Crítica | The Making of The Empire Strikes Back, por J.W. Rinzler

The Making of The Empire Strikes Back, por J.W. Rinzler

estrelas 4,5

Era inevitável. O sucesso do bem pesquisado e ilustrado livro The Making of Star Wars, de J.W. Rinzler, contendo riquíssimo conteúdo sobre os bastidores da mais bem-sucedida franquia sci-fi/fantasia do Cinema, tinha que gerar continuações. E foi só uma questão de tempo, pois, três anos após o lançamento do primeiro volume, Rinzler voltaria a enfocar os bastidores, mas desta vez do que é quase que unanimemente considerado como o melhor filme da saga, O Império Contra-Ataca.

sw cover rinzler 4O formato de coffe table book foi mantido, o que, lógico, dificulta a leitura. Mas vale o esforço, pois, não se enganem, apesar de copiosamente ilustrado, esse é um livro que fãs de Star Wars precisam ler e não apenas folhear, ainda que folhear incontáveis vezes seja sempre um prazer. Deixe-me, porém, já abordar algo sobre o livrão em capa dura (há uma versão em capa cartonada também): apesar do conteúdo fantástico, ele não prima pelo design elaborado ou mesmo ergonomia que permita uma leitura fácil. É grandalhão (assim como o primeiro), desajeitado e, diria até, feio. Só que, como diz o ditado, não se deve julgar o livro pela capa (ou pelo design) e, aqui, o ditado pode ser aplicado literalmente. O conteúdo compensa e muito a certa estranheza de manuseio do livro e o design gráfico do livro. Querem algo só bonito e vazio? Tem aos montes por aí. O que me interessa de verdade é o peso das informações e a qualidade das imagens e, quanto a isso, não posso reclamar de absolutamente nada.

Abordado o único (ou quase – mais sobre isso adiante) aspecto “negativo” da obra, cabe lembrar que Rinzler, por ser um funcionário da LucasFilm, elaborou textos que não têm tons críticos. Há uma visão “chapa branca” de todo o processo de criação do filme, mas isso não chega a macular de verdade a obra. Há outros livros por aí que são verdadeiramente independentes e igualmente interessante do seu jeito, mas nenhum – absolutamente nenhum, pelo menos não na galáxia em que vivemos – oferece a combinação de informação e imagens que The Making of The Empire Strikes Back oferece.

Making-of-Empire-Strikes-Back

Eu pagaria para levar um desses para casa!

E não esperem informações bobinhas e superficiais. Não, muito ao contrário. Rinzler vai a fundo, sem perdão e mergulha no processo criativo e de produção da obra sem deixar nenhum detalhe de lado. Até mesmo o infame Star Wars Holiday Special é abordado! Vemos o castelo metálico na neve de Darth Vader (!!!), diversos outros “planetas temáticos” (água, pântano e por aí vai), aprendemos que Yoda já foi Minch, que Harrison Ford só tinha contrato para esse filme e muitos outros aspectos que provavelmente serão novidades para muita gente. Um dos pontos mais fascinantes da obra é a comparação de cenas na versão George Lucas e na versão Lawrence Kasdan, o que demonstra o quanto o filme mudou quando o roteirista embarco finalmente no complicado projeto e, até onde me consta, salvou a pátria.

sw v making of

Sempre me impressiono com Yoda. E também com Kenny Baker “enlatado” lá atrás…

Como mencionei acima, há, porém, um outro aspecto negativo – esse de verdade – no trabalho de Rinzler. Há uma espécie de desorganização no material que não torna muito intuitiva a leitura, no sentido de ela começar no começo e progredir por fases de produção. Rinzler volta a assuntos já tratados antes e entrecorta informações de pré-produção com de pós-produção. Muito disso se deve a questões inconciliáveis estruturalmente, como entrevistas que abordam aspectos variados da criação do filme e que o autor teve que eleger o melhor momento de usá-las. Mas em outros tantos momentos, fica a impressão que Rinzler poderia ter cadenciado melhor as informações, seguindo uma lógica baseada na produção em si do filme. Definitivamente, é um problema menor diante da riqueza do conteúdo, mas ele está lá mesmo assim.

Descrever o conteúdo dessa obra incrível é uma tentativa fútil, que só arranharia a superfície. Não há publicação no Brasil ainda, em português, mas é obrigação de qualquer fã ter esse livro orgulhosamente em sua prateleira. Não sabe inglês? Aprenda só para ler esse livro! E não, não estou exagerando.

E que a Força esteja com vocês!

The Making of Star Wars: The Empire Strikes Back (EUA – 2010)
Autor: J.W. Rinzler
Editora (original): LucasBooks (ainda não publicado no Brasil)
Páginas: 372

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.