Crítica | Star Wars – Laços de Sangue: Boba Fett Está Morto

estrelas 4,5

Espaço: Concord Dawn
Tempo: A Ascensão do Império – 1 ano antes da Batalha de Yavin (a.BY)

Spoilers

Com um título provocador, Boba Fett Está Morto apela imediatamente para a curiosidade do leitor que, naturalmente, pensa em O Retorno de Jedi – seria essa história uma espécie de elseworld, uma realidade paralela onde o famoso caçador de recompensas encontra seu triste fim em outra ocasião? É claro que, levando em conta o Universo Expandido, Fett não morre no Poço de Sarlacc e os quadrinhos em questão poderia se passar após a queda do Imperador. Não é este o caso, contudo, algo deixado claro desde a primeira das quatro edições dessa minissérie.

fett2Apoiando-se na polêmica do título, a trama já tem início com o cadáver de Boba. Seu assassinato, arquitetada por uma figura misteriosa que contratara alguns caçadores de recompensa é logo anunciada pelas notícias por toda a galáxia. Nos vemos, então, em um bar, onde Connor, o dono de um bar se vê curiosamente afetado pelo fato e propõe um brinde em nome do caçador de recompensas. Pouco depois, os responsáveis pelo ocorrido passam a ser caçados e mortos um por um, gerando a natural dúvida no leitor se Connor está se vingando ou é o próprio Fett que, de alguma forma, escapou.

A resposta já é dada no começo da segunda edição – não é este o foco da narrativa e se você não quer qualquer forma de spoiler sugiro que encerre a leitura por aqui. O roteiro de Tom Taylor procura jogar uma luz sobre o lado mais pessoal de Boba, algo que fora visto apenas de relance em O Ataque dos Clones.  É interessante o trabalho feito em cima da persona do icônico personagem e Taylor consegue transmitir um ar mais humano a ele, sem, porém, descaracterizar o personagem. Ele continua como o típico badass, mas tal característica se encaixa organicamente dentro do objetivo dos quadrinhos, o que certamente irá agradar aos fãs de Fett.

fett4

O maior badass da galáxia

A fim de nos aproximar do visual da trilogia original, a arte de Chris Scalf adota um realismo extremo, ao ponto que diversos quadros parecem uma fotografia tirada de um dos filmes ou até mesmo um afresco clássico. A coloração, portanto, desempenha um papel vital para o sucesso da arte e ela é conduzida de maneira impecável. Impossível não parar para admirar as páginas de cada volume – algumas das quais merecem ser enquadradas.

Dessa forma a construção dos personagens visualmente não poderia estar mais próxima do que já conhecemos, ao mesmo tempo que a história tem seu tom mais sombrio amplificado. Essa escolha, todavia, diretamente afeta os movimentos representados e faz Scalf se apoiar em inúmeras elipses para dar continuidade à história. Não é algo que, de fato, incomode o leitor e a fluidez da leitura não é, em ponto algum, prejudicada, mas não podemos de deixar de sentir falta de uma representação mais esmiuçada para algumas ações, fator que certamente atuaria em favor do clímax da obra.

Elaborado de forma concisa Boba Fett Está Morto, contudo, não deixa ser abalado por esse fator, se estabelecendo como um quadrinho de destaque dentro das publicações da Dark Horse Comics e merecedora de um relançamento no Brasil, dentro da revista Star Wars Legends. Se você deseja conhecer um pouco mais sobre o misterioso caçador de recompensas, com certeza não deve perder essa história, que vai muito além de um mero título chamativo.

Star Wars – Laços de Sangue: Boba Fett Está Morto (Star Wars – Blood Ties: Boba Fett is Dead – )
Minissérie em 4 edições
Roteiro:
Tom Taylor
Arte:
Chris Scalf
Cores:
Chris Scalf
Letras: Júlio Nogueira
Tradução:
Magda Lopes, Paulo França
Páginas:
100

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.