Crítica | Superman: Para o Homem Que Tem Tudo… (Superman Annual #11 – 1985)

estrelas 5

Estamos em um tempo onde os heróis ganham mais espaço nas telonas, e um dos maiores, se não o maior deles, recebeu sua ultima adaptação neste ano. Sim, ele mesmo: O Superman! No filme Superman: The Man of Steel. Desde sua nova chegada aos cinemas de todo o mundo, sempre vemos algum comentário sobre o herói nas redes sociais, de diversas formas. E outra figura não menos importante, mas real, andou causando certa polêmica com seus comentários, ninguém menos que Alan Moore, que você, caro leitor, pode ver aqui.

Mas por que estamos comentando sobre estas duas lendas? Bem, nada melhor do que aproveitar esta certa repercussão, para falarmos sobre uma das fabulosas histórias que Alan Moore roteirizou para o krypitoniano!

Na aventura “Para o homem que tem tudo…”, desenhada por Dave Gibbons, acompanhamos Batman, Mulher Maravilha e o 2º Robin (Jason Todd) seguindo rumo a Fortaleza da Solidão, QG do Superman com o objetivo de lhe dar presentes de aniversário. Nada demais, até a chegada ao local onde se deparam com o kryptoniano paralisado por uma planta alienígena simbiótica que cria na mente de sua vitima, seu maior desejo.

Esta história tem como impacto, o fato dela se ambientar em dois lugares: na Fortaleza da Solidão e no QG do herói, ambas as partes são muito bem detalhadas e principalmente na mente do herói central, que se vê numa Krypton cheia de vida, detalhes até na geologia do local e nomes de cidades… Esta outra “vida” do herói é tão bem explorada por Moore que até nos deixa revoltados com a tamanha crueldade que Mongul, nosso antagonista, fez ao escoteiro da DC Comics.

O épico conto de Alan Moore, nos mostra na cabeça de Kal-El, como seria sua Krypton dos sonhos, com suas religiões, políticas e uma família perfeita. A chegada de seus amigos na sua base e as tentativas de retirar o “parasita” de Superman, começam a influenciar no mundo imaginário do herói, fazendo com que a ultima cena de sua mente iludida, se torne comovente até mesmo para o leitor menos experiente.

Também não falta ação, ao mesmo tempo em que Batman e Robin tentam retirar o alienígena, Mulher Maravilha esta em confronto com o vilão amarelado, Mongul. Outra jogada muito interessante nesta história é que, Batman também se torna vítima do alienígena simbiótico e tem sua mente bombardeada de visões onde vê seus pais vivos e construindo uma família. A tensão vai ficando maior e ao passar das páginas, quando Superman esta livre das ilusões em sua mente, é possível sentir a fúria dos quase imponentes seres, colidindo-se como planetas raivosos…

Com um final surpreendente, desenhos de excelente caracterização e expressionismo, ação e detalhismo em cada quadro, esta com certeza é uma aventura indispensável para todo fã deste grande herói.

Algumas curiosidades: esta história foi muito bem adaptada no desenho Liga da Justiça Sem Limites, no episódio 54. Até as falas são iguais ou próximas em comparação a HQ. Outra coisa é que no final do conto, Superman e Mulher Maravilha se beijam, não exatamente como amigos, mas também, “sem compromisso”, o que mostra que beijos entre ambos já rolou muito antes do reboot da DC Comics para quem não sabia. Por fim, nosso querido leitor pode caçar o encadernado desta e outras histórias de Alan Moore para o homem de aço, que saiu neste ano (2013) como Superman: O que aconteceu ao Homem de Aço?

Aproveite pois é imperdível!

Superman: Para o Homem Que Tem Tudo… (Superman: For the Man Who Has Everything…, EUA – 1985)
Publicado originalmente em Superman: Annual #11
Roteiro: Alan Moore
Arte: Dave Gibbons
Cores: Tom Ziuko
Letras: Dave Gibbons
Editora original: DC Comics
Data original de publicação: 20 de junho de 1985
Editora no Brasil: Editora Abril, Panini Comics
Datas de publicação no Brasil: maio de 1991 (no mix Super Powers #21), outubro de 2006 (no mix Grandes Clássicos DC # 9), janeiro de 2011 (Coleção DC 75 Anos # 3)   julho de 2013 (no encadernado Superman – O Que Aconteceu Ao Homem de Aço?)
Páginas: 41

ERIK BLAZ. . . .Tudo começou quando o meu pai Odin me baniu de Asgard para Midgard... Então eu fui mordido por um vampiro, quando me atacaram com kriptonita e para piorar a situação, vendi minha alma para Malebolgia (em troca de algumas HQs), enquanto meus dons mutantes de controlar o clima surgem pouco antes de ser o escolhido para portar um anel energético e obter a Equação Anti-Vida e assim, salvar todo o multiverso! Mas também possuo uma paixão pela Arte em suas mais diferentes formas e gêneros...Desenho, Pintura, Gravura, Montagens, Teatro... E claro, um louco por histórias em quadrinho e filmes antigos, sem falar na arte de comer muito e dormir pra caramba :'D