Entenda Melhor | As Aventuras de Tintim

Tintim é uma das personagens mais famosas das HQs europeias e uma das grandes influências tanto no campo artístico quanto social do século passado, levando e consideração o encanto que as gerações tiveram e ainda tem pelo jovem repórter belga. O propósito desse Entenda Melhor é abordar de maneira rápida e objetiva a cronologia do personagem, seu contexto histórico, polêmicas e processo de criação.

.

Tintim foi criado por Georges Prosper Remi, mais conhecido pelo nome artístico de Hergé. Além do conhecido repórter de topete, Hergé criou outras personagens para os quadrinhos, como Jo, Quim & Felipe e Zette & Jocko, mas o seu reconhecimento e a verdadeira sensação popular referente à sua obra veio com Tintim. O espírito jovem e as aventuras cada vez mais cheias de intrigas atraíram um grande número de leitores, e já a partir do terceiro álbum de histórias, o autor contava com ótimas críticas e público notável para esse tipo de produção.

Influenciado por seu editor, contexto social, juventude e ideias próprias, Hergé enfrentou alguns problemas ao longo da vida adulta, quando sua carreira já estava constituída e Tintim era um personagem mundialmente conhecido. O fato é que a manifestação de ideais preconceituosas e outros valores da Bélgica no início do século XX, incomodaram algumas pessoas, que chegaram a processar a Casterman (editora que publica As Aventuras de Tintim na Bélgica) e o próprio Hergé alegando racismo e outros valores pouco nobres tão comumente aceitos na Europa burguesa após Primeira Guerra Mundial.

O caso mais conhecido foi o do cidadão congolês que enviou um pedido para o Tribunal de Bruxelas processando o álbum Tintim no Congo, alegando aquilo que já citamos no parágrafo anterior. Outras ações semelhantes ou opiniões emitidas em relação a este álbum vieram à tona no decorrer dos anos, tendo as primeiras reclamações feito com que Hergé modificasse algumas passagens do livro.

Tintim no País dos Sovietes foi o primeiro álbum de Hergé a ser publicado. Sua distribuição começou no suplemento juvenil do jornal Le Vingtième, entre janeiro de 1929 e maio de 1930. Atravessando décadas, Hergé continuou a desenhar e escrever suas histórias até 1983, em Tintim e a Alfa-Arte, um álbum que ficou inacabado porque o autor faleceu em 03 de março de 1983, antes de conseguir terminar seu trabalho. Mesmo assim, o livro foi lançado postumamente, e pelo seu caráter de “despedida” atraiu um grande número de leitores. Vale também lembrar que Hergé deixou outros projetos inacabados, além deAlfa-Arte.

O cinema se interessou por Tintim ainda nos anos 1960, década marcada por dois filmes live-action: Tintim e o Mistério do Tosão de Ouro (1961) e Tintim e as Laranjas Azuis (1964). Além delas, temos os médias/longas de animação: Tintim e o Caso Girassol (1959), Tintim e o Tempo do Sol (1969) e Tintim e o Lago dos Tubarões (1972). Na televisão, Tintim teve uma série no início dos anos 1990, e de novo uma adaptação para o cinema em 2011, desta vez sob direção de Steven Spielberg e produção de Peter Jackson: Tintim e o Segredo do Licorne.

Neste dia 03 de março de 2013, completa-se 30 anos da morte de Hergé.

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.