Crítica | The Bridge (EUA) – 1ª Temporada

estrelas 4

Sabe aquela série da qual você ouviu falar diversas vezes, ficou interessado, mas sempre esquecia de assistir? Pois bem, The Bridge consta nessa lista e graças ao Netflix pude consertar meu erro.

A série se passa entre as cidades de El Paso no Texas e Juarez no México onde dois policiais precisam se ajudar para desvendar o caso de um corpo que foi encontrado na divisa entre as duas fronteiras. Do lado do Texas temos a enervante Sonya Cross, interpretada por Diane Kruger que possui Síndrome de Asperger (ainda que não fique claro na série) e com isso tem problemas de socialização e empatia para com os outros. O único que a entende é seu chefe, que possui relação de anos com a moça como descobrimos mais para frente. Do lado do México temos o simpático Marco Ruiz, interpretado por Demian Bichir e que precisa dar um jeito de contornar a situação dos Cartéis e policiais corruptos em Juarez, enquanto prossegue com a investigação.

The Bridge possui uma temporada curta, com apenas 13 episódios, mas todos eles são importantes e extremamente bem elaborados. A trama começa com a investigação sobre o homicídio de uma famosa juíza, que é o corpo na ponte, e a cada nova evidência a história se transforma em algo muito maior e que agrega mais e mais pessoas de interesse ao caso. Não é possível imaginar onde os desdobramentos vão parar. Pois, a cada nova pessoa de interesse adicionada, novas pistas surgem e muito mais perguntas do que respostas. Nesse interím vemos o desabrochar de Sonya e da sua tentativa de se relacionar com Marco, que por sua vez precisa lidar com problemas no casamento devido a mais uma pulada de cerca.

Aqui os personagens não estão apenas tapando buracos. Cada qual possui sua relevância para o seriado e estão direta ou indiretamente ligados ao arco principal, mesmo que possuam uma história paralela.

Como por exemplo o Jornalista Daniel Fryer, vivido por Matthew Lillard e que é o elo de informações principais entre o serial killer e a policia de El Paso. Seu personagem é um alcoolatra, fanfarrão e que pode parecer insignificante a princípio, porém, Fryer está mais conectado ao caso do que todos poderiam imaginar, até ele mesmo. Por outro lado, a personagem de Annabeth Gish é mal aproveitada e seu arco dentro da série é pessimamente construído. Fica claro que sua relevância será maior na segunda temporada, mas isso em nada ajuda sua participação nessa temporada ou sua conexão para com a trama.

Ainda que a primeira temporada tenha um nível alto de tensão, atuações marcantes e um roteiro bem amarrado e redondinho, peca por encerrar a trama em 11 episódios e utilizar os dois últimos para criar uma ponte enorme para a temporada seguinte que calhou de ser a última, infelizmente, mesmo com a versão original sueca seguindo para uma terceira temporada. 

The Bridge – 1ª Temporada (EUA – 2013)
Showrunner
Elwood Reid, Björn Stein e Meredith Stiehm
RoteiroHans Rosenfeldt, Måns Mårlind, Björn Stein, Meredith Stiehm, Elwood Reid, Chris Gerolmo, Esta Spalding, Dario Scardapane, Patrick Somerville, Fernanda Coppel 
Direção: Gerardo Naranjo, Sergio Mimica-Gezzan, Charlotte Sieling, Bill Johnson, Gwyneth Horder-Payton, Alex Zakrzewski, Chris Fisher, Norberto Barba, Keith Gordon, John Dahl, SJ Clarkson
Elenco: Diane Kruger, Demian Bichir, Annabeth Gish, Ted Levine, Thomas M. Wright, Matthew Lillard, Catalina Sandino Moreno, Larry Clarke, Ramón Franco, Mary Pat Gleason, Alejandro Patiño, Emily Rios, Diana Maria Riva, Robert R. Shafer, Ellie Araiza, Juan Carlos Cantu, Carlos Pratts, Johnny Dowers
Duração: 45 min. por episódio (13 episódios no total)

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.