Crítica | The Flash 1X16: Rogue Time

estrelas 3,5E se tivemos no episódio passado emoção que não demos conta, nesse que segue, foi bem morno e serviu apenas para apresentar novos personagens e responder algumas questões, mas, não da maneira que gostaríamos.

Flash voltou exatamente para o ponto em que estava se encaminhando para o necrotério e então percebe que já havia estado ali e que tudo estava se repetindo, tipo o dia da marmota. Com isso relembra de todos os fatos que aconteceriam naquele dia devido a aparição de um dos irmãos Mardon e os problemas que o meta-humano causaria Porém, é alertado pelo Dr. Wells a não alterar a linha do tempo, pois acarretaria em outros problemas possivelmente piores. É óbvio que o velocista não segue os conselhos dados por Wells e num impulso invade o esconderijo do Mardon e o leva preso pensando assim que estaria salvando Joe de ser sequestrado, o Capitão de ficar incapacitado e mesmo não sabendo, salvando a vida de Cisco. Porém, os problemas que Mardon traria são entregues pela dupla de sempre Capitão Frio e Onda Térmica, agora acompanhados pela irmã de Snart. Para completar quem é sequestrado é o Cisco juntamente com seu irmão e obrigado a criar novas armas para os vilões. Se apenas isso não bastasse, Capitão Frio tortura o irmão de Cisco fazendo com que o garoto revelasse a verdadeira identidade do Flash que mais uma vez é desprezado por Iris, já que como a declaração dela não aconteceu realmente, o rapaz acaba enfiando os pés pelas mãos e embolando tudo nessa sucessão de eventos que parece não ter mais fim.

Uma pena esse episódio não ter mantido o mesmo nível de tensão do anterior, foi uma verdadeira frustração. No entanto, as explicações e esclarecimentos de alguns pontos foram interessantes, principalmente a questão toda da viagem no tempo e a linha temporal que não deve ser alterada. Wells não escondendo bem sua enorme satisfação ao ver que Barry consegue romper a barreira espaço-tempo, acaba dando conselhos sabendo que o rapaz faria exatamente o contrário, pois tudo o que ele quer é poder evitar que a mãe morra. Ainda assim, Wells lhe diz que alterar a linha do tempo traria consequências muito mais graves, quando na verdade é exatamente isso o que ele quer que aconteça. Desde quando o Wells se preocupa com mortes e ataques? Justo ele que criou o Grodd e o “soltou” em cima do General Eiling? Aham.

No fim, caso essa seja mesmo a decisão final de Barry, vai ser curioso descobrir como os produtores farão isso acontecer na série, provável que fique para a segunda temporada, pois vai alterar toda a linha do tempo, incluindo as relações interpessoais. O exato ponto da minissérie de Flashpoint Paradox, desculpe a repetição.

Os vilões foram mais do mesmo, igual das outras vezes em que apareceram. Creio que é esse o intuito deles, não serem tão difíceis assim ou mesmo muito criativos, tendo em vista que não possuem poderes próprios e gostam mais de atrapalhar a vida dos habitantes da cidade e do próprio Flash, é claro. Aliás, o acordo entre os dois ficou meio dúbio e não sei se algo de perigoso pode sair dali. Difícil saber se Snart irá cumprir a promessa. Inclusive é nesse mesmo momento que o herói fala da Rogue’s Gallery que mencionei em outro episódio e que se refere a uma espécie de gangue que Snart monta com outros vilões para tentar derrotar o Flash e dominar Central City. Dando a entender que outros nomes podem se unir aos planos do Capitão Frio.

E chegamos ao ápice do episódio, que existiu, amém, apesar de ter sido praticamente morno por inteiro. Barry chamando Joe para uma conversa e dizendo que talvez o detetive esteja certo em desconfiar do Harrison Wells. O que é ótimo, mas, me deixou intrigada, pois, quando foi que ele conseguiu, durante esse episódio confuso e sem citar nada diretamente ao Harrison, chegar a essa conclusão? Se for apenas a reportagem da morte do jornalista é muito pouco, sendo que ele não prestou atenção da primeira vez que ouviu a acusação, na verdade, não deu a mínima para o jornalista, então, qual motivo da mudança repentina? Estranho.

Próximo episódio teremos a participação especial de Mark Hamill. Aguardem!

The Flash 1X16: Rogue Time (EUA, 2015)
Showrunner: 
Andrew Kreisberg, Greg Berlanti
Direção: John Behring
Roteiro: Grainne Godfree, Brooke Roberts, Kai Wu
Elenco: Grant Gustin, Candice Patton, Rick Cosnett, Danielle Panabaker, Carlos Valdes, Tom Cavanagh, Jesse L. Martin, Malese Jow, Dominic Purcell, Wentworth Miller, Liam McIntyre, Nicholas Gonzales, Peyton List, Patrick Sabongui, Joey Aresco, Peter Hall, Fred Henderson, Charlene Luedke
Duração: 45 min

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.