Crítica | Superman: Alienígena Americano #6

estrelas 5,0

Obs: leia as críticas das edições anteriores, aqui.

 aa6Um dos aspectos mais fascinantes sobre o personagem de Superman é sua constante transformação e adaptação, de controlar seus poderes a fim de manter uma vida humana aparentemente normal; quando não está com uma capa vermelha em suas costas voando para salvar o planeta, claro. Na sexta edição de , Max Landis toma uma gigantesca respirada após o espetáculo de ação e pancadaria no número anterior, optando por concentrar-se em uma trama mais simples.

Aqui, Clark recebe em Metropólis dois de seus amigos da juventude em Smallville, e o que Landis busca explorar aqui é a transformação de Kent, o fazendeiro, em Kent, o jornalista atarefado da grande metrópole americana. Lentamente uma conversa descontraída gera um choque entre Clark e Pete Ross, onde os dois discutem sobre sua identidade e o papel que este quer desempenhar na humanidade; isso quando Clark se recusa a ir atrás de outros seres superpoderosos mencionados – temos referências ao Flash, Aquaman e o próprio Batman, com direito a uma boa piadinha com sua máscara.

Esse choque acaba levando a uma fascinante discussão sobre o significado de Superman para Clark e o mundo (lembrando que seu amigos tem ciência de seus poderes e do alterego). Ross questiona o motivo de Clark adotar o símbolo do S (“Para vender camisetas?”), e o amigo responde que seria uma tentativa frustrada de sinalizar para seus pais que ele está ali, vivo. Ross rebate que Clark seria incapaz de aceitar sua vida ali, que suas ações acabam transformando o mundo por acidente e este parece não ligar. É um diálogo poderoso e realista pela linguagem de Landis, e os desenhos de Jonathan Case talvez sejam os melhores da minissérie até então, adotando um traço que preserva essa humanidade e as cores vibrantes.

aa6

Seguindo a discussão, Landis oferece um vibrante fan service ao apresentar abruptamente Clark à Tropa dos Lanternas Verdes, após uma tentativa deste de atravessar a atmosfera da Terra em uma revolta furiosa. É um ótimo momento que serve também para que Clark descubra que é um Kryptoniano, e enfim voltar para fazer as pazes com seu amigo. Um arco muito bem resolvido, considerando que a edição fala majoritariamente sobre o problema da identidade.

Superman: Alienígena Americano #6 (Superman: American Alien – EUA, 2016)

Roteiro: Max Landis
Arte: Jonathan Case
Cores: Jonathan Case
Letras: John Workman
Editora nos EUA: DC Comics
Data original de lançamento: 20 de Abril de 2016
Páginas: 32

LUCAS NASCIMENTO . . . Estudante de audiovisual e apaixonado por cinema, usa este como grande professor e sonha em tornar seus sonhos realidade ou pelo menos se divertir na longa estrada da vida. De blockbusters a filmes de arte, aprecia o estilo e o trabalho de cineastas, atores e roteiristas, dos quais Stanley Kubrick e Alfred Hitchcock servem como maiores inspirações. Testemunhem, e nos encontramos em Valhalla.