Crítica | Uma Lição de Vida

The-First-Grader-2-HR1

estrelas 4

Passados quatro anos de sua data de lançamento no Reino Unido, é a vez de Uma Lição de Vida chegar nos cinemas brasileiros. Baseado em eventos reais, a produção independente da National Geographic Entertainment em parceria com a BBC Films retrata, na figura de um nativo da tribo dos Mau Mau, o Quênia pós-independência, ainda sofrendo as consequências sociais do antigo domínio britânico.

A fim de contornar os inúmeros problemas sociais presentes no país e capacitar a população, o governo queniano anuncia que oferecerá educação gratuita a todos. Com 84 anos, grande empenho e na busca pela educação de que fora privado quando ainda jovem se tornou prisioneiro em campos de concentração britânicos, o ex-combatente Kimani N’gan’ga Maruge enxerga a oportunidade de ser alfabetizado e conseguir finalmente ler uma carta que recebeu do governo queniano.

Os bons quadros e movimentos de câmera atrelados a uma belíssima fotografia conferem ao longa uma montagem bastante precisa, que cativa o espectador em completude. É interessante observar a escolha por planos detalhe nos momentos certos, o que reflete bastante coerência e sensibilidade à história ali contada. A trilha sonora também não fica atrás e soma bons pontos ao resultado final do filme.

O roteiro cumpre com o que se espera de uma boa adaptação, mas opta por não alçar altos voos e prefere manter-se na posição segura do relato estabilizando-se dentro da dramaticidade inerente à biografia em voga, o que não é surpresa, já que trata da luta de um personagem tão emblemático como Maruge ambientada em uma região duramente castigada e explorada após o imperialismo britânico. Apesar disso, o filme dribla a constante aproximação dos lugares comuns e compõe uma sequência narrativa interessante que amarra bem, ainda que um tanto superficialmente, a situação abordada e os eventos anteriores.

Com um corpo de atores competentes, o filme é protagonizado pelo queniano Oliver Litondo e a inglesa Naomie Harris, mais conhecida por interpretar Tia Dalma e Miss Moneypenny, respectivamente na franquia Piratas do Caribe e em 007 – Operação Skyfall. Diante de um enredo que toma como base a relação entre Maruge (Litondo) e sua professora Jane Obinchu (Harris), o elenco de apoio não ganha muito espaço para se destacar. Isso, todavia, não nos impede de dar o devido reconhecimento ao corpo infantil que, da melhor maneira possível, consegue  levar um pouco daquele contexto ao público.

Apesar da pouca repercussão midiática, Uma Lição de Vida é encantadoramente inspirador. Ainda que cometa pequenos deslizes, o longa merece todo o respeito por tentar contar uma história tão intensa como a de Kimani N’gan’ga Maruge.

Uma Lição de Vida (The First Grader, Reino Unido – 2010)
Direção: Justin Chadwick.
Roteiro: Ann Peacock.
Elenco:  Naomie Harris, Oliver Litondo, Tony Kgoroge, Alfred Munyua, Shoki Mokgapa, Vusi Kunene.
Duração: 103 min.

FILIPE MONTEIRO . . . O exército vermelho no War, os indianos em Age of Empires, Lannister de Rochedo Casterly. Entrou em órbita terrestre antes que a Estrela da Morte fosse destruída, passou pela Alameda dos Anjos, pernoitou em Azkaban, ajudou a combater o crime em Gotham e andam dizendo por aí que construiu Woodburry. Em uma realidade alternativa, é graduando em Jornalismo, estuda Narrativas e Cultura Popular, gosta de cerveja e tempera coentro com comida.