Crítica | The Fourth Doctor Adventures 3X08: Zygon Hunt

estrelas 4

Equipe: 4º Doutor, Leela
Espaço-tempo: Planeta Garros

Se por um momento o espectador de Zygon Hunt fechar os olhos e começar a fazer ligações desse arco da série The Fourth Doctor Adventures com a Série Clássica de Doctor Who, é quase impossível que não se lembre de Terror of the Zygons, um arco do 4º Doutor ao lado de Sarah Jane e Harry. Os efeitos sonoros, a ambientação ameaçadora e o próprio caráter dos Zygons aparecem de forma quase idênticas nos dois arcos, ambos com uma abordagem muitíssimo interessante para o vilão carnívoro e metamorfo.

Mas no caso de Zygon Hunt há um fator surpresa muito curioso, algo que talvez nos lembre outra abordagem, dessa vez mais recente, a que Steven Moffat escreveu em The Day of the Doctor. Certamente vocês se lembram da relação da Osgood humana com a Osgood Zygon, uma não sabendo quem é a outra. Pois bem. É esse elemento pacificador, amigável, mesmo que em condições bizarras, que vemos nessa aventura de Nicholas Briggs para o 4º Doutor.

A trama se passa no planeta Garros e, na timeline do Doutor, acontece entre os arcos The Talons of Weng-Chiang e Horror of Fang Rock.

Ao chagar ao selvagem planeta (a Big Finish conseguiu um efeito de sonoplastia admirável na criação auditiva desse cenário), o Doutor e Leela encontram um grupo de caçadores liderados pelo Comandante-em-Chefe Greg Saraton. A caça é feita por esporte e já nos primeiros minutos da história esse fato nos intriga.

Que tal caçar bestas selvagens em um planeta selvagem? Alguma dúvida de que Leela se sentiu bem à vontade nesse planeta? Bom, pelo menos em tese…

No decorrer da trama, percebemos que há uma importante relação de Saraton com a defesa do Sistema Solar e, claro, com o Planeta Terra. Os Zygons possuem uma evidente vantagem sobre os caçadores, mas há algum “problema no paraíso”. Com a chegada do Doutor e Leela, uma parte do plano de invasão a longo prazo (os vilões não parecem ter pressa mas não aceitam que o plano seja interrompido) se torna difícil em todos os sentidos. Os viajantes encontrarão na Zygon-Mina Challis um elemento diferente de sua espécie, o que coloca em xeque a generalização que fazemos por instinto frente aos maiores vilões do Doutor (lembram-se da experiência com a Clara-Dalek?).

Tom Baker e Louise Jameson estão excelentes nos papeis principais e levam a aventura com o humor característico da parceria na Série Clássica. Com o bem modulado e bem escrito roteiro de Nick Briggs – que falha apenas na colocação superficial de determinados eventos da história – Zygon Hunt ganha facilmente a nossa simpatia e termina da forma mais amigável e simbólica possível. O Doutor nunca sabe qual será a sua próxima parada.

Em tempo: pouco tempo depois dessa aventura, o Doutor e Leela reencontrariam os Zygons numa situação bem diferente, em Rest and Re-Creation.

Zygon Hunt – The Fourth Doctor Adventures 3X08 (Reino Unido, agosto de 2014)
Direção: Nicholas Briggs
Roteiro: Nicholas Briggs
Elenco: Nicholas Briggs, Tom Baker, Louise Jameson, Michael Maloney, Gillian Kearney, James George, Steven Alexander
Duração: 67 min.

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.