Crítica | The Flash 1X18: All Star Team Up

capaflash18

estrelas 2,5E aparentemente esse episódio não saiu como esperávamos. Creio que o teaser postado na outra crítica mescla cenas de outros episódios, ainda por vir, o que acabou confundindo bastante e criando uma expectativa que bem, não existiu.

Barry ainda está aprendendo a lidar com o fato de que Wells pode sim ser o responsável pela morte de sua mãe. E Joe vem tentando convencer o rapaz de que continuar mentindo é a melhor solução no momento. No entanto, suas desconfianças começam a chegar em Cisco e Caitlin. A boa notícia é que o índice de crimes caiu bastante em Central City desde que Joe e Eddie ganharam a ajuda do Flash. A má notícia é que desde que descobriu quem é o Flash, Eddie vem se distanciando de Iris e a repórter está desconfiada. E, graças a essa redução de crimes, Felicity decide fazer uma visita ao STAR Labs e leva consigo um convidado especial que faz uma entrada quase memorável. Ray chega voando com o traje para o espanto de todos e pede ajuda deles para aprimorar sua invenção. Algo que deixa Cisco bem entusiasmado, mas o mesmo não se pode falar de Barry que está preocupado com o recente ataque causado por abelhas e que deixou uma pessoa morta e eles não fazem ideia que tipo de poderes possui esse meta-humano. Felicity sempre muito observadora, percebe que algo mais vem incomodado o amigo e começa a questioná-lo mas ele se esquiva. Outro ataque acontece e o Flash é uma das vítimas e quase morre, felizmente é salvo pelo desfibrilador instalado em seu traje por Cisco, retirando assim a sensação de desconfiança que tinha sobre o amigo. Entretanto, a identidade do vilão, que é na verdade uma vilã e não é meta-humana, continua um mistério e poderão contar com a ajuda do Átomo e das habilidades de Felicity que serão mais do que úteis para realizar essa captura.

O episódio foi meio morno e ameaçou o tempo inteiro liberar alguma bomba de drama e tensão, mas ficou apenas nisso, na ameaça.

Barry ameaçava estourar perto do Dr. Wells. Eddie ameaçava contar a verdade para Iris. Cisco começa a ter lembranças do que aconteceu entre ele e Dr. Wells mas fica estático como se não fosse nada de importante. Seu mentor, o homem que você mais admira te matou e você não acha estranho, nem age diferente. Ok. Ainda que tenha achado interessante essa súbita recuperação de memória, quero ver como vão explicar isso.

Esse é provavelmente o maior problema em The Flash, essas inconstâncias nas atuações que refletem não apenas o trabalho precário do diretor do episódio como também um roteiro mais simplista e que nada se compara aos anteriores. Não há necessidade de cortar o clima deixado por um episódio excelente colocando algo muito abaixo na semana seguinte. É possível mesclar bem o conteúdo de cada episódio e ainda assim, deixá-los interessantes como tem sido feito em séries como Demolidor e Agente Carter, citando exemplos dentro da mesma temática. Nem todos os episódios possuíam o mesmo nível de intensidade, porém, souberam trabalhar bem os momentos mais calmos de forma que o espectador não sentisse essa queda brusca na história. Indo um pouco mais longe, é quase fazer o espectador de idiota, como as telenovelas globais que insistem em determinado arco ruim por semanas a fio, sendo que a resposta, estava ali desde o princípio.

A única coisa que salvou esse episódio foi a participação do casal Felicity e Ray que serviu para levantar a moral dos demais personagens e acrescentar sal a esse episódio insosso. A dupla dinâmica formada por Palmer e o Cisco ficou boa, o bilionário não possui tanto carisma quanto Cisco e faz um nerd meio forçado, parecendo mais bobo do que inteligente. E foi impressão minha ou a Cailtin mencionou outros bilionários que também são super heróis? Boa sacada e que serve tanto para personagens da DC Comics e da Marvel. Outro easter egg que explodiu a minha mente, pois não tinha prestado atenção antes, é a participação da atriz Amanda Pays como a cientista responsável pelo Mercury Labs. Ela trabalhou com John Wesley Ship na clássica série do The Flash lá na década de 90 na qual também era cientista, só que do STAR Labs e ajudava a monitorar o velocista, mas esses detalhes ficam para uma possível outra crítica.

Por fim, Barry e Joe decidiram abrir o jogo com Cailtin e Cisco e é aí que o garoto fica novamente com a cara de choque de antes e você pensa que agora é a hora, mas não, outra ameaça. Ele dá a notícia como se tivesse feito café, assim, sendo nada importante. Cadê o clímax do fim do episódio?

The Flash 1X18: All Star Team Up (EUA, 2015)
Showrunner: 
Andrew Kreisberg, Greg Berlanti
Direção: Kevin Tancharoen
Roteiro: Grainne Godfree, Kai Wu
Elenco: Grant Gustin, Candice Patton, Rick Cosnett, Danielle Panabaker, Carlos Valdes, Tom Cavanagh, Jesse L. Martin, Amanda Pays, Emily Bett Rickards, Brandon Routh, Emily Kinney, Marlon Franson, Theresa Wong
Duração: 45 min

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.