Crítica | The Early Adventures 2X01: The Yes Men

Doctor-Who-The-Yes-Man

estrelas 4

Equipe: 2º Doutor, Ben, Polly, Jamie
Espaço: New Houston
Tempo: Futuro

Enfim a série The Early Adventures volta para sua 2ª Temporada, agora dedicada ao 2º Doutor. Com roteiro de Simon Guerrier, The Yes Men, o arco de abertura deste ano, traz o interessante (e que deveria ter permanecido por muito mais tempo na TV) time de companions formado por Ben, Polly e Jamie; que chegam com o Doutor em New Houston, uma colônia do planeta Terra, no chamado Fourth Sector e onde o Doutor já havia estado no passado, ao lado de Dodo, mas não fica exatamente claro em que momento de sua timeline isso aconteceu.

A trama começa com o sempre bem humorado clima que marcou as aventuras desse time de companions entre The Highlanders e The Faceless Ones, com Ben e Polly tirando sarro do Doutor, dizendo que ele não conseguia levá-los para Londres, em 1968. O Senho do Tempo, claro, fica magoado e tenta levar a TARDIS até o lugar, mas algo acontece e eles acabam chegando a New Huston, onde está acontecendo o funeral de um antiga amiga do Doutor, alguém que ele conhecera em sua visita anterior ao local: Meg Carvossa.

Simon Guerrier passa do humor e companheirismo entre os viajantes para uma atmosfera de mistério, que vai crescendo a cada nova exploração e aos poucos dá lugar a uma ameaça, que acaba separando o grupo em duas duplas, o Doutor + Polly de um lado e Ben +Jamie de outro, cada um dos grupos vivendo uma aventura diferente que se encontra ao final da trama.

Anneke Wills, Frazer Hines, Elliot Chapman: Doctor Who - The Yes Men

Elliot Chapman (Ben), Anneke Wills (Polly) e Frazer Hines (Jamie) durante as gravações de The Yes Men.

O principal mérito do texto é a surpresa que guarda para o público, escondendo e revelando coisas realmente chocantes ao longo da história. Mesmo que o enredo seja um pouco confuso na fixação de um “partido moral” de cada um dos envolvidos (o que nos faz mudar constantemente a opinião de quem é bom ou mau), os encontros e desencontros mesclados a ameaças, armas apontadas, prisões e tratamento dado aos viajantes torna a jornada atrativa e muito divertida.

A interpretação do trio principal, formado por Anneke Wills (Polly / narradora), Frazer Hines (Jamie / 2º Doutor) e Elliot Chapman (Ben, um papel interpretado na TV pelo falecido Michael Craze) faz o arco ser ainda melhor, uma vez que não existem exageros ou faltas na performance do grupo, um padrão que se estende igualmente para o elenco de apoio, também magnífico.

Meu único porém em relação a The Yes Men (título que é uma piadinha de Ben na história) é a colocação dos robôs, que começam dentro de um padrão orgânico e se desenvolvem de maneira confusa, um pouco forçada ao final, quando assimilam o grito de batalha do clã de de Jamie e partem para a “revolução” contra os humanos. Mesmo assim, a história traz uma ótima reflexão sobre as relações entre homens e máquinas — algo que teremos que fazer, daqui a algumas décadas — e o estabelecimento do que deve ser uma sociedade. Afinal, se estamos falando de seres muitíssimo inteligentes, eles não teriam que ter a oportunidade de integrar-se à sociedade como qualquer outro ser muitíssimo inteligente? Fica o pensamento.

The Early Adventures 2X01: The Yes Men (Reino Unido, set, 2015)
Direção: Lisa Bowerman
Roteiro: Simon Guerrier
Elenco: Anneke Wills, Frazer Hines, Elliot Chapman, Lizzie McInnerny, Stephen Critchlow, Timothy Speyer, Jane Slavin
Duração: 120 min. (em 4 episódios)

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.