Crítica | The Flash 1X23: Fast Enough

Episódio:

estrelas 5,0

Temporada:

estrelas 4

E, infelizmente, chegou a hora de darmos até logo a primeira temporada sensacional que foi essa série. Não sei como farei para suportar até a próxima.

Algo que não imaginávamos que aconteceria, bem, aconteceu. Graças ao auxílio do Arrow e Nuclear, o Flash Reverso foi derrotado e colocado na prisão como qualquer outro meta-humano comum. No entanto, Thawne não pretende ficar ali por muito tempo e faz uma proposta indecorosa ao Barry, mas, não sem antes revelar toda a verdade por trás do assassinato da mãe do rapaz e em como acabou mudando sua forma de enxergá-lo, assim como Joe, com orgulho. Uma estranha mudança nos fatos. Thawne oferece a oportunidade de voltar no passado e consertar o que houve com Nora, reconstituir sua família. Proposta que deixa Barry tentado, porém, as consequências também precisam ser analisadas e são devastadoras. O presente como ele conhece não chegaria a existir. Tampouco sua amizade com Cisco e Caitlin e a vida que construiu na casa dos West e o elo com Joe. Tudo seria resetado para que ele enfim pudesse ter a chance de reunir sua família. Mas, há outros perigos que envolvem essa empreitada, como a possibilidade de criar um imenso buraco negro acima de Central City caso ele não consiga correr rápido o bastante e voltar no tempo exato. É claro que toda a ajuda e orientação de Thawne tem um preço, poder voltar para o seu tempo. Escolha complicada para o velocista escarlate.

O episódio final foi no mínimo emocionante. E no máximo, primoroso. Não foi necessário uma batalha física entre os dois para desenvolver o mesmo nível de tensão que teve ao utilizar das ligações familiares e sentimentais entre os personagens. Escolha sábia dos roteiristas. Lágrimas rolaram, sorrisos e momentos de espanto.

Todos que acompanharam a série queriam assistir ao momento em que Barry finalmente corre o suficiente para voltar ao passado (e colocaram uma clara referência ao filme De Volta Para o Futuro) e salvar sua mãe. Ele fica duelando para encontrar a resposta correta e quem é que poderia lhe guiar, com todos a sua volta dizendo para ouvir a si mesmo, e no final, é exatamente isso que acontece. Sua versão do futuro lhe aconselha a não intervir e um acena negativo com a cabeça é o suficiente para que o herói entenda que certas coisas não podem ser mudadas. Exatamente as palavras de seu pai ao visitá-lo na prisão.

Ele volta e falha, novamente, ao tentar derrotar o Reverso e Eddie, num impulso louco e levado pelas palavras do Dr. Stein acaba se matando e então, vemos a identidade original do Eobard que começa a se desintegrar aos poucos, liberando assim o tal buraco negro que tanto temiam. O que me faz pensar que esses eventos talvez estejam interligados. Não tem como o Flash Reverso não existir, e com isso, acabou rompendo o espaço tempo de alguma maneira e criando, de novo, outro buraco de minhoca e consequentemente o buraco negro.

Ou seja, o Flash Reverso, ainda que seja o maior vilão do Flash, precisa existir. Para a alegria e tristeza de alguns.

Vimos também a constatação de dois novos personagens, quase cinco na verdade, mas, vou me ater as confirmações concretas. O primeiro foi a revelação de que Cisco, querido, é também um meta-humano e que tem o poder de ver através das vibrações do universo. Viber acaba se unindo a Liga da Justiça nos quadrinhos. Entretanto, confesso que não estou entusiasmada para vê-lo como herói. Com direito a roupa e todo o pacote incluso. Eles devem sim explorar seus poderes, mas não coloca-lo para lutar ao lado Flash e ir atrás dos bandidos. Creio que tal revelação possa vir a ser aproveitada de outra forma que não transformar todo mundo em meta-humano, deixando só Joe e Iris de lado. A outra confirmação, que veio através da passagem do Flash pelos portais do futuro foi a aparição da Killer Frost (a moça loira) que será ninguém menos que a Dra. Caitlin Snow. Não dizem que os opostos se atraem? Ronnie tem o elemento fogo e a esposa terá o elemento gelo. Nada mais apropriado. AH! Nuclear veio para ficar! Horay!

E chegamos a terceira menção de um novo personagem, que também já apareceu, e é o Rip Hunter e fará parte da nova série midseason da The CW Legends of Tomorrow a estrear no ano que vem. A máquina na qual Thawne iria voltar para casa foi criada por Rip e seu pai e é assim que conseguem ir e voltar do futuro. A quarta personagem, que apareceu bem no final do episódio foi a Mulher Gavião papel de Ciara Renee, que deve estar na segunda temporada e também foi confirmada na outra série do canal.

Agora, a menção que mais impressionou foi o capacete do Jay Garrick sendo lançado do buraco de minhoca para dentro do acelerador de partículas. Para quem não sabe, ele é o primeiro Flash criado em 1940 e atualmente é conhecido como o herói da Terra 2. Ele e outros heróis foram enviados para lá antes do arco Crise nas Infinitas Terras, para dar espaço que heróis novos surgissem como o próprio Barry Allen. Apenas esse easter egg dá a entender que na próxima temporada teremos mais episódios relacionados a multiversos, assim como grande parte dos arcos da DC Comics, e, provável participação de personagens importantes.

Dois outros eventos desse episódio fazem referência a Crise nas Infinitas Terras como o fato do Reverso começar a vibrar e então desaparecer, algo que ocorreu com o próprio Flash em um ponto no quadrinho e a Zero Hora: Crise no Tempo quando a singularidade que tanto foi falada cria o buraco negro, espécie de anti-matéria e que ameaça consumir o mundo inteiro, felizmente aqui é só Central City, e por enquanto.

Portanto, The Flash termina com um gancho excelente e nos deixa com a vaga ideia de que veremos mais de multiversos, novos heróis e quem sabe uma temporada com base em Crises nas Infinitas Terras?

Serão longos meses de espera. Boa sorte para todos nós!

The Flash 1X23: Fast Enough (EUA, 2015)
Showrunner: 
Andrew Kreisberg, Greg Berlanti
Direção: Dermott Downs
Roteiro: Gabrielle Stanton, Andrew Kreisberg e Greg Berlanti
Elenco: Grant Gustin, Candice Patton, Rick Cosnett, Danielle Panabaker, Carlos Valdes, Tom Cavanagh, Jesse L. Martin, Robbie Amell, Wentworth Miller, Ciara Renee, Victor Garber, Matt Letscher, Michelle Harrison, Patrick Sabongui, John Wesley Shipp, Logan Williams
Duração: 43 min

MELISSA ANDRADE . . . Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão e está sempre disposta a aprender muito mais. Por isso sou Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado e Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.