Crítica | The Early Adventures 2X02 e 3: The Forsaken / The Black Hole

Dirigidas por Lisa Bowerman, as duas aventuras aqui criticadas fazem parte da 2ª Temporada das Early Adventures, dedicada ao 2º Doutor. Lançados respectivamente em outubro de novembro de 2015, os episódios finalizaram as publicações da Big Finish nesta série durante o presente ano, servindo como uma espécie de mid-season até o último episódio da temporada, The Isos Network, lançado em janeiro de 2016.

Ah, e é importante lembrar que as críticas abaixo possuem spoilers!

.

The Forsaken

estrelas 4,5

early adventures theforsaken - theforsaken_plano-critico-doctor-who

Equipe: 2º Doutor, Ben, Polly, Jamie
Espaço: Cingapura
Tempo: 1942

Depois da exibição televisiva do arco The Highlanders (1967), a BBC resolveu abandonar o modelo de aventuras puramente históricas, optando mais por enredos com ficção científica, fantasia e elementos de outros gêneros que quebrassem o teor didático que aqueles arcos possuíam. Foi uma mudança grande para a série, que desagradou a muitos familiares que viam em Doctor Who a oportunidade de seus filhos (e eles mesmos) aprenderem um pouco mais sobre determinados períodos da História da humanidade. Hoje, percebemos que essa mudança não excluiu a História e ainda deu a oportunidade para a série reinventar-se, criando alguns dos ingredientes necessários para a sua longevidade.

Seguindo essa linha de História + sci-fi, The Forsaken leva o 2º Doutor, Ben, Polly e Jamie para uma das ilhas de Cingapura durante a invasão japonesa de 1942. O cenário é claustrofóbico, a base britânica é formada por poucos soldados e Polly é a primeira do grupo a ver a criatura que os ameaça neste drama, algo que se parece com o Ceifador. No meio de uma floresta, rodeados por inimigos e perseguidos por algo que parece a morte, o grupo irá se unir e organizar uma caçada ao insólito vilão. E este é o ambiente e a situação dessa história.

Há muito que eu venho considerando fortemente esse time de companions (Ben, Polly e Jamie) muito melhores do que já eram na TV, o que significa que é impossível não se apaixonar por eles nos áudios da Big Finish. Esta aventura, em especial, nos reserva um bom terreno dramático para explorar, porque Ben encontra seu pai em um tempo em que ele ainda não era pai, o que causa um fator paradoxal interessantíssimo (o paradoxo do pai/avô refigurado) e que traz um desfecho bem humorado, com a questão da escolha do nome para o filho do soldado James “Jacko” Jackson.

O roteiro de Justin Richards mistura comédia, terror e ficção científica da maneira mais dinâmica e bem orquestrada possível. Há apenas algum exagero na primeira fase de perseguição que o vilão faz, mas a trama volta aos trilhos no menor espaço de tempo, finalizando a perseguição de forma ideal e colocando mais um tijolinho no relacionamento do Doutor e seus companions, além de detalhes ainda inéditos sobre a vida de um deles. Uma grande aventura com excelente direção e elenco, destacando-se, como sempre, Frazer Hines como Jamie e como Doutor.

The Early Adventures 2X02: The Forsaken (Reino Unido, out, 2015)
Direção: Lisa Bowerman
Roteiro: Justin Richards
Elenco: Anneke Wills, Frazer Hines, Elliot Chapman, Ben Nealon, Michael Jibson, Oliver Jackson, Gabrielle Glaister
Duração: 120 min. (em 4 episódios)

.

The Black Hole

estrelas 3,5

The_Black_Hole_doctor who - theblackhole_plano-critico-doctor-who

 

Equipe: 2º Doutor, Jamie, Victoria
Espaço: Estação de Pesquisa Espacial próxima a um buraco negro
Tempo: Indeterminado

A Big Finish tem se provado uma empresa dos sonhos para qualquer whovian, mesmo quando não acerta completamente ou não entrega uma obra-prima. Este é o caso desta importantíssima história escrita por Simon Guerrier e muito bem dirigida por Lisa Bowerman: The Black Hole.

O enredo cria toda uma preparação e uma importante justificativa para explicar a aparição do Doutor e Jamie (mais velhos) em The Two Doctors. O mais interessante ainda é que, por se tratar de um texto com viagens no tempo, paradoxos temporais e andamentos diferentes de tempo (pois os personagens ora estão e ora não estão orbitando o buraco negro) a aparição se desloca da sequência cronológica de onde aconteceu para o Doutor, logo após The Ice Warriors, e os joga o futuro de sua própria timeline, na Temporada 6B, existindo, portanto, dois Doutores, duas TARDISes e dois Jamies nessa aventura. O afastamento de Victoria é explicado pelo sequestro dela pelo Monge, no presente; e pelo fato dela já estar com os pais adotivos em Fury from the Deep, no passado. Ou seria o contrário?

Uma coisa fica clara no roteiro: o Doutor e Jamie fizeram uma série de viagens ANTES de retornarem para a estação de pesquisa, um ‘espaço em branco’ na história que facilmente podemos usar para preencher com o amplo material do universo expandido.

A trama geral pode ser lida mais ou menos de forma coesa a partir do seguinte princípio: O Monge (sim, aquele mesmo de The Time Meddler, agora regenerado) descobre que os Sontarans estão prestes a atacar a estação espacial, então ele imagina que este momento pode ser perfeito para armar uma armadilha de vingança, como ele mesmo diz a Victoria, para o Doutor. Ocorre que a CIA também descobre a ocorrência futura da invasão e envia ela mesma um de seus melhores agentes + um acompanhante para, ironicamente, interferir de alum modo: o 2º Doutor e Jamie da Temporada 6B!

E aí voltamos um pouquinho para The War Games, a fim de fechar o ciclo: a CIA orienta o Doctor a ir até a estação espacial e colocar um fim definitivo nos experimentos de viagem no tempo. O Doctor pede para que Jamie seja seu companion, então os Time Lords deveriam desfazer o roubo de memória que fizeram no rapaz. O Doutor, porém, pede para que apenas uma parte dos eventos passados voltem para Jamie, talvez para tornar menos sofrida para o companion a inevitável futura despedida — menos tempo, menos apego… Acontece que nessa escolha, resquícios dos eventos de The Black Hole — a parte da história que eles viveram após The Ice Warriors — volta à mente do companion. Estas sombras do passado tornam-se uma espécie de “primeiro contato” dele com o Doutor e os eventos de The Two Doctors tomam lugar a partir desse ponto…

Não se trata de uma história simples, é claro, e há ainda o pecado da complicação desnecessária no segundo episódio, que torna a vida do ouvinte ainda mais difícil. Porém, com as excelentes interpretações, uso de trilha e efeitos sonoros e uma direção que nos faz lembrar muito o espírito dos episódios da Série Clássica, somos convencidos a ver toda a trama com outros olhos, além, é claro, de considerar a sua grande importância para a organização desse “momento extra” da vida do 2º Doutor.

The Early Adventures 2X03: The Black Hole (Reino Unido, nov, 2015)
Direção: Lisa Bowerman
Roteiro: Simon Guerrier
Elenco: Frazer Hines, Deborah Watling, Rufus Hound, Janet Dibley, Anthony Keetch, David Warner
Duração: 120 min. (em 4 episódios)

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.