Crítica | The Flash 1X12: Crazy For You

estrelas 4Preparem os lenços de papel e coloquem as cebolas de lado, porquê dessa vez, os ninjas pegaram pesado.

O episódio começa com o Flash salvando o dia mais uma vez e depois, seguindo com a sua vida. Longe dali, no presídio de Iron Heights, há um carro parado com uma moça que observa através de uma luneta a prisão. Num piscar de olhos ela está lá dentro e enquanto foge dos guardas, se teleportando a todo instante, busca por uma cela em específico. Ela finalmente a encontra e tira o preso de lá de dentro. Os dois se beijam e seguem no carro.

Ao chegar na prisão junto com Joe para investigar a fuga, Barry encontra algumas partículas que formam uma trilha que vai até o exterior da prisão e que certamente, foi deixada pela garota. Enquanto vasculha a cela, Barry dá de cara com seu pai na porta que informa que os detentos não vão contar nada sobre a fuga para eles e promete tentar conseguir informações. O encontro dos dois é bem emocionante e tudo arquitetado por Joe.

No dia seguinte, a garota e o namorado conversam a respeito dos seus poderes que ela não sabe de onde vieram. No STAR Lab, Caitlin faz a varredura no DNA encontrado por Barry na cena do crime e descobre a identidade da menina, Shawna Baez e consequentemente do seu namorado. Cisco continua tentando arrancar de Hartley as informações que ele tem sobre o Ronnie, mas o vilãozinho se mostra irredutível e faz algumas exigências, para a tristeza de Cisco que quer ajudar sua amiga e também, aliviar um pouco a culpa que sente por ser responsável em ter trancado o Ronnie dentro do acelerador de partículas. Joe e Barry são chamados as pressas para a prisão, pois seu pai está na enfermaria. Henry andou se intrometendo demais e alguns presos não gostaram. Os dois tem um momento bastante emocionante e é hora de pegar aquela caixa de lenços, lembra? Flash aparece para consertar a situação e parte atrás da meta-humana da vez. Porém, mesmo com sua supervelocidade, ele não consegue determinar aonde ela vai estar e ao saber disso, Cailtin acaba apelidando-a de Peek a Boo (algo tipo esconde-esconde). O Flash agora precisa descobrir como vai fazer para capturar a meta-humana e também seu namorado que trabalha para mafiosos de Central City.

Deixa enxugar as lágrimas aqui.

Considero a ligação entre Henry e Barry extremamente emocionante. E isso vem muito da excelência da atuação de ambos e a emoção que acaba transparecendo para nós espectadores. Foi uma ótima ideia, mesmo dentro dos muros da prisão, unir os dois que a muito ansiavam por isso. Por outro lado, dessa vez mais cômico, foi a reação da Iris ao ver e sentir pela primeira vez que ela pode não ser a única mulher na vida do Barry. Espero apenas que nada mude entre os dois e sei que estou sendo repetitiva, mas, bem diferente do pai e filho, aqui, não há qualquer química entre os atores e uma relação amorosa apenas ficaria muito forçado, estragando um seriado que está caminhando tão bem.

E mais uma página no mistério do Ronnie foi revelado graças ao Hartley e assim, descobrimos que ele acabou se fundindo com o professor Stein. Algo que também havia comentado aqui, mas que deve ser melhor explicado no próximo episódio que será inteiramente focado no personagem do Nuclear.

A cena no karaokê foi simplesmente sensacional com o Barry e a Caitlin estreitando os laços de amizade. Contudo, a cena final, após o logo da série, pode ser considerada a cereja do bolo. Vocês não queriam ver o Gorila Grodd? Apareceu bem mais do que isso e parabéns, ficou muito bem feita a cena toda e, como não poderia deixar de ser, Grodd está em CG e não vi mal algum nisso. Ok, que ele apareceu bem pouco, ainda assim, melhor que nada. O clima de suspense encerrou bem o episódio.

The Flash 1X12: Crazy For You (EUA, 2015)
Showrunner: 
Andrew Kreisberg, Greg Berlanti
Direção: Rob Hard
Roteiro: Greg Berlanti, Andrew Kreisberg
Elenco: Grant Gustin, Candice Patton, Rick Cosnett, Danielle Panabaker, Carlos Valdes, Tom Cavanagh, Jesse L. Martin, Victor Garber, Malese Jow, Andy Mientus, Britne Oldford, Micah Parker, John Wesley Shipp, Fraser Aitcheson, Douglas Chapman
Duração: 45 min.

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.