Crítica | Star Wars Rebels – 3X11/12: Ghosts of Geonosis

ghosts-of-geonosis-plano-critico

estrelas 4

  • Contém spoilers do episódio.
  • Confiram todas as nossas críticas da série aqui.

Chega a ser curioso como Rebels consegue, em apenas três temporadas, criar um vínculo mais forte entre dois filmes que estão cronologicamente muito mais distantes que os episódios II e III, enquanto que The Clone Wars, com seus seis anos de duração custou a firmar a ponte entre os dois longas entre os quais se passa, que estão muito mais próximos entre si. Desde a estreia da série animada da Disney XD, já tivemos inúmeros episódios que aproximaram essas diferentes eras de Star Wars, como The Lost Commanders, Relics of the Old Republic, The Last Battle e o mais recente Visions and Voices, demonstrando o quanto o showrunner Dave Filoni respeita o passado da franquia, ao mesmo tempo que trabalha o seu presente e futuro. Ouso dizer, contudo, que nenhum desses soube unir tudo de forma tão contundente quanto Ghosts of Geonosis, que já deixa óbvio pelo título onde toda a ação se passa.

Estamos falando de um capítulo duplo, com a duração aproximada de quarenta e quatro minutos, naturalmente chega até a ser injusto compará-lo com os outros de vinte e dois minutos. Com o roteiro assinado por Dave Filoni, Steven Melching e Matthew Michnovetz, o episódio dialoga diretamente com os eventos das Guerras Clônicas, além de preparar o terreno para Rogue One. Aqui, os rebeldes de Lothal são contactados pela liderança da Rebelião, que pedem para que eles investiguem o desaparecimento da equipe que enviaram previamente para Geonosis, cuja missão era descobrir o que acontecera com os geonosianos, que foram extintos do planeta. Lá, Ezra, Kanan, Jarrus, Sabine, Hera e Chopper se encontram com Saw Gerrera (dublado pelo próprio Forest Whitaker) e começam a investigar o que o Império estava construindo naquele lugar.

Quem leu os livros Tarkin ou Catalyst, sabe que a Estrela da Morte fora desenvolvida na órbita daquele lugar e Ghosts of Geonosis faz o ótimo trabalho de unir essas diferentes obras de Star Wars em um só lugar, nos fazendo sentir como se, de fato, cada uma delas fosse uma peça diferente de um mesmo quebra-cabeças. Chega a ser angustiante quando os rebeldes encontram o único sobrevivente do planeta, que desenha a superarma do Império, e eles não sabem dizer o que ele está tentando falar. Apenas entendem que é um círculo dentro de um círculo, que para o fã da saga remete imediatamente à destruidora de planetas.

Curiosamente, a maior angústia gerada pelo capítulo não vem dos imperiais, que chegam a tentar destruir, sem êxito, é claro, os personagens principais e sim do próprio Gerrera, que já é demonstrado como um radical, disposto a sacrificar tudo, inclusive uma raça inteira, para destruir o Império. Temos aqui uma excelente oportunidade de conhecer mais sobre o personagem que estreara, nas telas grandes, em Rogue One. Através de Rex ganhamos um olhar sobre o que acontecera em The Clone Wars, envolvendo a morte da irmã de Saw. Devo, é claro, elogiar o trabalho de dublagem de Whitaker, que encarna novamente o personagem de forma profunda, sendo, ao mesmo tempo, um forte elemento da rebelião e um radical que vai contra, em alguns momentos, os ideais da República que tanto quer reviver.

Infelizmente, enquanto Gerrera consegue transmitir um forte sentimento de urgência no espectador, o verdadeiro vilão, o Império, não consegue. Sabemos desde o início que eles irão conseguir escapar ilesos do ataque do cruzador leve imperial e o tempo gasto nesse embate poderia ser utilizado para algo que ajudasse a construir mais do cenário da terceira temporada. Ainda assim, podemos extrair alguns pontos interessantes dessa situação. A grande falha dos imperiais é sempre pensar de forma egoísta, a capitã da nave que tenta acabar com os rebeldes deseja destruir o grupo para conseguir uma promoção e, por isso, não chama por reforços, o que poderia alterar o resultado obtido aqui. Dessa forma, enxergamos com clareza que, enquanto a rebelião simboliza o trabalho em equipe, o altruísmo, sua facção oposta representa exatamente o oposto, similarmente ao que vemos em The Old Republic, com os Sith e a República.

Ghosts of Geonosis faz, portanto o ótimo trabalho de unir diferentes obras de Star Wars em apenas um lugar, nos aproximando cada vez mais aos eventos de Rogue OneUma Nova Esperança. Ao introduzir Saw Gerrera na série animada, Rebels nos garante um olhar mais aprofundado sobre o personagem, evidenciando o que ficou claro no spin-off da franquia: nem todos ali lutam pelos mesmos ideais. Resta torcer para que o Império novamente volte a representar uma ameaça nos próximos capítulos.

Star Wars Rebels – 3X10: Visions and Voices (EUA, 2016)
Showrunner:
Dave Filoni
Direção:
Saul Ruiz, Mel Zwyer
Roteiro:
Dave Filoni, Steven Melching, Matthew Michnovetz
Elenco:
Taylor Gray, Vanessa Marshall, Freddie Prinze Jr., Tiya Sircar, Steve Blum, Dee Bradley Baker, David Oyelowo,  Derek Partridge, Stephen Stanton, Jim Cummings, Sam Witwer, Nathan Kress, Forest Whitaker
Duração: 
22 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.