia, nos trazendo três contos, como o título já sugere, que giram em torno dos cavaleiros da antiga República: A Era de Ouro dos Sith, A Queda do Império Sith e A Saga de Nomi Rider). O primeiro deles nos conta sobre o retorno dos Sith, liderados por Naga Sadow, o segundo, por sua vez avança alguns anos e foca em Ulic Qel-Droma em sua missão para se tornar cavaleiro Jedi. O terceiro, por sua, vez nos traz uma história sobre uma garota que irá iniciar seu treinamento.

O interessante dos arcos é como cada trama se diferencia da outra, nos trazendo um olhar diferente sobre o universo de Star Wars. Temos aqui informações que repercutem por inúmeras obras posteriores, especialmente Cavaleiros da Antiga República. A partir dessas histórias conhecemos mais sobre os Sith, sobre como eles eram uma raça originalmente e observamos as diferenças na galáxia da época, demonstrando toda a evolução e até declínio da ordem Jedi ao longo das eras.

O que mais nos chama a atenção é o design das roupas, naves e armas. É traçado um claro paralelo com nossa antiguidade, como as roupas dos Sith que se espelham no Egito antigo, ou as naves que nos lembram grandes caravelas, especialmente as de exploração. Os sabres de luz são outro ponto alto e utilizam baterias presas ao corpo e ligadas à arma em si por meio de um fio, demonstrando claramente os avanços tecnológicos ao longo dos milênios. Acima de tudo, estamos falando de uma obra importante para entendermos como esse universo progrediu até chegar nos filmes.

O traço de cada artista segue uma linha com bastante identidade, não caindo na velha pasteurização que estamos acostumados nos quadrinhos de hoje em dia. Além de retratar cada personagem de forma única, facilmente identificável. A presença de alienígenas icônicos também é reduzida, vemos inúmeras novas raças, oferecendo uma maior liberdade artística para cada desenhista. Um bom exemplo disso é a raça dos Sith. Por mais que tenham marcas similares, cada um deles é bem diferenciado um do outro, tornando a leitura mais fluida e dinâmica. Naturalmente, a estrutura de contos favorece esse fator, nos forçando a passar de página atras de pagina, ansiando por explorar esse território desconhecido da história da franquia.

Star Wars: Contos Jedi é uma leitura essencial para qualquer fã da saga. A série nos entrega fascinantes histórias sobre um passado longínquo, que nos permite ter uma visão ampliada e aprofundado sobre diferentes aspectos dessa galáxia. Formado por curtos arcos, cada um com um foco bem diferenciado, os quadrinhos em questão certamente irão agradar a qualquer um que deseje fugir das básicas histórias que fogem do velho conflito entre a Rebelião e o Império. Há muito a ser mostrado nessa galáxia muito, muito distante. Esperemos que a Disney enxergue isso em breve.

Star Wars: Contos Jedi – A Era de Ouro dos Sith, A Queda do Império Sith, A Saga de Nomi Rider (EUA – 1994, 1996, 1997) 
Roteiro: Tom Veitch, Kevin J. Anderson
Arte: Tony Akins, Chris Gossett, David Roach, Dario Carrasco, Jr.
Arte-final: Denis Rodier, Stan Woch, Mike Barreiro, Mark G. Heike, Bill Black, David Jacob Beckett
Letras: Willie Schubert, Sean Konot
Cores: Suzanne Bourdages, Pamela Rambo, Ray Murtaugh
Capas: Steve Ellis
Editora original: Dark Horse Comics
Editora no Brasil: Planeta DeAgostini (Coleção Star Wars Comics #67 e #68)
Páginas: 400

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.