Crítica | The Flash – 4X04: Elongated Journey Into Night

– Há spoilers. Leiam as críticas dos demais episódios de The Flash, aqui.

Seriados com mais de vinte episódios ocasionalmente nos entregam alguns fillers a fim de permitir que a trama principal se estenda pela duração total da temporada, mas nem sempre esses “tapa buracos” ocupam episódios inteiros, preenchendo apenas parte de determinados capítulos, com subtramas fechadas em si próprias e sem grande repercussões na linha narrativa central. É exatamente isso o que vemos em Elongated Journey Into Night, que traz a participação especial de Danny Trejo, possivelmente o ator com o maior número de cameos na história do Cinema e Televisão.

Em Luck Be a Lady descobrimos que o retorno de Barry da Força de Aceleração abriu um portal que despejou matéria negra em um ônibus em Central City, fazendo com que todos os passageiros ganhassem habilidades especiais, como foi o caso do excesso de sorte da antagonista do capítulo anterior. Aqui, Barry vai de encontro a um velho conhecido, o ex-policial Ralph Dibny (Hartley Sawyer), que agora se tornou um homem-elástico. Enquanto isso, Cisco deve lidar com o pai de sua namorada, que decide caçá-lo até a morte.

Chega a ser angustiante enxergar como toda a subtrama envolvendo Cisco e Breacher soa completamente desconexa de todo o restante do episódio. Pior ainda é o fato que todos, exceto Harry Wells, parecem ignorar essa caçada, não dando a mínima para a segurança do amigo. Claro que a intenção é criar um pequeno arco mais cômico, mas isso é feito às custas de qualquer verossimilhança. Existe apenas uma tentativa, próximo ao fim do capítulo, em fazer Breacher caçar Dibny, mass isso é realizado de maneira tão artificial que chega a ser risível, deixando bem claro o quão desnecessária foi essa aparição de Trejo no seriado, por mais que sua interação com Cisco proporcione algumas risadas.

Já na trama principal, toda o antagonismo entre Barry e Ralph é incapaz de nos convencer, visto que o personagem simplesmente surgiu, convenientemente, de uma hora para a outra, em uma tentativa de explorar o passado do velocista, que mais soa como um detalhe pensado de última hora. Claro que a falta de expressividade de Grant Gustin não ajuda, que mais parece dopado durante todo o episódio, especialmente quando o roteiro de Sterling Gates e Thomas Pound insere comentários sobre Joe West estar “brilhando” (ou algo assim) – Gustin, ao dizer isso, mais parece que está sob efeito de alucinógenos do que efetivamente percebendo que seu sogro terá outro filho(a) em breve.

A cereja no topo do bolo é a confusa, desnecessária e bastante artificial (para não falar de anticlimática) subtrama envolvendo o prefeito, que segue por vias completamente sem sentido, ignorando por completo a importância política do sujeito. O simples fato dele tentar sequestrar West é inexplicável, não fazendo o mínimo sentido – ponto incluído no roteiro como tentativa clara de criar um final mais dramático, forçando a cooperação de Dibny e Allen, nos proporcionando com um momento de real vergonha alheia, tanto pelo CGI, quanto pelo simples conceito do que fora realizado.

Dito isso, Elongated Journey Into Night é mais uma tragédia televisiva. Incapaz de fazer as subtramas dialogarem apropriadamente entre si, o episódio apresenta uma narrativa visivelmente fragmentada, causando lentidão e tornando um dos pequenos arcos apresentados em algo completamente descartável. Tudo isso ainda é coroado por uma sucessão de eventos sem sentido, acompanhados por inúmeros focos de artificialidade, que impedem que esse episódio nos envolva de qualquer forma possível.

The Flash – 4X04: Elongated Journey Into Night — EUA, 31 de outubro de 2017
Direção:
Tom Cavanagh
Roteiro: Sterling Gates, Thomas Pound
Elenco: Grant Gustin, Candice Patton, Danielle Panabaker, Carlos Valdes, Keiynan Lonsdale, Neil Sandilands, Jesse L. Martin, Patrick Sabongui, Kim Engelbrecht, Jessica Camacho, Tom Cavanagh, Danny Trejo
Duração: 41 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.