Crítica | The Flash 2X13: Welcome to Earth-2

the flash welcome to earth 2

estrelas 3

Obs: Há spoilers. Leiam as críticas dos demais episódios de The Flash, aqui.

Para qualquer entusiasta de ficção científica, realidades paralelas sempre são premissas bem vindas e prometem aventuras interessantes que podem ficar ainda melhor se o “outro Universo” funciona sob regras opostas ou distorcidas em comparação ao Universo conhecido. Sósias e inversões da História acabam ganhando grande destaque conceitual nesses enredos, que só por sua premissa valem ser conferidos — isso para quem gosta de viagem no tempo, paradoxos e todo wibbly wobbly, timey wimey de “sci-fi para cérebros inquietos”. Em 2015, a própria DC Comics investiu pesado nesse conceito com a Saga Convergência, e o Flash e a Força de Aceleração não escaparam da confusão de muitos espaços e tempos do Multiverso, um conceito que enfim ganha lugar em The Flash neste 13º episódio da 2ª TemporadaWelcome to Earth-2.

O final de Fast Lane nos acendeu um pouco as esperanças de que sangue novo poderia ser injetado na temporada e um roteiro que de fato contasse uma história talvez aparecesse. E eis que a surpresa veio. Welcome to Earth-2 não é brilhante nem nada, mas é um bom episódio, focando a maior parte do tempo naquilo que realmente importa — a aventura na Terra 2 — e apresentando disparidades como se estivesse guiando o espectador através de um museu de curiosidades. A diretora Millicent Shelton (que dirigiu The Flash is Born) ignorou um pouco a linha medíocre do roteiro, que ainda expõe o vilão da semana na Terra (desta vez, o Geomancer/Adam Fells, criado em 1999 por Geoff Johns e David S. Goyer para atormentar a Sociedade da Justiça da América) e fez com que todo o bloco a Terra 2 tivesse forte destaque, com lutas e interações mais intensas entre os personagens, além de atuações anos-luz melhores por parte dos atores; e que o bloco da Terra apenas seguisse aquele padrão caixa-fechada-ligada-no-repetidor que conhecemos desde o piloto da série.

O curioso é que mesmo tendo um padrão conhecido em um dos blocos, Welcome to Earth-2 funciona bem justamente porque a direção conseguiu mover o nosso olhar para problemas maiores e melhores histórias. Na Terra 2, até os pequenos sentimentalismos acabam encontrando algum ancoradouro porque são informações “novas”. A linha de acontecimentos também ganha corpo porque se transforma em uma missão: salvar a filha de Wells e impedir Zoom, mas desta vez, de verdade.

Com exceção da parte inicial do episódio o espectador faz bem em se esquecer tudo o que se passa na Terra e pensar apenas na trama da Terra 2. Ali, a graça dessa união de universos é explorada a contento e mesmo com algum exagero na vida pessoal de Barry Allen — isso já era esperado, não é mesmo? — o texto segue bem. E justamente por isso, é válido perguntar: por que continuar fazendo o ciclo do eterno retorno girar na Terra se coisas melhores poderiam ser exploradas, como dar importância a Jay ou desenvolver de verdade Wally West? Aliás, o cameo risível que o personagem tem na história só não consegue ser tão risível quanto a revelação de Jay para o que era de fato o V6 e o que vem a seguir, o desenvolvimento de um V7 e a promessa de que um V8 que está a caminho. Com tanta coisa para criar, com tantas pontas soltas para puxar até a linha principal da série, os showrunners imaginaram que seria bom e bonito deixar personagens perseguindo o próprio rabo em uma Terra enquanto na outra uma boa história mostrava como The Flash de fato deveria ser.

Fazia algum tempo que um cliffhanger de The Flash não empolgava tanto como o deste episódio para o seguinte, Escape from Earth-2. A aparição de Zoom ao final foi interessante e agora, dentro de um contexto que lhe é próprio, o vilão se tornou ainda mais ameaçador. Seria interessante ver outros aspectos de organização da Terra 2, nem que fosse por breves citações, como algumas importantes instituições, sósias de personagens importantes na Terra e o impacto real que Zoom pode ter causado na linha desse Universo. É óbvio que é uma esperança colossal em se tratando de CW, mas pelo menos migalhas dela tivemos aqui e é provável que outras virão em Escape from Earth-2. Pelo menos uma vez, é bom ver algum tratamento interessante — ao menos em um único bloco — em The Flash. Pena que isso logo logo acaba.

The Flash – 2X13: Welcome to Earth-2 (EUA, 9 de fevereiro de 2016)
Direção: Millicent Shelton
Roteiro: Greg Berlanti, Andrew Kreisberg, Geoff Johns
Elenco: Grant Gustin, Candice Patton, Danielle Panabaker, Carlos Valdes, Keiynan Lonsdale, Tom Cavanagh, Jesse L. Martin, Robbie Amell, Teddy Sears, Demore Barnes, Violett Beane, Michelle Harrison, Michael Rowe, Patrick Sabongui, Adam Stafford
Duração: 42 min.

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.