Entenda Melhor | Doctor Who: Os Companions do 1º Doutor

Como vimos no artigo Entenda Melhor: Doctor Who e também em William Hartnell: o 1º Doutor, a série mais antiga de ficção científica da história da TV tem uma dinâmica de renovo extremamente criativa e que foi (e é até hoje) vital para sua longevidade. Também discutimos sobre os companions dos Doutores, pessoas ou robôs/ciborgues e afins as quais ele escolhe, sequestra ou que de alguma forma — algumas vezes acidental — passam a viajar com ele através do tempo e do espaço. Neste Entenda Melhor, traremos os companions do 1º Doutor, tanto os que são mostrados na Série quanto os do Universo Expandido (livros, quadrinhos, audiodramas).

É importante lembrar que não existem imagens, desenhos ou ilustrações para TODOS os companions do 1º Doutor no Universo Expandido, especialmente para os que surgiram nos livros.

Ainda é importante ressaltar que meu objetivo aqui não é fazer um amplo e final estudo a respeito de cada um dos companions do 1º Doutor, mas apresentar informações básicas para o entendimento do leitor a respeito da série e, nesse específico caso, dar uma visão o mais objetiva e rica possível sobre todos os que viajaram com essa encarnação do Time Lord. Vale também dizer que a lista está sujeita a alterações futuras.

O único companion que não constará na lista, por falta de imagem, é Robert Zierath, que foi companion do 1º Doutor ao lado de Vicki e Steven no conto The Schoolboy’s Story, publicado em Short Trips: Repercussions.

.

Susan Foreman

(Carole Ann Ford)

Susan em An Unearthly Child e The Five Doctors.

Outros nomes: Arkytior, Susan English, “Forehead”, Susan Campbell

Informações: Neta do Doutor. Partiu com ele de Gallifrey em The Name of the Doctor. Seu nome verdadeiro era Arkytior, que significa “rosa”, em alto gallifreyano. Queria “pertencer” a algum lugar e gostava da Terra. Estudou na Coal Hill School e teve grande destaque nas disciplinas de História e Ciências. Após a partida da TARDIS, Susan voltou a aparecer na série novamente, em 1983, no Especial de 20 anos de Doctor Who, The Five Doctors. A personagem também aparece em várias mídias do Universo Expandido.

Início como companion: Gallifrey, tempo indeterminado – The Name of the Doctor  (2013)

Primeira aparição na série: Londres, 23 de novembro de 1963 – An Unearthly Child (1963)

Partida da TARDIS: Londres, 2164 – The Dalek Invasion of Earth (1964)

.

Amy e Tony Barker

Informações: Enquanto brincavam de esconde-esconde (o desenho faz com que eles pareçam adultos, mas não, era dois adolescentes), Amy e Tony descobrem a TARDIS destrancada e resolvem entrar para ver o que havia dentro da cabine. Eles acabam se tornando companheiros do Doutor por uma viagem, ajudando-o a se livrar de uma acusação de assassinato na Sense Sphere. Como nessa aventura não temos a citação de Susan, acredita-se que o Doutor estivesse viajando mesmo sozinho, procurando um novo lar onde ele e sua neta pudessem viver tranquilamente.

Início [e fim] como companions: Londres, 1966 – The Monsters from Earth – Doctor Who Annual 1966 (1965).

.

Barbara Wright

(Jacqueline Hill)

Barbara como professora da Coal Hill School e como Yetaxa, em Os Astecas.

Outros nomes: Yetaxa, Barbara Chesterton

Informações: Professora de História da Coal Hill School e com interesse especial na civilização Asteca. Colega de trabalho de Ian Chesterton, com quem acaba se casando após as viagens com o Doutor (Quadrinhos: Hunters of the Burning Stone). Ela se tornou professora universitária em Cambridge, responsável pela disciplina de História Asteca. Atuou nessa área e na mesma universidade que o esposo até cerca de 2010. Segundo Sarah Jane Smith, Barbara e Ian parecem não ter envelhecido (TV: Death of the Doctor).

Início como companion: Londres, 23 de novembro de 1963 – An Unearthly Child (1963)

Partida da TARDIS: Londres, 1966 – The Chase (1965)

.

Ian Chesterton

(William Russell)

O ator William Russell no início da série, em 1963, e em 2014.

Outros nomes: Sir Ian, Knight of Jaffa

Informações: Professor de Ciências da Coal Hill School, é sequestrado pelo Doutor juntamente com sua colega de trabalho, Barbara Wright, quando investigavam um galpão onde supostamente um de suas alunas, Susan Foreman, morava. Durante suas viagens com o Doutor, Ian é nomeado Cavaleiro de Jaffa por Ricardo Coração de Leão. Depois de suas viagens na TARDIS, Ian se especializa em Astronomia e se torna professor universitário em Cambridge. Ele e sua esposa Barbara tiveram um filho (John Alydon Ganatus Chesterton), que virou um cantor pop. Os dois nomes do meio de “Johnny Chess”, como será chamado artisticamente, foram escolhidos em homenagem aos Thals que Ian e Barbara conheceram em Skaro, no arco The Daleks. Por volta de 2010, Ian se tornou Diretor da Coal Hill School, onde Clara Oswald, companion do 11º Doutor, lecionava.

Início como companion: Londres, 23 de novembro de 1963 – An Unearthly Child (1963)

Partida da TARDIS: Londres, 1966 – The Chase (1965)

.

Vicki Pallister

(Maureen O’Brien)

Vicki no início de suas viagens (esquerda) e junto de Ian e Barbara (direita).

Outros nomes: Cressida, Victor

Informações: Vicki nasceu na Terra, em 2479. Aos 10 anos, recebeu o certificado de medicina, física, computação e química, mas também estudou História do Século XX e Paradoxos Temporais. Sua mãe morreu quando ela tinha 11 anos de idade e, aos 14 anos, partiu com o pai para uma colônia terráquea no Planeta Astra, devido a um convite para trabalho que seu pai recebeu. A nave UK-201, no entanto, cai no Planeta Dido. É nos acontecimentos a partir desse ponto que o Vicki conhecerá o 1º Doutor. O Time Lord a considerava uma “segunda neta”, sentimento que tinha porque conheceu Vicki logo após a partida de Susan da TARDIS. Anos depois de suas aventuras ao lado do Doutor, Vicki voltou a encontrar o Time Lord, mas a sua 8ª encarnação, ao lado de Charley Pollard e Shakespeare.

Início como companion: Planeta Dido, c. 2167 – The Rescue (1965)

Partida da TARDIS: Tróia, c. 1184 a.C. – The Myth Makers (1965)

.

Katarina

(Adrienne Hill)

Katarina, a primeira companion a morrer na série.

Outros nomes: Serva

Informações: Katarina foi companion do Doutor por um curtíssimo tempo após a partida de Vicki. Ela era uma Troiana e acreditava que o Doutor era um deus/Zeus. Foi a primeira companion do Doutor a morrer na série, e de uma forma bastante violenta e desalentadora – ameaçada por um criminoso do planeta Kembel, ela deliberadamente abriu a câmara de ar e se expulsou juntamente com o criminoso para o vácuo.

Início como companion: Tróia, c. 1184 a.C. – The Myth Makers (1965)

Partida da TARDIS: Nave Spar 7-40, Espaço, The Daleks’ Master Plan (1965 – 1966)

.

Sara Kingdom

(Jean Marsh)

A controversa Sara Kingdom

Outros nomes: Space Security

Informações: Sara Kingdom é uma das companions mais controversas da série. Ela estava em um dos mais altos escalões do Serviço de Segurança Espacial e obedecia ordens de Mavic Chen, um déspota terráqueo em ascensão com sonhos de conquistas galácticas. Sara conhece o Doutor na série e, num espaço de 6 meses, faz uma série de viagens com o Time Lord no Universo Expandido. O grande problema é que quando voltamos para os eventos de The Daleks’ Master Plan, temos Sara matando o próprio irmão! Mesmo que o seu final tenha sido heroico, para mim, a atenção dada a ela fora da série é simplesmente uma forçada horrível de barra. Ela é a única companion do 1º Doutor de quem eu realmente não gosto.

Início como companion: The Daleks’ Master Plan (1965 – 1966)

Partida da TARDIS: The Daleks’ Master Plan (1965 – 1966)

.

Steven Taylor

(Peter Purves)

Steven em dois momentos diferentes da série.

Outros nomes: Steven Regret, Diomede, Majestade

Informações: Steven era humano, mas se juntou à TARDIS — se escondendo nela — no planeta Mechanus, onde esteve prisioneiro. Ele nasceu no dia 10 de fevereiro de algum ano bem depois da invasão dos Daleks à Terra (2167) e bem antes de Sara Kingdom atuar como funcionária do governo (4000). Se alistou no Exército na juventude e foi timoneiro em um navio de guerra e piloto de combate solo. Em uma de suas missões, caiu na selva do Planeta Mechanus e acabou sendo capturado pelo Mechanoides, permanecendo prisioneiro por 2 anos. Em sua solidão, fez um mascote de panda chamado HiFi.

A relação de Steven com o Doutor sempre foi pautada por conflitos, já que ambos tinham personalidades muito fortes. Eles chegaram até a se separar por um tempo. Sabemos que entre o arco The Dalek’s Master Plan e The Massacre existe uma série de histórias não televisionadas e mesmo se não houvesse o Universo Expandido para nos mostrar isso, fica óbvio que entre essas aventuras aconteceram outras coisas, porque em The Massacre não há sequer citação de todo o horror vivido pelo Doutor e Steven em Kembel, especialmente após a morte de Sara Kingdom.

Depois da Trilogia Oliver Parker (The Perpetual BondThe Cold EquationsThe First Wave), as brigas entre o Doutor e Steven alcançam um nível crítico. O Doutor aproveita uma folga do companion e visita uma situação do seu passado no conto Ash e em seguida um jardim de rosas na HQ Roses. Esse é o tempo em que o ele e Steven realmente dão um tempo um do outro. Provavelmente concordaram com isso após o Doutor voltar do jardim. Em seguida, o Time Lord entra pelo Tim Scoop e aparece em The Five Doctors e The Witch Hunters. Na sequência, passa a viajar sozinho e então com os netos John e Gillian. Só depois desse longo tempo separados (na perspectiva do Doutor) eles voltam a se encontrar (Conto: Making History).

Steve acabou se tornou rei no planeta em que resolveu ficar após a sua partida da TARDIS no arco The Savages. Ele teve três filhas (uma delas de nome Dodo) e foi deposto do trono por duas delas.

Início como companion: Planeta Mechanus, 3565 – The Chase (1965)

Partida da TARDIS: Planeta não nomeado – futuro (fim dos tempos) – The Savages (1966)

.

Oliver Parker

(Tom Allen)

Informações: Oliver era um comerciante londrino em 1966. Quando conheceu o Doutor, ele estava sendo preso pela Polícia Metropolitana por “engajamento em práticas homossexuais”, um crime nos anos 60, no Reino Unido. Inicialmente ele manteve segredo sobre sua pulsão sexual para o Doutor e Steven, com medo de ser expulso da TARDIS. Eventualmente, Oliver acaba conversando a respeito com Steven. Oliver foi morto por Vardans num planetoide chamado Grace Alone, e permaneceu como um fantasma na TARDIS. Foi como fantasma que ele viu a regeneração do 1º para o 2º Doutor.

Início como companion: The Perpetual Bond (The Companion Chronicles, 2011)

Partida da TARDIS: The First Wave (The Companion Chronicles, 2011)

.

Família Mortimer

Informações: O casal George e Helen e os filhos Alan e Ida Mortimer foram companions do 1º Doutor na primeira publicação em livro original da série, ou seja, não baseada em nenhum roteiro televisionado. Como uma família do século XVII, é evidente que acreditaram que a TARDIS e o Doutor eram obras de magia. A família viajou com o Doutor pela Galáxia Andrômeda, num futuro distante.

Início [e fim] como companions: Londres, 02/09/1666 – Doctor Who and the Invasion from Space (1966).

.

John e Gillian

Informações: Os irmãos John e Gillian foram os primeiros companions do Doutor no Universo Expandido de Doctor Who. Eles eram netos do Doutor. Embora eu já tenha comentado sobre eles na biografia do avô, alguns detalhes ficaram de fora, então pretendo fazer uma versão definitiva de informações sobre eles aqui.

O que sabemos sobre John e Gillian até agora possui três versões. A primeira diz que eles existiram. A segunda diz que eles foram  um sonho do 8º Doutor (HQ: The Land of Happy Endings). A terceira diz que eles são uma criação da Terra da Fantasia (ou Land of Fiction), criada pelos Great Old Ones chamados Raag, Nah e Rog ou Deuses do Ragnarok (Livro: Conundrum).

Se considerarmos a segunda e terceira versão como verdadeiras, não temos quase nada a dizer. O 8º Doutor teve apenas um longo sonho com várias de suas encarnações vivendo muitas aventuras ao lado de John e Gillian. Simples assim. Agora, se considerarmos a primeira versão como verdadeira, algumas considerações podem ser feitas.

Início: não existe nenhuma versão de que o Doutor conheceu ou encontrou John e Gillian ANTES de The Klepton Parasites. Os dois irmãos, porém, sabiam da existência do avô e vão procurá-los num galpão onde a TARDIS está materializada. Isso pode ser facilmente explicável. Pode também haver a possibilidade de o Doutor tê-los conhecido quando eram bem menores.

Há também uma indicação, no livro Time and Relative , que Susan foi colega de escola (Coal Hill School) de dois jovens chamados John Brent e Gillian Roberts.

Viagens: Como já foi dito, John e Gillian começam a viajar com o avô em The Klepton Parasites e permanecem com ele até The Experimenters. O Doutor estava viajando sozinho nesse período, tendo deixado Steven por um tempo após os eventos de The First Wave. DEPOIS de The Experimenters, é possível que o Doutor tenha pressentido sua regeneração futura e também começado a sentir os primeiros sintomas de fraqueza do corpo. Ou mesmo sentiu que era tempo de começar a viajar sozinho novamente, antes de voltar para pegar Steven e continuarem juntos novamente (O Massacre da Noite de São Bartolomeu). Com isso, ele pode ter feito duas coisas:

  1. Deixado John e Gillian na Terra e, devido a questões que vocês podem conferir na Linha do tempo do 2º Doutor, voltado para juntar-se a eles novamente e explorar o Universo juntos quando já tinha se regenerado. Essa versão é a mais improvável.
  2. Ido para o futuro e deixado John e Gillian com sua encarnação seguinte, dizendo aos netos que era um amigo próximo, um parente distante algo do tipo. Isso explica o porquê John e Gillian nunca chamaram o 2º Doutor de avô — enquanto chamavam o 1º constantemente — e também porque o 2º Doutor, em The Extortioner — sua primeira aventura ao lado dos dois irmãos –, os deixa na TARDIS e vai explorar o local sozinho. Talvez ele estivesse com receio de levá-los para fora, talvez fosse uma responsabilidade nova (nesse novo corpo) para ele cuidar de dois adolescentes e ele estava com medo de que algo acontecesse.

Em relação ao futuro e John e Gillian após as viagens com os dois primeiros Doutores, não há informações precisas. O que sabemos é que John se torna um professor de Ciência Espacial e acaba, às vezes, adotando o pseudônimo de Professor John Who. Ele também foi responsável por avisar um ataque de Trods no futuro, através de um memorando que escreveu para a SSS (Space Security Service).

Início como companions ao lado do 1º Doutor: The Klepton Parasites (TV Comic, 1964)

Última viagem com o 1º Doutor: The Experimenters (TV Comic, 1967)

Primeira viagem com o 2º Doutor: The Extortioner (TV Comic, 1966 – 1967)

Partida da TARDIS: Invasion of the Quarks (TV Comic, 1968)

.

Doctor Who Annual 1967

(Chertzog, Hill, Shelly, Dot Strong, Jack Trong)

Informações: Não é possível encontrar uma imagem com todos os companions do 1º Doutor para as duas histórias dessa edição do Anuário da série, da mesma forma que não podemos separar cada um deles, uma vez que não possuem biografia desenvolvida nos contos ou usos posteriores na mitologia da série.

Início [e fim] como companion: Planeta Corbo / Planeta Rhoos – The Devil-Birds of Corbo / The Playthings of Fo (DW Annual 1967).

.

Dodo Chaplet

(Jackie Lane)

Dodo Chaplet em momentos diferentes da série.

Outros nomes: Dodo Dupont

Informações: Dodo nasceu em 1949. Sua avó era francesa e alguém que o Doutor conhecera na mesma aventura em que ao final Dodo aparece, de repente, na TARDIS. Ela é uma das poucas pessoas que entraram na TARDIS achando que era, de fato, uma cabine de polícia. Após sua partida extremamente ingrata em The War Machines, quase 100% das publicações a respeito de Dodo se contradizem. Seja sobre a infância, a vida pós-TARDIS ou a morte da companion, é muito difícil encontrar enredos com pontos aos quais podemos escolher como algo canônico.

Início como companion: Londres, 25/03/1965 – The Massacre of St Bartholomew’s Eve (1966)

Partida da TARDIS: Londres, 20/07/1966 – The War Machines (1966)

.

Polly Wright

(Anneke Wills)

Anneke Wills quando entrou na série, em 1966, e em 2013, quando gravava áudios da série para a Big Finish.

Outros nomes: Duquesa

Informações: Polly nasceu em Londres, em 1942. Em julho de 1966 ela conhece Ben Jackson, Dodo Chaplet e o Doutor em um de seus bares favoritos de Londres, o Inferno. É ela quem leva a mensagem de despedida de Dodo para o Doutor e, por acidente, acaba, juntamente com Ben, se tornando passageiros da TARDIS. Polly e Ben são os companions que assistem à regeneração do 1º Doutor e passam a viajar com o 2º Doutor. A vida de Polly é bastante tumultuada, ela fica noiva, se separa e depois se casa com Ben Jackson. Ela volta a encontrar outra encarnação do Doutor e conhece outros companions. Segundo Sarah Jane, em Death of the Doctor, por volta de 2010, ela e Ben administravam um orfanato na Índia.

Início como companion: Londres, 20/07/1966 – The War Machines (1966)

Última aventura com o 1º Doutor: Antártida, dezembro de 1986 – The Tenth Planet (1966)

Partida da TARDIS: 20/07/1966 – The Faceless Ones (1967)

.

Ben Jackson

(Michael Craze)

Michael Craze em 1966, quando se juntou à série, e em final dos anos 90, com Anneke Wills, e um Cybermen.

Outros nomes: Marinheiro

Informações: Ben nasceu em Londres, em 1942. Seu amor ao mar começou ainda na adolescência, o que o fez entrar para a Marinha Britânica na juventude. Uma série de causas fará com que Ben encontre Polly, Dodo e o Doutor no clube Inferno, em Londres. Após as viagens com ambas as versões do Doutor que conheceu, Ben pede Polly em casamento (1966). A relação dele e Polly não dura. Eles se casam com outras pessoas, se tornam viúvos e, enfim, casam-se.

Início como companion: Londres, 20/07/1966 – The War Machines (1966)

Última aventura com o 1º Doutor: Antártida, dezembro de 1986 – The Tenth Planet (1966)

Partida da TARDIS: 20/07/1966 – The Faceless Ones (1967)

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.