Crítica | The Flash 1X20: The Trap

capaflash20

estrelas 4Esse episódio foi provavelmente o mais lotado de easter eggs importantes desde a primeira até a última cena e também não faltou momentos de tensão.

Vemos nosso trio dentro do que o Cisco chamou de Time Vault onde eles descobrem não apenas o uniforme do Flash Reverso, selando de uma vez por todas qualquer dúvida que ainda pudessem ter, como também o jornal com a manchete do futuro em que Barry não apenas descobre que ele vai desaparecer após uma luta com o Reverso, mas que a pessoa responsável por escrever o artigo é ninguém menos que Iris West-Allen, apontando que os dois serão um casal. Cisco brinca felicitando e fala “mazel tov” e acaba despertando Gideon para o espanto do trio. Barry decide fazer algumas perguntas e acaba se surpreende quando a IA lhe informa que foi criada por ele, mas com Wells chegando no laboratório precisam sair dali e rápido. Eles então decidem colocar em prática um plano para fazer com que Wells confesse o assassinato de Norah Allen e finalmente livrar o Henry da prisão. No entanto, os caçadores acabam se tornando a caça numa virada de jogo inesperada.

Com o final da temporada se aproximando é chegada a hora de colocar pontos nos “is” e se preparar para o que vem a seguir. E começou de maneira bem marcada nesse episódio com o Barry descobrindo que eventualmente ele vai ficar com a Iris (bleh), que outras pessoas farão parte da derradeira batalha contra o Flash Reverso como Átomo, Arqueiro Verde (sim, está escrito Green Arrow) e a Mulher Gavião que tem atriz escalada e deve aparecer na série spin-off com alguns personagens de ambos os shows. Gideon ainda iria falar que ele é o fundador da Liga da Justiça, mas ele a corta no meio para fazer outras perguntas.

E o Cisco simplesmente lembrou do que aconteceu com ele, sem qualquer explicação melhor e acho que vai ficar por isso mesmo. Até porque foi o que precisavam para montar a armadilha para o Wells e também mostrar os óculos que fazem parte do personagem Viber dos quadrinhos no qual o Cisco se torna. Os produtores confirmaram que isso acontecerá ainda nessa temporada.

No fim tudo acabou se encaixando e como num passe de mágica eles conseguiram encontrar todas as partes do quebra-cabeça e ainda descobrir, graças as memórias do Cisco, a verdadeira identidade do Wells e que ele veio do futuro. Como se o jornal e a Gideon não tivessem sido motivos o suficiente. Esperava por isso, na verdade queria que isso acontecesse, mas não foi exatamente como havia imaginado. Acho que ficou tão corrido que perdeu um pouco da emoção deles terem finalmente desvendado o segredo.

Continuo adorando a relação do Joe com Barry, é algo que funciona muito bem na série e que serviu para deixar claro que tudo o que o detetive sempre quis foi salvar o filho mesmo não confiando no Wells desde o princípio, provando que não era ciúmes e que a desconfiança não surgiu do nada. Não posso dizer que adoro a Iris, quem acompanha as críticas sabe, mas o fato dela ter descoberto ou quase que o Flash é o Barry apenas por aquela eletricidade que passou de um para o outro, foi um pouco demais. Teria sido melhor ele ter se revelado ali na hora em que foi salvar o Eddie, mais impactante.

O que puxa as dúvidas do episódio: Eddie é sequestrado e ele está de alguma forma ligado ao Wells, mas o cientista não fala como e nem está preocupado se o detetive morrer ou não, ele é meramente uma garantia. De quê exatamente? E que vingança é essa que ele trouxe lá do futuro para matar o Barry que nunca se explica?

A situação só complica e no próximo episódio o velocista escarlate enfrentará um inimigo da pesada: Gorila Grodd.

The Flash 1X20: The Trap (EUA, 2015)
Showrunner: 
Andrew Kreisberg, Greg Berlanti
Direção: Steve Shill
Roteiro: Alison Schapker, Brooke Eikmeier
Elenco: Grant Gustin, Candice Patton, Rick Cosnett, Danielle Panabaker, Carlos Valdes, Tom Cavanagh, Jesse L. Martin, Patrick Sabongui, Peter Bryant, Jesse Fraser, Roger Haskett, Martin Novotny, Jeremy Schuetze
Duração: 43 min

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.