Crítica | Star Wars Rebels – 3X08: The Wynkahthu Job

estrelas 5,0

  • Contém spoilers do episódio.
  • Confiram todas as nossas críticas da série aqui.

Seguindo o exemplo das temporadas anteriores, esta terceira de Star Wars Rebels continua fazendo um ótimo trabalho ao garantir a devida atenção a seus personagens. Com apenas pouco mais de vinte minutos de duração, a decisão em se manter narrativas focadas, a cada semana, em um ou dois indivíduos específicos é uma dos acertos da série, que sabe aproveitar o seu tempo disponível. Em The Wynkahthu Job, Zeb ganha seu devido foco – o personagem estivera notavelmente ausente em primeiro plano até então e agora recebe a atenção que merece em um capítulo que representa mais do que parece e ajuda a construir uma diferenciada atmosfera na temporada.

O episódio abre com Ezra propondo uma temporária parceria de negócios entre os rebeldes e Hondo Ohnaka, o pirata que dera as caras, pela primeira vez, lá atrás em The Clone Wars. A ideia recebida com certo receio por Hera e Kanan é colocada em prática e, a cargo da missão para adquirir bombas de próton fica Zeb, o que acaba deixando Ezra um tanto quanto frustrado. Cabe, portanto, aos dois entrarem e um cargueiro imperial abandonado, no meio de uma tempestade na atmosfera de Wynkahthu e resgatarem esse armamento que já estavam de olho há algum tempo.

À primeira vista, o capítulo pode parecer nada mais que um filler da animação. Mas alguns aspectos construídos nele merecem o destaque e, no fim, ajudam a formar o cenário global desse ano do seriado. O primeiro ponto a ser levantado é a obtenção das bombas de próton, que representam mais do que um simples armamento dentro de Star Wars. Elas foram utilizadas para destruir a primeira Estrela da Morte e certamente a inserção delas aqui cumprirá um papel maior, especialmente levando em conta que essa é a segunda tentativa dos rebeldes para consegui-las.

Outro aspecto que merece a nossa atenção é a notável distância que vem sido estabelecida entre Kanan e seu aprendiz. Reparem como Ezra mal dirige a palavra a seu mestre. Pouquíssimas vezes nesse ano vimos os dois trabalhando juntos em uma missão, o que pode abrir caminho para uma queda maior de Bridger para o Lado Negro – vale lembrar que Maul está tramando algo em algum lugar da galáxia e eu não ficaria surpreso se ele desse as caras em breve. Enquanto isso, Kanan ainda busca ensinar o menino, deixando ele aprender sobre Hondo por conta própria, demonstrando o afeto que tem pelo garoto, que de forma alguma fora deixado de lado por ele.

Mais um ponto a se considerar é a aparente ausência direta do Império. Mais do que nunca, Rebels está nos deixando no escuro acerca dos planos imperiais. Não fazemos ideia do que está guardado para o grupo no restante do ano e  as pontuais aparições imperiais apenas fomentam essa ideia. Não temos mais as constantes falhas dos inquisidores ou do agente Kallus, é como se os personagens centrais estivessem sendo deixados em paz. Essa falsa sensação definitivamente será quebrada, o que em muito contribuirá para a eficácia dos episódios mais climáticos.

Dentro do capítulo em questão, porém, um dos maiores acertos é a maior presença do humor. Trata-se de um episódio mais descontraído, embora lide com algumas questões morais de destaque. Zeb e Hondo evidentemente se encaixam perfeitamente nessa premissa estabelecida, visto que permitem uma dose maior de comédia em virtude de suas personalidades. A relação entre eles e Ezra é constantemente colocada em primeiro plano, permitindo que os vínculos anteriormente formados sejam colocados em xeque – alguns se fortalecendo enquanto outros se desvanecem. O episódio cumpre muito bem sua função ao mostrar isso e, em apenas, vinte minutos fortalece a amizade entre os dois rebeldes.

The Wynkahthu Job é um capítulo de construção, que ajuda a formar o cenário maior da temporada como um todo. Com a notável presença dos Dark Troopers, vistos pela primeira vez no game Dark Forces, o episódio estabelece uma atmosfera mais leve e descontraída, enquanto lida com as ameaças ao grupo de rebeldes de forma discreta, trabalhando com o imaginário do espectador. Star Wars Rebels mais uma vez evidencia seu zelo em relação aos personagens centrais, permitindo uma aproximação maior do público com cada um deles.

Star Wars Rebels – 3X08: The Wynkahthu Job (EUA, 2016)
Showrunner:
Dave Filoni
Direção:
Mel Zwyer
Roteiro:
Gary Whitta
Elenco:
Taylor Gray, Vanessa Marshall, Freddie Prinze Jr., Tiya Sircar, Steve Blum, Dee Bradley Baker, David Oyelowo,  Derek Partridge, Stephen Stanton, Jim Cummings, Sam Witwer, Nathan Kress
Duração: 
22 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.