Crítica | The Early Adventures 1X01: Domain of the Voord + Bônus (Contos)

estrelas 3

Equipe: 1º Doutor, Susan, Ian, Barbara
Espaço: Planeta Hydra
Tempo: Indeterminado

Eu sempre achei as histórias de Terry Nation interessantes, especialmente pela tendência do roteirista em escrever arcos-saga, o que sempre dava um sabor diferente às peripécias do Doutor e seus companions, colocados contra inimigos que os perseguiriam por um largo território e que os faziam passar por muitos obstáculos antes de tudo acabar se resolvendo (ou não). Uma das histórias de Nation que eu particularmente acho interessantíssima a concepção geográfica e extremamente sem graça a execução geral é The Keys of Marinus, arco onde temos a apresentação dos Voords, o vilão que ganha mais um capítulo neste Domain of the Voord, escrito por Andrew Smith.

A história abre a nova linha de produção da Big Finish, intitulada The Early Adventures, a série que basicamente veio “substituir” outras duas finalizadas entre 2013 e meados de 2014: The Lost StoriesThe Companion Chronicles, respectivamente. O curioso é que a nova série possui elementos dessas duas citadas, com grande destaque para os acompanhantes do Doutor e a mistura de narração mais diálogos, só que, desta vez, com full cast.

Infelizmente, o início desta nova linha não foi assim tão glorioso. Andrew Smith até que faz um bom trabalho ao nos trazer novidades que jamais imaginávamos em relação aos Voords (a máscara e a pessoa dentro dela lembra muitíssimo a concepção dos Cybermen), e o início da história é tremendamente empolgante, mas não demora muito e a trama se torna enfadonha, recuperando o fôlego apenas no final, quando já era tarde para sacudir o espectador.

O grande problema está no desaparecimento do Doutor nos episódios 2 e 3 e no desaparecimento de Barbara no episódio 2. A ausência é despropositada e a justificativa para isso talvez seja a tentativa da produtora em não exigir tanto de William Russell, que já está com 90 anos de idade (2014) e ainda interpretando seu eterno personagem Ian e também o 1º Doutor. No entanto, por se tratar de um roteiro original e se este foi realmente o motivo, por que não seguir um outro caminho? E se porventura o motivo para o desparecimento do Doutor foi apenas um ponto de suspense no roteiro, infelizmente, ele não funcionou.

Há um grande destaque para a arquitetura e geografia do Planeta Hydra e uma impressionante estrutura bélica e social colocada como pano de fundo, mas esses elementos funcionam fechados em si, não conseguem salvar a lentidão dos episódios intermediários e recompor o clima interessante que o início da aventura nos prometera. O que não podemos deixar de admitir é a semelhança do texto de Smith com a estrutura dos episódios de Terry Nation, tanto no andamento quanto na característica central da trama.

O maior destaque técnico do áudio vai para a excelente trilha sonora composta por Toby Hrycek-Robinson, que também assina o desenho sonoro. A suíte composta para os Voords lembra um pouco a concepção da música para os Cybermen em The Tomb of the Cybermen, e funciona perfeitamente com alguns de seus trechos para a transição entre os blocos cênicos dos episódios.

Entre os horrorosos gritos de Susan (por quê, Andrew Smith, por quêeeee?) e uma história que quase não sai da linha mediana, Domain of the Voord é o início de série que podia ser melhor. É claro que se trata de um bom arco, mas a esta altura do campeonato e para começar uma nova linha de produção, faltou o toque de Midas da Big Finish.

Domain of the Voord está localizado entre O Reino do Terror e Planeta dos Gigantes.

Episódios

1. The Floating City

2. Return to Terror

3. Behind The Mask

4. Fightback

.

Bônus (Contos)

The Sons of Grekk. Um conto de bastante ação para o Doutor nessa idade mais avançada… A TARDIS se materializa em um planeta desconhecido e a primeira coisa que o Doutor vê no scanner é a cabeça de um porco. Ele percebe que existe um robô levando comida para um determinado lugar e segue o cheiro até se ver no salão de um banquete em um castelo de ricas tapeçarias. O Doutor é percebido e acusado de ser espião dos Crustians, inimigos dos então denominados Sons of Grekk. Ele é jogado em um buraco (cratera de um vulcão desativado) e descobre a história do lugar. A partir daí, ele realiza uma jornada para libertar a si e os Crustians (diversos tipos de animais) que também estavam prisioneiros.

Annual_1967_The_Sons_of_Grekk_2-doctor-who

The Early Adventures 1X01: Domain of the Voord (Reino Unido, setembro de 2014)
Direção: Ken Bentley
Roteiro: Andrew Smith
Elenco: William Russell, Carole Ann Ford, Daisy Ashford, Andrew Dickens, Andrew Bone
Duração: 120 min. (divididos em 4 episódios)

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.