Crítica | Supergirl – 2X04: Survivors

estrelas 2,5

Obs: Há spoilers. Leiam as críticas dos demais episódios aqui.

Não é nada incomum assistirmos ou lermos alguma obra cuja trama não nos leva para qualquer ponto, como se não houvesse progressão narrativa alguma, ou crescimento de personagens. Especialmente em blockbusters ou filmes de ação encontramos essa diversão descerebrada, que visa única e exclusivamente o entretenimento, sem, de fato, acrescentar qualquer coisa ao espectador. Supergirl, infelizmente, tem caído no exato mesmo problema, com episódios que parecem esquecer do que veio antes deles, como se os roteiristas não fizessem ideia do que se passa nos outros capítulos e fossem obrigados a criar uma trama desconexa, se importando apenas com o cliffhanger deixado na semana anterior.

Esse é o caso de Survivors, que se aprofunda na questão envolvendo Jon, que encontrara outra de sua espécie, ao menos é o que acredita até agora. Existe, porém, uma relutância de Megan em se aproximar do marciano e cedo descobrimos que isso ocorre em virtude de uma arena na qual alienígenas lutam contra outros extraterrestres e a última da espécie de Jon participa desses combates. Evidente que cabe a Kara e o DEO acabar com essa operação, ao mesmo tempo que precisam fazer Mon-El se acostumar com seus poderes na Terra.

Antes de cairmos nos costumeiros problemas de Supergirl, devo ressaltar o ponto chave que torna o episódio desta semana não tão terrível quanto seus antecessores: há uma evidente coesão interna aqui, com quase todos os personagens ligados a um mesmo elemento. Mesmo o lado jornalístico da protagonista aborda a mesma questão, ao passo que ela, enfim, realiza o truque mais antigo dos repórteres que também são super-heróis: utilizar seu alter ego c como uma de suas fontes, algo que já deveria ter captado, já que seu próprio primo faz o mesmo constantemente (ainda que não de forma tão malandra quanto Peter Parker, mas aí é já outro universo). Essa conexão entre as diferentes subtramas garante uma maior fluidez narraiva, que faz o capítulo progredir bastante rapidamente, com um ponto puxando o outro.

O que quase foge à regra é Mon-El, especialmente em sua escapada com Winn, mas isso funciona, evidentemente, como o alívio cômico de um capítulo bem menos alegre do que estamos acostumados no seriado. Em determinado ponto, felizmente, é criado um vínculo entre a trama principal e esse aspecto do episódio, ao passo que Kara percebe, através de Jon, que deve ser mais atenciosa com o sobrevivente de seu planeta vizinho. No fim, o tema do capítulo, como o título já deixa bem claro, é o impacto da destruição de suas terras natais nesses sobreviventes e como cada um pode lidar com o ocorrido de forma diferente.

Mas nem tudo funciona aqui e chegamos ao ponto citado anteriormente. O roteiro do capítulo parece ignorar solenemente que existe uma tentativa da presidente (vulgo Mulher Maravilha) em garantir direitos aos alienígenas dos EUA, em mais de um momento esse tema é trazido à tona no episódio e só ouvimos grilos em relação à personagem de Lynda Carter (que fora introduzida na semana anterior e não na temporada passada!). Com isso perdemos totalmente a noção de continuidade narrativa da série, é como se ela não andasse para frente, se limitando a nos entregar pequenos contos a cada semana que se passa, procurando atrair nossa atenção única e exclusivamente através de cliffhangers excessivamente didáticos, como fora o dessa semana – por que não mostrar a verdadeira identidade de Megan em um evento conectado diretamente à trama? A resposta está na falta de motivos que temos para continuar assistindo o seriado.

Supergirl, portanto, quase consegue nos trazer um episódio que seja minimamente bom, mas acaba falhando novamente pela falta de coesão entre os outros capítulos da temporada. Visto como uma obra separada do meio no qual está incluso, Survivors chega a funcionar, mesmo com os terríveis efeitos especiais, que jamais conseguiremos nos acostumar. Como parte de um seriado, de uma segunda temporada, porém, ele faz um esforço para tentar não se encaixar, preferindo se manter no raso, desperdiçando narrativas que poderiam nos entregar muito mais que o mero caso da semana.

Supergirl – 2X04: Survivors — EUA, 2016
Showrunner: Andrew Kreisberg, Greg Berlanti, Ali Adler
Direção: James Bamford, James Marshall
Roteiro: Paula Yoo, Eric Carrasco
Elenco: Melissa Benoist, Mehcad Brooks, Chyler Leigh, Jeremy Jordan, Chris Wood, David Harewood, Tyler Hoechlin,  Calista Flockhart, Katie McGrath
Duração: 42 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.