Doctor Who | O 3º Doutor: Jon Pertwee

Jon Pertwee

O 3º Doutor

1970 – 1974

William Hartnell viveu a primeira encarnação do Doutor sem nome que povoa o imaginário dos fãs de ficção científica desde 1963. Em 1966, o ator foi substituído e essa substituição foi inserida na narrativa e mitologia do Doutor por meio de uma “regeneração” no episódio The Tenth Planet que acabou apresentando o ator Patrick Troughton como o segundo Doutor.

Troughton continuou em seu papel até que os Time Lords forçaram a segunda regeneração do Doutor e seu banimento no planeta Terra, no século XX. Entra, então, o terceiro Doutor, vivido pelo ator britânico John Devon Roland Pertwee.

Doctor - Bessie O Doutor e Bessie, seu calhambeque amarelo.

Pertwee, nascido em Chelsea, Londres, em 07 de julho de 1919 e falecido em virtude de um ataque cardíaco em Connecticut, Estados Unidos, em 20 de maio de 1996, começou sua carreira como oficial da inteligência naval britânica durante a Segunda Guerra Mundial. Ele trabalhou lado a lado com ninguém menos do que Ian Fleming, que viria a criar o personagem James Bond.

doctor - extra

Quem é seu alfaiate?

Quando voltou da guerra, ele se tornou ator de comédia no rádio e acabou estabelecendo-se como o personagem Pertwee no programa The Navy Lark da Rádio BBC. Já da casa, quando a BBC precisou substituir Patrick Troughton, uma vez que o ator estava cansado do trabalho incessante como o segundo Doutor e também queria evitar de ser para sempre só conhecido como o Doutor, Pertwee era o segundo da lista. Ele mesmo também mostrou interesse pelo papel e, magicamente, com apenas uma “simples” regeneração, um novo Doutor havia chegado.

Mas que Doutor esse!

Pertwee rasgou o manual de como ser o misterioso Time Lord e encarou o personagem de maneira mais light, tecnológica (“reverta a polaridade do fluxo de nêutron!”) e extravagante, com figurinos exagerados. O próprio primeiro Doutor, quando encontrou o terceiro em Os Três Doutores, o chamou de dândi. Além disso, esse Doutor era mais atlético que os demais, realmente enfrentando seus inimigos fisicamente com seu aikido venusiano no lugar de dar um jeito de evitar confrontos.

Mas talvez sua maior marca tenha sido ditada pelo fato que o terceiro Doutor ficou boa parte do tempo exilado na Terra trabalhando para a UNIT do Brigadeiro Lethbridge-Stewart. Ainda que o TARDIS seja um ótimo meio de transporte, o Doutor passou a fazer uso, também, de dois simpáticos veículos: Bessie, um calhambeque amarelo e o que se convencionou chamar de Whomóvel, um hovercraft futurista.

doctor - whomobile

Quem precisa de Batmóvel se ele tem o Whomóvel?

Outra grande mudança para a série foi a introdução da cor nas transmissões, o que ajudou muito na extravagância do personagem. Muitos inimigos clássicos também foram apresentados, pela primeira vez, durante a “gestão” do terceiro Doutor, como os Sontarans, os Silurians e os Sea Devils.

.

Primeira aparição: Spearhead from Space (1970)

Regeneração: Planet of Spiders (1974)

Última aparição: Dimensions in Time, 1993 (como parte de um especial para caridade)

Primeiras palavras: Shoes, must find my shoes. Unhand me, Madam!

Últimas palavras: A tear, Sarah Jane? No, don’t cry. While there’s life, there’s…

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.