Crítica | The Flash 1X04: Going Rogue

estrelas 4

Não sei explicar bem, mas criei uma teoria (não muito exata) de que o quarto episódio de algumas séries acabam sendo o ponto alto da mesma. Aquele que se torna o plot twist, mesmo estando tão no início da série ou a introdução de um novo personagem que pode bagunçar toda a trama.

 Foi o que aconteceu nesse episódio de The Flash com a chegada de não um, nem dois, mas sim, três personagens que irão sacudir bastante o mundo do nosso herói. Uns mais rápidos do que outros.

Barry é o homem mais rápido do planeta, mas, quando o assunto são coisas do coração, ele está em último lugar. E a chegada de Felicity em Star City vai balançar um pouco mais a situação. Animado por reencontrar a amiga, ele mostra seus poderes e a leva para o laboratório apresentando-a a sua equipe, seus novos amigos. Felicity fica muito empolgada com tudo, principalmente quando o Dr.Wells afirma conhecê-la e muito bem. Porém, a visita é interrompida, pois há um novo e poderoso vilão na cidade em posse de uma arma que é letal para o Flash. Acontece que a arma foi roubada do STAR Lab e construída por ninguém menos que o próprio Cisco. Barry não aceita a traição muito bem, menos ainda o Dr. Wells. Agora, resta ao Flash encontrar um jeito de parar esse vilão, o Capitão Frio, antes que ele cause ainda mais estragos na cidade. Contudo, ele terá a ajuda de seus amigos que ganham coragem graças a uma injeção de ânimo de Felicity.

Esse episódio foi um dos melhores até agora e não apenas pela aparição da atriz Emilly Bett-Rickards, que particularmente adoro, mas também por toda a nova safra de easter eggs e personagens que serão recorrentes até o final da série. E também porque Grant Gustin parece cada vez mais confortável na pele do herói.

Por mais que muitos possam achar que o episódio foi um tanto meloso demais, é graças a Felicity que finalmente Barry, Cisco e Caitlin se tornam de fato uma equipe. Agora eles entendem realmente o que estão fazendo e o que mais será necessário fazer daqui para frente para garantir a segurança da cidade assim como a do próprio Barry. Ponto para ela que serviu de guia, além de todas as ótimas referências com o seriado Arrow. Hilário.

No lado vilanesco do episódio, Wentworth Miller saiu-se muito bem no papel do Capitão Frio, incluindo o figurino. Ele será um personagem recorrente nessa temporada, assim como outro vilão ao qual ele convida no final do episódio e que não deu as caras, mas, já sabemos se tratar de Mick Rory que será interpretado pelo ator Dominic Purcell que era o irmão de Miller na série Prison Break, ou seja, tudo em família. Rory que é a verdadeira identidade do vilão Onda Térmica irá aparecer apenas como protagonista no episódio 10 dessa temporada e não se sabe ainda em qual contexto. Nos quadrinhos (Novos 52) Rogue ou Galeria de Vilões (que tradução foi essa?) é um grupo de vilões, como o nome já diz, do qual o Capitão Frio e Onda Térmica fazem parte. No entanto, Onda Térmica não está satisfeito por seguir ordens do Capitão e se desentendem com certa frequência. O título desse episódio, Going Rogue, é certamente o começo de tudo e mais vilões vão se unir a causa.

P.S: Agora, se tem uma coisa que me intriga é o fato de nunca ter visto o ator Wentworth Miller sem ser com camisas de manga comprida. Será que ele possui de verdade todas aquelas tatuagens que ostentava em Prison Break?

The Flash 1×04: Going Rogue (EUA – 2014)
Showrunner: 
Andrew Kreisberg, Greg Berlanti
Direção: Glen Winter
Roteiro: Geoff Johns, Kai Yu Wu
Elenco: Grant Gustin, Candice Patton, Rick Cosnett, Danielle Panabaker, Carlos Valdes, Tom Cavanagh, Jesse L. Martin, John Wesley Shipp, Patrick Sabongui, Michael Smith, William Sadler, Michasha Armstrong, Evelyn Chew, Emily Delahunty, Amina El Khatib, Logan Williams
Duração: 43 min.

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.