Crítica | The Flash – 4X08: Crisis on Earth-X, Parte 3

– Há spoilers. Leiam as críticas dos demais episódios de The Flash, aqui.

Depois de dois episódios demonstrando que os dramas pessoais dos personagens do Arrowverse são mais importantes que o ataque de nazistas, o cenário, enfim, começa a ser alterado na terceira parte do crossover Crisis on Earth-XTal mudança, no entanto, não significa que a trama esteja desprovida de seus defeitos, afinal, a notável melhoria tirou apenas esse evento anual da mediocridade na qual se encontrava. Dito isso, é gratificante enxergar como os showrunners, enfim, tiveram a coragem de realizar algo impactante para as séries desse universo: a morte de um importante personagem.

Seguindo os eventos da parte anterior, desenvolvida durante o capítulo de Arrow, encontramos os heróis presos em um campo de concentração na Terra-X, enquanto Supergirl está sendo drenada de seus poderes no Star Labs da Terra-1 por Thawne. O foco de todos está em resgatar Kara, que terá seu coração removido em breve. A ação, portanto, se desenvolve em três núcleos distintos: Allen, Queen e outros tentando retornar à sua Terra; Iris e Felicity arranjando alguma forma de liberar Cisco e Harry; Supergirl tendo de aguentar as ladainhas de sua doppelgänger nazista.

De imediato a sensação de urgência sentida ao longo do episódio é inserida através das sequências no campo de concentração. O tom mais fúnebre é notável, enquanto as costumeiras piadas que preenchem o Arrowverse são deixadas de lado – de fato, não seria nada respeitoso inserir pitadas de humor quando se trata de algo relacionado ao Holocausto. O que incomoda, desde já, é a falta de interesse por parte dos personagens centrais em acabar com esse regime totalitário nessa realidade paralela, como se todos seguissem a diretiva primária de Star Trek, o que não condiz com suas personas super-heroísticas.

Evidente que a preocupação em salvar Kara e em conseguir retornar para sua dimensão é mais do que o suficiente para preocupar cada um deles, mas, ao menos, poderíamos ouvir alguém falando em salvar aquele lugar. Ao invés disso, o roteiro de Todd Helbing parece estar mais preocupado em inserir o máximo de personagens que for possível na trama – todos esses extras, é claro, sendo versões da Terra-X dos personagens que já conhecemos. Por vezes o velho foco desnecessário em dramas de personagens que jamais veremos aparece, mas, ao menos, esses aparecem em menor quantidade durante o episódio.

Outro ponto que nitidamente incomoda é como pouco, de fato, é desenvolvido ao longo desses quarenta e três minutos – fruto, sem dúvidas, de perdas de tempo com desdobramentos mais que previsíveis, como as tentativas de se convencer o general em não explodir o portal antes que eles consigam retornar à sua dimensão, somente para sua cabeça ser feita fora da tela, de uma hora para a outra. Eliminar tais trechos possibilitaria um final mais alongado, desenvolvendo mais a morte de Martin Stein, que é indevidamente interrompida pelo término do capítulo, na tentativa de criar um cliffhanger que já estaria mais que estabelecido caso a cena continuasse por mais alguns segundos ou minutos. Mas, como dito antes, o falecimento de um personagem importante é visto como manobra corajosa por parte dos showrunners.

Mais interessante ainda é a utilização de Thawne como uma espécie de Mengele, escolha funcional principalmente pela interpretação de Tom Cavanagh, que não canso de dizer que é um dos poucos atores dessas séries que merecem nossa atenção. Curiosamente, ele é enxergado como ameaça maior até mesmo que a versão vilanesca de Oliver Queen, que atua como Fuhrer desse regime.

A parte 3 de Crisis on Earth-X, portanto, vem como nítida melhoria do que antes foi apresentado, mas ainda está longe de nos entregar uma história que efetivamente aproveite todas as possibilidades de sua premissa. Com uma impactante morte dominando o desfecho do episódio, a expectativa para o grande desfecho do crossover somente aumenta, deixando muito nas mãos do capítulo de Legends of Tomorrow, que ainda tem muita coisa para contar se pretende entregar um final verdadeiramente digno.

The Flash – 3X08: Crisis on Earth-X, Parte 3 (EUA, 28 de novembro de 2017)
Direção:
Dermott Downs
Roteiro: Todd Helbing
Elenco: Stephen Amell, Melissa Benoist, Grant Gustin, Tom Cavanagh, Caity Lotz, Dominic Purcell, Candice Patton, Franz Drameh, Danielle Panabaker, Colin Donnell, Chyler Leigh, Victor Garber, Juliana Harkavy, Rick Gonzalez, Echo Kellum
Duração: 43 min.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.