Entenda Melhor | Demolidor – 2ª Temporada: Referências e Easter-Eggs

Obs: Se o título já não deixou bem claro, este artigo é um campo minado de spoilers. Portanto, se não terminou de assistir a série, passe longe daqui! 

Obs. 2: Como sempre, nossos leitores não nos deixaram na mão e contribuíram com vários comentários que foram todos inseridos nessa versão 2.0 do artigo original publicado em 27 de março de 2016. Contribuam mais e quem sabe não teremos a versão 3.0? Ficam, então, especiais agradecimentos ao nossos seguintes e fenomenais leitores pelas contribuições: Cristiano de Andrade (o campeão das referências!), jcesarfe, Diogo Amorim, adrianocesar21, Rodrigo Patini, Kael Ladislau, Mateus Woszak, Matheus Augusto, Disgrota, Kate Bishop, Lucas Matroni Guedes, helder e Vinicius Alexandre.

Os filmes de super-herói em geral são repletos de referências interessantes aos quadrinhos e filmes e a série do Demolidor, formando um “sub-universo” urbano de super-heróis, produzida pela Marvel, ABC e Netflix, não é diferente. A primeira temporada trouxe um dilúvio de menções e easter-eggs e o mesmo acontece na segunda temporada.

Antes, porém, de abordá-los, que tal conferir nossos trabalhos anteriores relacionados às séries Marvel/Netflix? Aqui:

Crítica | Demolidor – 1ª Temporada

Crítica | Demolidor – 2ª Temporada

Crítica | Jessica Jones – 1ª Temporada

Entenda Melhor | Demolidor: a Série e suas Conexões com os Quadrinhos

Entenda Melhor | Jessica Jones: a Série e suas Conexões com os Quadrinhos e com o UCM

E ainda temos nosso Especial Demolidor. Ou, se quiser mais (muito mais), você pode clicar em Universo Cinematográfico Marvel e acessar tudo o que temos aqui no site sobre o que a Marvel vem criando nos cinemas e na televisão desde 2008.

Se alguém tiver detectado outros aspectos, por favor não deixem de indicar nos comentários! Afinal, isso aqui é, definitivamente, um trabalho em progresso, pois a série não foi econômica nessas referências. Além disso, queremos enriquecer ao máximo esse artigo, destrinchando cada detalhes do Universo Marvel em quadrinhos referenciado na série. Portanto, ajude-nos por favor!

1. Repetições de referências da primeira temporada:

Obviamente, muita coisa da primeira temporada volta na segunda temporada. Além da trinca principal, Matt Murdock/Demolidor, Foggy Nelson e Karen Page, há:

Ben Urich: apenas mencionado, claro;

Wilson Fisk: ele finalmente usa o apelido Kingpin ou, em português, Rei do Crime;

Vanessa: o amor da vida de Fisk, que é apenas mencionada;

Turk: o vigarista/informante que sempre apanha do Demolidor;

Padre Lantom: o padre que conhece o segredo de Matt Murdock e que serve de ajuda psicológica e religiosa ao herói;

Nobu: vilão que o Demolidor acha que matou, mas que volta todo queimado e como líder do Tentáculo;

Madame Gao: a senhora traficante de drogas que tem ligações com K’un Lun e o Punho de Ferro, protagonista de vindoura série na parceria Marvel/Netflix;

Claire Temple: a enfermeira que ajuda os heróis da Cozinha do Inferno e que chegou a ter uma breve relação amorosa com Matt Murdock, aparecendo também em Jessica Jones;

Melvin Potter: apresentado como alfaiate super-especializado de Wilson Fisk e que agora trabalha para o Demolidor, sendo responsável pelo seu uniforme e novo capacete, além dos novos cassetetes. A novidade é que, na segunda temporada, nós o vemos segurando uma serra redonda, marca registrada de sua persona vilanesca, o Gladiador, além de um colete protetor com o mesmo símbolo do Gladiador. Além disso, é possível ver um poster de um gladiador ao fundo quando Melvin vai fazer o uniforme novo de Elektra e o gladiador que aparece tem design parecido com o da versão vilanesca do persongem;

Betsy: mulher apenas mencionada por Melvin Potter como sendo possivelmente o amor de sua vida;

Stick: ninja cego que treinou Matt Murdock e Elektra Natchios e que é revelado na segunda temporada como sendo o líder do clã Chaste, que se opões ao Tentáculo;

Josie’s: bar frequentado por Matt, Foggy e Karen;

Fogwell’s Gym: academia usada por Matt para treinar e onde seu pai treinava boxe;

Todos os personagens e locais acima foram tratados em detalhe no Entenda Melhor da primeira temporada, que você pode ler aqui.

2. Os novos personagens (na série):

2.1. Frank Castle/Justiceiro: Talvez a mais aguardada e ansiada adição à segunda temporada da série seja Frank Castle, mais conhecido como Justiceiro, o anti-herói mais famoso da Marvel que já ganhou três versões cinematográficas (além de um curta não autorizado).

o_espectacular_homem_aranha_129_justiceiro_im_des_plano_critico

Aparecendo pela primeira vez nos quadrinhos como um mercenário contratado pelo Chacal para exterminar o Homem-Aranha em O Espetacular Homem-Aranha #129, de fevereiro de 1974, o violento vigilante com uniforme preto e uma enorme caveira no peito, trafegou como coadjuvante por pouco mais de uma década em diversas outras publicações até ganhar uma minissérie solo em 1986 e, no ano seguinte, finalmente um título regular solo. Vivido por Jon Bernthal na série, essa talvez seja a mais fiel encarnação audiovisual do personagem até hoje, valendo notar os seguintes detalhes:

2.1.1. Uniforme de caveira: Diferente dos quadrinhos, não há uniforme para Frank Castle, apenas roupas comuns, notadamente casaco pesado e coturnos. Apenas no final do último capítulo é que vemos o Justiceiro usando a caveira no peito, pintada por sobre um colete à prova de balas, como é visto em O Justiceiro – Em Zona de Guerra. Na série, a inspiração da caveira vem do raio-x do crânio do próprio Frank que é usado por Karen Page para descobrir sua identidade e diversos outros aspectos de sua origem, mas essa inspiração não existe nos quadrinhos. Além disso, Castle vê uma caveira refletida em uma poça d’água no episódio 9, após a luta na prisão. E, como se isso não bastasse, a famosa caveira aparece brevemente, ainda que Frank não veja, no aparelho que medem os sinais vitais dele quando ele está no hospital, conforme imagem abaixo.

punisher caveira

2.1.2. Sequência na prisão: O episódio 8 da série lida com o Justiceiro na prisão ajudando, hesitantemente, o Rei do Crime. Ainda que não haja paralelo exato nos quadrinhos, toda a sequência, que coloca Frank ao lado de um criminoso e culminado com sua fuga, parece ter sido inspirada pela minissérie Círculo de Sangue, a primeira do Justiceiro nos quadrinhos.

2.1.3. A origem do Justiceiro: Nos quadrinhos, Castle é um americano do Queens e um veterano da Guerra do Vietnã que, depois que volta, vive tranquilamente com sua família, que acaba morta no Central Park em razão de uma briga de gangues. Na série, a origem é substancialmente igual, com as seguintes diferenças: (1) Castle é veterano das operações de guerra dos EUA no Oriente Médio (uma atualização mais do que necessária) e (2) ele é baleado no crânio no fogo cruzado de gangues que mata sua família.

2.1.4. O cachorro do Justiceiro: Depois do massacre dos irlandeses, Castle adota um cachorro ferido que é usado depois pelo líder Edgar Brass para tirar informações sobre o paradeiro do dinheiro roubado. Nos quadrinhos, o anti-herói também chega a ter um cachorro, batizado de Max, que surgiu pela primeira vez em Justiceiro vol. 2 #54, de novembro de 1991, depois que ele é resgatado, ferido, de um traficante de crack.

punisher-dog

2.1.5. Zona de Gerra: Um dos mais famosos títulos em quadrinhos do Justiceiro foi The Punisher War Zone, que teve 41 números e foi publicada entre março de 1992 e julho de 1995. Zona de Guerra (War Zone) foi usado não só como subtítulo do filme do personagem de 2008, como é citada expressamente no segundo episódio, quando estão preparando uma emboscada para Castle e dizem que “isso aqui está para virar uma zona de guerra”.

2.1.6. Queens e veterano de guerra: Na conversa que Castle e Demolidor têm no telhado de um prédio, Castle confirma que, como nos quadrinhos, ele é do Queens. Além disso, ele tem uma conversa com um senhor no prédio que lutou como Marine no Vietnã exatamente  como o Justiceiro original dos quadrinhos.

2.1.7. Demolidor acorrentado por Castle: Toda a sequência do Demolidor acorrentado por Castle na chaminé de um prédio na Cozinha do Inferno foi tirada da excelente série em 12 números intitulada The Punisher: Welcome Back, Frank (Bem vindo de volta, Frank, em português) escrita por Garth Ennis com arte de Steve Dillon e publicada no selo Marvel Knights da Marvel Comics entre abril de 2000 e março de 2001. Nos quadrinhos, como na série, Castle não só acorrenta o Demolidor, como prende uma arma em sua mão, dando uma escolha ao herói entre impedi-lo de matar alguém ou deixá-lo matar.

demolidor_justiceiro_netflix_1_plano_critico

2.1.8. Micro/Microchip: No último episódio, vemos Castle, logo antes de colocar fogo em sua casa, recuperar um disco em que está escrito “Micro”. Não foi uma coincidência. David Linus “Microchip” Lieberman (mais conhecido como Micro) é um parceiro de longa data de Castle nos quadrinhos e foi criado por Mike Baron e Klaus Janson, aparecendo pela primeira vez em O Justiceiro Vol. 1 #4, de novembro de 1987. Ele é o lado tecnológico do vigilante, além de um especialista em armas, o que combina com seu nome estar escrito em um disco ótico. Se Micro é mesmo uma pessoa e não apenas um código usado pelo Justiceiro e se isso será desenvolvido, só o tempo dirá. O interessante é que, nos quadrinhos, ele acaba se tornando um vilão, o que pode dar pano para manga para uma (desejada) futura série só do Justiceiro.

2.1.9. História de Castle na guerra: Quando o coronel Ray Schoonover depõe em favor de Frank Castle, ele conta uma história de heroísmo do futuro Justiceiro. Essa história, diante das similaridades, parece ter sido inspirada pela minissérie em quatro edições Justiceiro: Nascido Para Matar (Punisher: Born, publicada originalmente entre agosto e novembro de 2003), escrita por Garth Ennis e ilustrada por Darick Robertson e  Tom Palmer.

2.1.10. Bloco de Celas D: Esse é o lugar onde Fisk e Castle estão presos. Trata-se de referência direta ao arco O Demônio do Pavilhão D, que marcou o começo da Era Brubaker do Demolidor (a partir de Demolidor, vol. 2 #82, de 2006).

2.1.11. 1986: Esse é o número de Frank Castle na prisão e, também, o ano em que foi lançada a primeira minissérie solo do personagem.

2.1.12. O julgamento de Frank Castle: Nos quadrinhos, há uma história do Justiceiro chamada O Povo Contra Frank Castle (The People vs Frank Castle, de novembro de 2013) que é, claro, a inspiração para o julgamento do Justiceiro.

2.2. Elektra Natchios: A segunda (ou a primeira, depende) mais aguardada personagem da segunda temporada é a ninja assassina Elektra. Tecnicamente, ela foi citada no episódio Nelson v Murdock da primeira temporada, no flashback dos primeiros anos de Foggy e Matt juntos, quando Foggy menciona que Matt só fez aula de espanhol para ir atrás de uma “grega”. Isso já deixou muitos fãs felizes, pois o grande amor da vida de Matt Murdock é Elektra Natchios, personagem criado por Frank Miller em janeiro de 1981 (Demolidor Vol. 1 #168).

elektra_plano_critico

Nos quadrinhos, ela é grega e uma assassina profissional mercenária, também treinada por Stick, mas especialmente pelo Tentáculo, mas, na série, seu passado sofreu diversas alterações. Vivida por Élodie Yung, mesmo com as alterações essa talvez seja a mais fiel encarnação audiovisual do personagem até hoje (alguém se lembra de Elektra, de 2005?), valendo notar os seguintes detalhes:

2.2.1. O passado de Elektra: Nos quadrinhos, Elektra é grega, filha de Hugo Kostas Natchios e sua esposa Christina Natchios. Quando adulta, seu pai serve como embaixador grego nos EUA e ela vai estuda na Universidade de Columbia, onde conhece Matt Murdock e os dois têm um caso. Mais tarde, Elektra desaparece e retorna como uma assassina ninja, tendo sido treinada inicialmente por Stick, que vê um lado sombrio na moça, mas abandonando-o e treinando com o Tentáculo. Na série, Elektra é originalmente treinada por Stick e seu clã Chaste, porque Stick sabe que ela é o Céu Negro (não há contrapartida disso nos quadrinhos). Ela é depois adotada por diplomatas gregos. Ela conhece Matt na faculdade e desaparece, depois de tentar aliciá-lo para seu lado e o de Stick. Em linhas gerais, o espírito da assassina foi mantido com vários elementos retirados diretamente da minissérie Demolidor: O Homem Sem Medo, de Frank Miller e John Romita Jr., mas, como se pode ver, muita coisa foi mudada.

2.2.2. Uniforme clássico: Apesar de já ter usado outros uniformes nos quadrinhos, seu mais famoso é ainda o primeiro, criado por Frank Miller, todo na cor vermelha, formado por um impraticável maiô de uma alça só, uma espécie de “saia”, uma bandana na cabeça e botas, além de faixas nas pernas e nos braços. Na série, ela usa apenas uma roupa comum, em tons escuros, e uma máscara que sobe do pescoço na cor vermelha. Há diversas piscadelas ao uniforme vermelho original da assassina quando ela usa um roupão vermelho e, depois, um vestido vermelho. No último episódio, ela acaba usando um uniforme criado por Melvin Potter a pedido do Demolidor que é uma versão em preto do uniforme clássico dos quadrinhos, mas sem os exageros “sensuais” que marcam a personagem.

2.2.3. Adagas Sai: Outra marca registrada da Elektra dos quadrinhos é o uso, como principais armas, um par de adagas Sai (originalmente de países como Índia, Tailândia, China, Vietnã e Malásia, mas que notabilizou-se em Okinawa, no Japão), mas, na série, ela só passa a usar as armas quando, no episódio 10, ela as retira de Jacques Duchamps, um assassino enviado por Stick para assassiná-la.

2.2.4. A morte e o renascimento de Elektra: Nos quadrinhos, Elektra é assassinada pelo Mercenário (inimigo clássico do Demolidor) usando uma de suas próprias adagas Sai em uma das mais icônicas cenas da Nona Arte. Na série, praticamente o mesmo acontece, mas o assassino (sem querer) é Nobu, líder do Tentáculo. Assim como nos quadrinhos, especialmente na graphic novel Elektra Vive, de Frank Miller, ela tem seu corpo roubado pelo Tentáculo que pretende revivê-la.

elektra_morte_plano_critico

2.2.5. Funeral de Elektra: Durante o funeral, Matt diz “uma vez eu dei uma rosa a ela, mas ela prefere orquídeas”. Isso é retirado diretamente da graphic novel Elektra Vive, escrita e desenha por Frank Miller e publicada originalmente em março de 1990. Além disso, a menção à “rosa” parece ser uma referência ao primeiro encontro de Matt e Elektra em Demolidor Vol. 1 #168.

2.2.6. A Ferrari que Elektra usa: Trata-se de uma referência direta à sequência parecida com o mesmo carro na minissérie Demolidor: O Homem Sem Medo.

2.3. Eliott Grote/Grotto (McCaleb Burnett): Grotto é um capanga do Rei do Crime que confronta Elektra e o Demolidor nos quadrinhos, surgindo pela primeira vez em Demolidor, Vol.1 #168, de janeiro de 1981. Na série, ele é o único sobrevivente do massacre da máfia irlandesa por Frank Castle e que passa a ser protegido por Foggy, Matt e Karen.

2.4. Ray Schoonover (Clancy Brown): Nos quadrinhos, o Coronel Schoonover foi o comandante da unidade de Frank Castle no Vietnã e o cabeça de uma operação de contrabando de drogas para financiar o esforço anti-comunista na região. Depois da guerra, ele se candidata ao senado americano e, com medo de que os membros sobreviventes de sua antiga unidade revelem seu passado de traficante, ele contrata um assassino para matá-los. O Justiceiro força Schoonover a confessar seus crimes, levando-o ao suicídio. Na série, a história é substancialmente a mesma, com a diferença do local onde Schoonover serviu (Oriente Médio no lugar do Vietnã) e seu tráfico de drogas continuou mesmo quando voltou aos EUA, tomando a identidade de Blacksmith, algo que não tem referencia direta no Universo Marvel (há um herói com esse nome, mas sem nenhuma relação com Schoonover).

ray_schoonover_demolidor

2.5. Jacques Duchamps (Gilles Marini): Na série, Duchamps é o assassino enviado por Stick para matar Elektra no hangar enquanto ela espera seu avião e que usa adagas Sai que a ninja toma dele após matá-lo. Não há uma correlação direta com os quadrinhos Marvel, pelo que entraremos no campo da pura especulação. A primeira possibilidade, claro, é que o nome tenha sido completamente inventado. Mas, para que parar por aí, não é mesmo? Assim, vem a segunda possibilidade: ele é francês e há um personagem dessa nacionalidade, com sobrenome Duchamp (sem o S mudo), cujo apelido é Frenchie, que tem ligação com o Cavaleiro da Lua. Trata-se de Jean-Paul Duchamp. Não está convencido? E se ele for então uma referência a Jacques Duquesne, mais conhecido como o Espadachim, o herói/vilão que treinou o Gavião Arqueiro? Especulações, especulações…

2.6. Motoqueiro Fantasma: Já que estamos especulando, porque não exagerar mais ainda? Um dos heróis “urbanos” da Marvel é o Motoqueiro Fanstama, cuja presença em um sub-universo como esse sendo criado pela Marvel/Netflix faria todo sentido, não é mesmo? Pois bem. Lembram-se, no episódio 3, quando o Demolidor usa uma corrente para lutar contra o Justiceiro e a gangue de motoqueiros Dogs of Hell? Hummm… Corrente, motocicleta… Hummmm…

2.7. Tio Finn (Tony Curran): No começo do quarto episódio, vemos um mafioso irlandês aposentado que se apresenta como Tio Finn. Nos quadrinhos, Tio Finn é o apelido carinhoso para Finn Cooley, ex-soldado do IRA (grupo terrorista irlandês)  que se torna inimigo do Justiceiro e que surgiu pela primeira vez Justiceiro Vol. 6 #7, de agosto de 2004. Nos quadrinhos, ele tem o rosto todo desfigurado.

2.9. Benjamin Donovan: Apresentado na série como advogado de Wilson Fisk, o Rei do Crime, o personagem, que tem o apelido Big Ben pelo seu tamanho, também foi tirado dos quadrinhos, mais especificamente de Luke Cage, Hero for Hire #14, de outubro de 1973. Também advogado nos quadrinhos, ele acaba enfrentando Cage, mas depois fica amigo do herói e chega a representar Claire Temple em uma caso que a envolvia em assassinato. Mais tarde, ele chega a se envolver com a Maggia, entidade criminosa e outros.

big ben

2.10. Blake Tower: O assistente de Samantha Reyes na série também foi tirado dos quadrinhos. Aparecendo pela primeira vez em Demolidor #124, de agosto de 1975, Tower (que nos quadrinhos é branco) é também um advogado que almeja tornar-se promotor público. A diferença é que lá ele concorre contra o próprio Foggy Nelson e acaba levando a melhor, mas os dois permanecem amigos, além de ter relação com Luke Cage e Punho de Ferro. Na série, ele provavelmente substituirá Reyes, agora que ela morreu.

2.11. Capitão América: Calma, ele não aparece. Mas, assim como no caso do Motoqueiro Fantasma, parece haver uma indireta a ele quando Demolidor e Justiceiro estão discutindo no telhado e o último menciona que era um “soldado real” e não uma “ferramenta de propaganda”. Lembram-se como o Capitão surgiu em Capitão América: O Primeiro Vingador? Pois bem…

3. Referèncias à Jessica Jones:

3.1 Samantha Reyes (Michelle Hurd): A procuradora do munícipio Samantha Reyes é o primeiro elemento de conexão direta entre a série Jessica Jones e Demolidor. Não que fosse necessária alguma prova que estamos em um mesmo universo, mas é sempre bom haver essas interligações. Ela aparece no último episódio de Jessica Jones querendo prender a protagonista pela morte de Kilgrave. Na segunda temporada de Demolidor ela ganha grande destaque, mostrando-se ambiciosa e traiçoeira, até encontrar sua morte pelas mãos do The Blacksmith querendo colocar a culpa em Frank Castle.

3.2. Jeryn “Jeri” Hogarth (Carrie-Ann Moss): A advogada, sócia do escritório Hogarth, Chao, Benowitz, aparece no 13º episódio da temporada oferecendo emprego a Foggy Nelson e fazendo referência ao trabalho com “vigilantes” que ela precisará fazer. Hogarth, versão feminina de um personagem masculino dos quadrinhos cujos detalhes podem ser conhecidos aqui, tem grande destaque na série Jessica Jones, como a advogada que contrata os serviços de detetive da protagonista.

jeri_hogarth_demolidor

3.3. Citação nominal: No episódio 5, Marcie Stahl, a advogada que tem um caso eventual com Foggy Nelson, menciona Jessica Jones expressamente a ele no bar Josie’s, como sendo uma vigilante sob escrutínio de Samantha Reyes. Isso parece ter relação com o Ato de Registro de Super-Heróis que será proposto em Capitão América: Guerra Civil.

3.4. Luke Cage: No episódio 3, Claire faz menção indireta a Luke Cage, quando fala sobre vigilantes que desaparecem sem nem dar satisfações.

3.5. Hidrante: Pode ser uma “forçação de barra”, mas acho que não é não. Em determinado momento no primeiro episódio da segunda temporada, vemos Matt e Foggy caminhando próximo a um hidrante quebrado, com crianças brincando. Em Jessica Jones, aparentemente esse mesmo hidrante aparece, inclusive também com outras crianças.

3.6. Alias Investigações: No último episódio, é possível ver que o escritório de Matt fica em frente ao escritório de Jessica Jones.

4. Organizações, empresas e locais:

4.1. Roxxon: Usada nos quadrinhos pela primeira vez em Capitão América #180, de dezembro de 1974, a Roxxon (Roxxon Oil, Roxxon Energy, etc.) é uma das empresas “vilãs” do Universo Marvel e que já foi mencionada em Homem de Ferro 3Agents of S.H.I.E.L.D. e, mais recentemente, em Agent Carter. Na segunda temporada de Demolidor, a empresa é mencionada por Elektra.

roxxon_demolidor

4.2. Cybertek: No episódio 5, é possível ver, em uma manchete de jornal, a menção à Cybertek Industries, que, em Agents of S.H.I.E.L.D., é a empresa ligada à Hydra que funciona como quartel general de John Garrett e do programa Deathlok.

4.3. Dogs of Hell: Gangue de motoqueiros alvo de Frank Castle na série, ela aparece no 15º episódio de Agents of S.H.I.E.L.D.

4.4. Tentáculo: Criada por Frank Miller e aparecendo pela primeira vez em Demolidor Vol. 1 #174, de setembro de 1981, o Tentáculo é uma organização vilanesca composta por “ninjas místicos” e que foi fundada no japão no século XVI. Sua apresentação na série parece ser muito parecida, em princípio, com sua origem nos quadrinhos e provavelmente será a organização (ou uma delas) que os Defensores terão que enfrentar na vindoura série que reunirá Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro (e, espero, Elektra, Justiceiro e Felina).

tentaculo_elektra_demolidor

4.5. The Chaste: Também criada por Frank Miller em Demolidor Vol. 1 #187 de 1982, The Chaste é uma organização rival ao Tentáculo liderada por Stick, o treinador de Matt Murdock e Elektra Natchios. Na série, a organização também é apresentada substancialmente da mesma forma.

4.6. Yakatomi Building: Esse é o prédio que Elektra e Matt invadem durante uma festa. Pode ser bobeira minha, mas o nome é parecido demais com Nakatomi para eu não lembrar do prédio de Duro de Matar

4.7. Orfanato St. Agnes: Mais uma vez ele aparece no sonho de Matt, quando podemos ver também sua mãe vestida de freira. É o mesmo orfanato frequentado por Skye, hoje Daisy, de Agents of S.H.I.E.L.D.

5. Outras referências importantes:

5.1. O passado obscuro de Karen Page: A primeira temporada já trouxe menções crípticas em relação ao passado de Karen Page. Na segunda temporada, essas menções acontecem algumas vezes, indiretamente, normalmente com Karen se esquivando de falar algo de seu passado. Mas, agora, aprendemos que ela tinha um irmão que aparentemente morreu em um acidente, cujo clipping de jornal vemos no dossiê sobre ela que Ben Urich havia montado antes de morrer (episódio 9). O passado de Karen é  um elemento importante para o arco A Queda de Murdock, um dos mais famosos do herói nos quadrinhos.

a_queda_de_murdock_karen_page_demolidor

5.2. O sonho de Matt Murdock: No episódio 3, há um breve flashback ou alucinação para o passado, com Matt no convento e possivelmente sua mãe, uma freira, ajudando-o. A primeira temporada já havia deixado pistas nesse sentido e elas são reforçadas aqui, já que, nos quadrinhos, isso realmente acontece.

5.3. A Batalha de Nova York: Há apenas duas menções discretíssimas aos eventos do final de Os Vingadores: (1) Ellison, editor do New York Bulletin, menciona o “incidente” (assim, sem falar mais nada) que teria derrubado os servidores do jornal e (2) os recortes de jornal na parede ao fundo da sala de Ben Urich – agora de Karen – novamente dão as caras e tem manchetes relacionadas à batalha e também à luta do Hulk contra o Abominável ao final de O Incrível Hulk.

5.4. A Queda de Murdock: Talvez o mais importante arco em quadrinhos do Demolidor seja o seminal A Queda de Murdock. Aliás, minto: esse é, certamente, um dos melhores e mais relevantes arcos narrativos de toda a história da Nona Arte mainstream e ponto final. E parece ser essa a direção da terceira temporada de Demolidor. O porquê? Ora, pelas seguintes pistas:

5.4.1. Karen Page, nos quadrinhos, revela a identidade do Demolidor ao Rei do Crime nos quadrinhos, que usa o passado obscuro da moça para forçá-la. Isso inicia a referida “queda” de Murdock. Na série, ao final, Matt Murdock revela que ele é o Demolidor;

5.4.2. O Rei do Crime tem enorme desejo de vingança contra o Demolidor nos quadrinhos e faz de tudo para destruí-lo. Na série, esse desejo de vingança fica absolutamente claro e nós o vemos pedir a seus capangas todas as informações sobre o herói;

5.4.3. O escritório Nelson & Murdock está desfeito ao final da série, retirando mais um sustentáculo na vida de Matt.

5.4.4. O Bazuca já deu as caras em Jessica Jones e o vilão é personagem importante no arco dos quadrinhos.

5.4.5. O navio que Frank Castle explode tem o número 227 e a edição #227 de Demolidor vol.1, de fevereiro de 1986 (com o título Apocalipse) é a primeira do arco A Queda de Murdock.

a_queda_de_murdock_demolidor

Portanto, fica a torcida pela adaptação do arco na próxima temporada (ou talvez na seguinte).

5.5. Stan Lee: Na primeira temporada, Lee tem sua ponta como uma foto fardado de policial ao fundo da delegacia apenas. Na segunda temporada nem isso, mas, no episódio 9, há um carcereiro que aparece só de costas e que lembra muito o animado velhinho.

5.6. This is Sparta!: Quando Stick chega para salvar Elektra e Demolidor dos ninjas do Tentáculo, ele chuta um dos vilões no buraco cavado de maneira muito parecida com que o Rei Leônidas chuta o mensageiro persa no poço de Esparta na graphic novel Os 300 de Esparta, de Frank Miller e, claro, no filme 300 nela baseado.

300

5.7. Mãos cortadas: Já virou tradição na Marvel cortar mãos em homenagem a Star Wars. Na segunda temporada de Demolidor, isso acontece duas vezes. A primeira é indireta, quando o policial indaga, após a carnificina de Castle em cima dos irlandeses, “onde está a mão daquele cara?”. A segunda acontece diretamente, quando Stick corta a mão de um ninja do Tentáculo (e, mais tarde, ele corta uma cabeça…).

5.8. 007: Por duas vezes James Bond é invocado. Na primeira vez, diretamente, vemos o número 007 em caixas no esconderijo do Justiceiro que o Demolidor investiga. Depois, indiretamente, em toda a sequência do livro das finanças da Yakuza, com direito a fraque, femme fatale, organização sinistra e toda a atmosfera.

5.9. Mister Magoo: “Oh, sim, sim, eu lhe digo…” O velhinho quase completamente cego Magoo é citado expressamente por Elektra ao brincar com Murdock.

magoo

######

Ufa! Acho que acabou! O que acharam? Se souberem de outras referências, digam-nos e nós acrescentaremos aqui na lista (com os devidos créditos, claro!).

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.