Crítica | “Summer 08” – Metronomy

estrelas 3,5

Aqueles que admiram o som dos ingleses do Metronomy sabem o quanto é difícil resistir ao charme da banda, seja no estilo e personalidade própria, seja na sonoridade de extrema competência sabendo misturar eletrônico e orgânico como poucos hoje em dia. Após o ótimo Love Letters de 2014, chegou a hora de mais um disco, dessa vez batizado de Summer 08.

Summer 08 continua os passos que a banda seguia, sem desfocar muito do caminho percorrido. Possui uma pequena parcela da doçura pop de Love Letters, mas segue bem mais a linha de English Riviera e até mesmo a crueza eletrônica de Nights Out. Basta olhar para os excelentes refrões pegajosos da convidada Robyn no single Hang Me Out To Dry para perceber que o pop marcante de seu antecessor ainda prevalece, mesmo que em doses bem menores. No entanto, o novo álbum se trata notoriamente de um trabalho mais minimalista e simples, talvez até menos palatável para ouvidos não acostumados com sintetizadores mais “crus”. Há muito do aspecto eletrônico da década de 70/80 na obra (muito bem inserido, quase de um jeito vintage, sem pegar características as vezes piegas da época), elaborando batidas pontuais o suficiente para incentivar o movimento do corpo, sem precisar apelar para exageros.

Ainda que os arranjos muitas vezes soem contidos, é gracioso poder ver como o grupo demonstra mais domínio e versatilidade nos sintetizadores do que uma larga quantia de DJs em holofote. O Metronomy já mostrou muitas vezes ter a sutileza como sua característica mais admirável. Veja, por exemplo, a simplicidade interpretativa que rouba o ouvinte no conto romântico moderno de Love’s Not An Obstacle (Everything’s so complicated/ I don’t understand, translate it). Grande parte dessa atmosfera econômica e simples se deve à mente do frontman Joseph Mount, que tenta passar um lado pessoal e introspectivo a cada música. Tais características poderiam ser um desserviço ao disco que, no entanto, flui muito bem, principalmente graças às qualidades técnicas próprias dos membros: a deliciosa linha de baixo derradeira em Back Together, a inteligência e dinamicidade das pickups em Old Skool, ou as criativas batidas de 16 Beats e My House, feitas para serem dançadas incessantemente nas pistas.

Summer 08 segue a ótima discografia que o Metronomy vem construindo. Sem precisar de grandes prepotências, luxuosas produções ou maiores interjeições instrumentais, o grupo prova que manja de música de maneira direta, sem rodeios na hora de fazer arranjos eficientes, misturando bem tanto o orgânico quanto o sintético. No entanto, falta cobiça no Metronomy. A sensação que fica é que o grupo está muito satisfeito em fazer apenas o que desejam, sem levar em conta as cobranças de uma obra que supere os elogios e promessas feitos com The English Riviera. Bem, enquanto a banda continuar com seu charme musical, seus trabalhos são sempre bem vindos…

Aumenta!: Love’s Not An Obstacle
Diminui!: Miami Logic

Summer 08
Artista: Metronomy
País: Inglaterra
Lançamento: 1º de julho de 2016
Gravadora: Because
Estilo: Eletrônico, Indie

HANDERSON ORNELAS. . . Estudante de engenharia química, fascinado por música, cinema e quadrinhos. Um fã de ficção científica e aventura que carrega seu fone de ouvido por todo lado e se emociona facilmente com música, principalmente com "The Dark Side Of The Moon". Enquanto não viaja pelo tempo e espaço em uma TARDIS, viaja pelo mundo dos livros e da música.