Editorial | Agradecimento aos Nossos Leitores (2013)

Olá, prezadíssimos leitores.

Nós, aqui do Plano Crítico, ficamos sentimentais na medida em que o final do ano se aproxima. É difícil não olhar para trás, mesmo que rapidamente, e ver que tudo que conseguimos alcançar até agora é por causa de vocês. É difícil não aproveitar essa data festiva – comemorando ou não o Natal, pouco importa – para agradecer de coração a fidelidade de vocês.

Afinal, para que nós escrevemos se não é para vocês lerem, comentarem e – sim, até isso! – nos xingarem? Vocês são a pilha que nos dá energia para continuar. Na verdade, é a energia que nós, ao longo de duros cinco meses, precisamos para revitalizar o site completamente, depois que ele foi largado em seu pior momento, em maio desse ano.

Mas nós voltamos. E voltamos melhores. Mais constantes. Mais intensos.

Passamos a trazer para vocês no mínimo três críticas de lançamentos de cinema no final de semana de estreia. Passamos a oferecer mais conteúdo de quadrinhos trazendo até um novo colaborador para o site, o Erik Blaz dos Santos.

Continuamos com nossos especiais que foram bruscamente interrompidos quando o site saiu do ar: Tintim, Luis Buñuel, Federico Fellini e Doctor Who. E, como se quatros especiais simultâneos não fossem o suficiente, acrescentamos, desde nosso retorno em outubro, outros três e não três quaisquer, mas sim especiais abordando as obras de William Shakespeare no cinema e na televisão e as filmografias de Alfred Hitchcock e Stanley Kubrick.  E isso sem sacrificar o resto de nosso conteúdo.

Criamos uma nova seção no site, depois que finalmente conseguimos convencer o viciado em jogos Guilherme Coral a se juntar a nós. Ele, literalmente sozinho, passou a ser responsável pela seção de games, com críticas dos mais importantes lançamentos desse universo.  E claro, contraindo a doença que assola os colaboradores do site, ele iniciou, secretamente – ok, não tão secretamente assim – um especial Final Fantasy, que conterá as críticas de todos os jogos da gigantesca e famosíssima série.  E isso sem contar com suas desventuras também para o lado das críticas de cinema…

E, em nossa seção principal, de cinema, tivemos ainda a valiosa colaboração de Sidnei Cassal. Ele tem trabalhado mais focado em filmes de catálogo, ajudando a enriquecer nosso conteúdo dos especiais e outros que consideramos tão ou mais importante quando o conteúdo de obras recentes, que acabaram de ser lançadas. Afinal de contas, um site de críticas de cinema que se preze não pode se furtar de abraçar o passado e aprender com ele.

Mas tivemos ainda mais conteúdo quando percebemos que nossos leitores nunca haviam nos deixado e que, ao contrário, não paravam de nos empurrar para a frente com comentários e curtidas. Iniciamos duas colunas novas, a bimestral In Loco, que tem como objetivo mergulhar o leitor em um passeio visual pelo mundo do entretenimento e a quinzenal Sagas Marvel que, como o pouquíssimo original nome revela, tem como objetivo comentar as diversas sagas da editora.

O que futuro nos reserva? Bem, nós temos planos, muitos planos. Mais colunas, mais seções, mais colaboradores, o ressurgimento de nossos podcasts e videocasts e, sobretudo, mais interação com nossos leitores. Queremos ouvir de vocês o que vocês gostariam que o Plano Crítico tivesse. Comentários são sempre bem vindos, sejam eles elogiosos ou não. Nós sempre estaremos aqui para responder cada um deles. É esse relacionamento com vocês que nos engrandece, que nos faz felizes. Sem isso, sem nossos leitores, nosso trabalho não seria gratificante como é.

Queremos continuar crescendo e tiramos nossos chapéus virtuais em agradecimento a vocês, leitores. Desejamos a todos Boas Festas e um maravilhoso 2014 recheado de filmes, séries, quadrinhos, games e música.

Equipe do Plano Crítico

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.