Crítica | The Amazing Spider-Man #1 (Marvel NOW!)

estrelas 4

Após meses com Otto Octavius no controle de seu corpo, Peter Parker retoma sua vida normal, ao menos é isso que ele leva a acredita. Os tempos do Homem-Aranha Superior acabaram, mas as consequências daquele novo aracnídeo estão longe de desaparecerem. A primeira edição de The Amazing Spider-Man explora justamente a forma como Parker lida com tais efeitos de sua ausência.

Dan Slott constrói um roteiro sem arriscar muito. Trata-se de um capítulo de reajuste, para que não só os nova-iorquinos, como os próprios leitores se acostumem novamente com o velho Aranha. Enfim voltamos a ver o humor do herói e as situações inusitadas que apenas Peter conseguiria entrar – como a própria Mulher-Aranha ressalta em um trecho do quadrinho. Dessa forma, nas poucas páginas da edição, somos levados de personagem a personagem que foi afetado no arco anterior do Aracnídeo.

Mesmo a destruição causada pela história Goblin Nation (parte final de Homem-Aranha Superior) não consegue tirar o tom mais alegre da narrativa deste primeiro capítulo (algo que fica claro já pela capa da revista). Tal fator é amplificado pelo traçado de Humberto Ramos. Personagens como o próprio Peter ganham um ar de jovialidade que muito se encaixa com este novo começo para o protagonista. Há menos seriedade nos desenhos e um elemento cômico maior, garantindo uma sinergia com o tom da obra.

O maior mérito da revista, contudo, está justamente na justificativa de se reiniciar a numeração. Slott nos entrega inúmeros motivos para realmente acreditarmos que estamos vendo uma verdadeira nova fase do herói. Com isso em mente, as primeiras páginas são utilizadas para reintroduzir a origem do Aranha – seu acidente com o aracnídeo radioativo. Neste ponto, porém, é apresentado um problema no traçado que retrata os personagens com aparência mais velha, contrastando com o fato deste ser um flashback de Parker ainda no colégio.

A primeira edição no novo The Amazing Spider-Man é uma obra que agradará tanto a novos leitores quanto aos fãs que já acompanhavam o arco do Homem Aranha-Superior. É um novo começo para o personagem que, mesmo assim, conta com os elementos os quais já estamos acostumados: a comédia, as situações inusitadas e o grau de “humanidade” do herói, que, não importam seus poderes, ainda tem de lidar com os problemas mais comuns do dia-a-dia de qualquer um. Por mais que não insira uma grande problemática, possui um cliffhanger que certamente deixará os leitores ansiosos pela próxima edição. É uma boa recepção para a volta de Peter Parker.

The Amazing Spider-Man #1  – EUA
Roteiro: Dan Slott
Arte: Humberto Ramos
Editora (nos EUA): Marvel Comics
Editora (no Brasil): Panini Comics
Lançamento (nos EUA): 16 de abril de 2014
Lançamento (no Brasil): Ainda não publicado

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.