Crítica | Star Wars Rebels – 3X13: Warhead

rebels-warhead-plano-critico

estrelas 5,0

  • Contém spoilers do episódio.
  • Confiram todas as nossas críticas da série aqui.

Após alguns episódios que mais uma vez vincularam a trilogia prelúdio com a clássica, Star Wars Rebels retorna com um capítulo focado na perseguição imperial ao grupo de rebeldes que acompanhamos desde o início da série. Focado inteiramente em Zeb, Chopper e o droide AP-5, temos aqui uma evidente referência a O Império Contra-Ataca e, que, nos momentos finais, transforma um episódio que soava como um filler em algo muito mais significativo dentro da temporada, realçando novamente a ameaça que o Grão Almirante Thrawn representa. Curto e direto ao ponto, Warhead é mais um acerto da série animada passada nessa galáxia muito, muito distante.

Os momentos iniciais do capítulo são tirados diretamente do Episódio V, com um Star Destroyer liberando inúmeros em direção a diversos planetas, dentre ele, o que abriga a base rebelde. Ao atingir o seu destino, a cápsula liberada pela nave, porém, não conta com a clássica sonda imperial e sim com um droide de protocolo, que caminha pela superfície do planeta até ser atacado pelas aranhas gigantes que ali habitam. Enquanto isso, Zeb é deixado encarregado de cuidar da base na ausência dos outros rebeldes e essa tarefa entediante se torna um verdaadeiro perigo quando ele, desconhecendo a origem do droide, decide levá-lo de volta ao esconderijo de seus aliados.

Primeiro devo ressaltar que é gratificante ter um capítulo focado em um personagem muitas vezes deixado de lado como Zeb, que já protagonizou um dos melhores episódios da série até então, The Honorable Onesna segunda temporada. Rebels sempre teve o costume de trabalhar seus personagens isoladamente, garantindo histórias que ajudam na construção de cada um deles. Mais importante que a progressão da história pessoal de Zeb, porém, é a limitação do raio de busca pela base rebelde por parte dos imperiais, algo digno de nota nessa temporada, já que fazia um tempo que sequer ouvíamos o nome de Thrawn ser citado. Aqui, a espera paciente do vilão, para que seus inimigos cometessem um  erro, foi recompensada.

Estamos falando de um episódio bastante conciso, com eventos que, como de costume, percorrem um curto espaço de tempo. É interessante observar, também, como os roteiristas sabem aproveitar elementos introduzidos anteriormente, como a citação a Wedge nos minutos iniciais, ou o próprio AP-5, que por muito tempo ficou reduzido apenas a algumas curtas aparições. Isso garante uma maior pluralidade ao seriado, que, ao contrário de seu antecessor, The Clone Wars, trata os Jedi apenas como um dos muitos pontos que compõem o universo de Star Wars.

Aqui temos uma progressão narrativa ágil, sem espaço para qualquer elemento desnecessário e que representa um grande passo para esse ano como um todo. As sequências de ação são curtas, porém bem executadas, cumprem seu papel de entreter o espectador, ao mesmo tempo que inserem um novo tipo de droide assassino a essa vasta mitologia. Muitas vezes sentimos como se a curta duração dos episódios da animação prejudicasse o ritmo dos capítulos, mas esse não é o caso aqui, visto que o roteiro parece ter sido escrito levando em conta, a cada palavra, o tempo disponível para que a história fosse contada, dispensando, assim, grandes elipses ou uma montagem exageradamente veloz.

Warhead é a prova de como Star Wars Rebels sabe aproveitar um simples episódio, aparentemente filler e transformá-lo em algo que movimenta a trama geral da temporada de maneira considerável. Focado em Zeb, mas com mais coisas em jogo que apenas a construção do personagem, temos aqui mais um ótimo capítulo dessa terceira temporada, que faz a ameaça de um dos antagonistas crescer a tal ponto que conseguimos já prever o que irá acontecer nos trechos finais desse ano.

Star Wars Rebels – 3X13: Warhead (EUA, 2016)
Showrunner:
Dave Filoni
Direção:
Bosco Ng
Roteiro:
Gary Whitta
Elenco:
Taylor Gray, Vanessa Marshall, Freddie Prinze Jr., Tiya Sircar, Steve Blum, Dee Bradley Baker, David Oyelowo,  Derek Partridge, Stephen Stanton, Jim Cummings, Sam Witwer, Nathan Kress, Forest Whitaker, Lars Mikkelsen
Duração: 
22 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.