Crítica | “V” – Truckfighters

estrelas 3,5

Se o stoner rock pode ser costumeiramente chamado de desert rock por várias razões (seja pelo famoso estúdio Rancho de La Luna, situado no deserto, ou pela Palm Desert Scene), a escolha mais fácil pra ligar o gênero ao termo talvez seja seus riffs de guitarra sujos e agressivos que passam a impressão de algo sendo tocado em meio a poeira infinita. E se há uma banda que faz jus ao termo, esta é a sueca Truckfighters, responsável por levar inúmeros ouvintes a terrenos áridos através da sua crua e espetacular sonoridade. Dando procedimento a uma discografia que segue invejável, chegamos a V, quinto disco de estúdio e sucessor do ótimo Universe.

O single Calm Before The Storm, com seus 8 prazerosos minutos, dava pistas de um possível rumo diferente de sonoridade. A canção é construída através de três bem diferentes variações melódicas, lembrando um aspecto característico do grunge, sendo a primeira parte lenta e introspectiva, a segunda bem melódica e culminando com a terceira (refrão) em um clímax espetacular, um mar indomável de fuzz de guitarras pesadas. Pra infelicidade dos que queriam ver algo de novo vindo da banda, essa atitude mais arriscada volta a ocorrer somente em Storyline com um revezamento entre dois lados, um de belo lado folk e um de distorção explosiva. Tais performances são os melhores momentos do disco, quando o Truckfighters tira seus ouvintes da zona de conforto.

Há um problema enorme no álbum no que reside a parte da produção: perceba como as guitarras inúmeras vezes soam sobrepostas demais ao vocal, sendo difícil sequer ouvir o que está sendo cantado. A ótima Hawkshaw sofre desse incômodo em seu refrão. Se por um lado evidencia os excelentes riffs da faixa, por outro soa confusa e aparentemente mal remixada. Já analisando os riffs individualmente, marca registrada do Truckfighters, a competência do grupo segue máxima. A ferocidade trazida em The One é importantíssima para demonstrar o quanto a banda, mesmo tentando inovar, sabe manter sua essência stoner rock. Guitarras com distorção ao máximo, bateria avassaladora e baixo permeando um groove muito bem encaixado no meio dos riffs, tudo se une para uma avalanche punch assustadora.

Fechando com uma versão ao vivo de Manhattan Project, do clássico debut Gravity X, a sensação que passa é de que a faixa se encontra ali somente para ocupar espaço já que é totalmente deslocada do resto do trabalho, mesmo sendo uma extendida execução experimental de uma das maiores canções do grupo.

Josh Homme – cabeça do Queens Of Stone Age – pode até ter exagerado em chamar o Truckfighters de “melhor banda que já existiu”, mas com certeza é uma das poucas que ainda consegue provocar uma catarse gigantesca através de seus riffs. V, embora notoriamente não chegue perto dos maiores ápices do grupo, segue provando a qualidade incontestável pra quem curte um bom rock n’ roll.

Aumenta!: Calm Before The Storm
Diminui!: Gehenna

V
Artista: Truckfighters
Lançamento: 30 de setembro de 2016
País: Suécia
Gravadora: Fuzzorama Records
Estilo: Stoner Rock

HANDERSON ORNELAS. . . Estudante de engenharia química, cantor de chuveiro e tocador de guitarra de ar. Seja através dos versos ácidos de Kendrick Lamar, a atitude de Bruce Springsteen, ou a honestidade de Tim Maia, por seus fones de ouvido ecoam ondas indistinguíveis. Vai do sangue de Tarantino à sutileza de Miyazaki, viajando de uma galáxia muito, muito distante até Nárnia. Desbravador de podcasts e amante de indie games, segue a vida com um senso de humor peculiar e a certeza de que tudo passa - menos os memes.