Entenda Melhor | Doutor Estranho – Referências, Easter-Eggs e as Cenas Pós-Créditos

Obs: Obviamente, se não assistiu ao filme, é desaconselhável seguir em frente com a leitura deste artigo, já que ele está abarrotado de spoilers de Doutor Estranho. Portanto, siga em frente apenas se já viu o filme ou se realmente não se importar com spoilers. Nós avisamos!

Como é costume aqui no site, não podemos ver um blockbuster que já começamos a fazer nossos encantamentos arcanos para achar e enumerar as referências e easter-eggs generosamente inseridos pela produção, especialmente no cada vez mais intrincado Universo Cinematográfico Marvel – UCM. E não poderia ser diferente com Doutor Estranho que, apesar de ser um filme razoavelmente auto-contido, está magicamente entupido de referências aos quadrinhos e aos demais filmes deste universo.

Há muita coisa interessante para se descobrir aos poucos sobre o filme. Assim, resolvemos montar uma espécie de compêndio contendo todas as referências que nossos poderes permitiram achar. Claro que, como sempre, este é um trabalho em progresso e a contribuição dos nossos mais do que místicos leitores é muito apreciada. Fica desde logo um agradecimento ao Mago Guilherme Coral por ter conjurado quase todas as imagens que ilustram a matéria.

Mas, antes, caso não tenham conferido, deem uma olhada em nossas psicodélicas críticas do filme, clicando nos links abaixo:

Crítica | Doutor Estranho (Sem Spoilers)

Crítica | Doutor Estranho (Com Spoilers)

E que tal o link para as críticas de TODOS os longas, curtas e séries do UCM:

Universo Cinematográfico Marvel

Ou, melhor ainda, clique no link abaixo e acesse TODOS os nossos enigmáticos artigos sobre Easter-Eggs e Referências que preparamos carinhosamente:

Entenda Melhor: Easter-Eggs

E, agora, leiam, comentem e critiquem nossa própria versão do Livro de Vishanti com as referências e easter-eggs de Doutor Estranho.

1. Nova abertura da Marvel Studios

marvel-studios

A Marvel, agora, está tirando onda! Com 14 filmes bem-sucedidos e mais quatro séries de TV (e outras quatro já confirmadas), a produtora decidiu alterar seu icônico logo para Marvel Studios durante a San Diego Comic-Con e, agora, em Doutor Estranho, ela apresenta sua nova vinheta de abertura em que as páginas dos quadrinhos são alteradas para cenas de seu intricado e sempre em expansão Universo Cinematográfico. Apesar de ainda pessoalmente preferir a abertura com os quadrinhos, essa nova dá o verdadeiro senso do quão impressionante tem sido essa estratégia de universo unificado. É como se a Marvel estivesse esfregando isso na cara da concorrência e ainda soltando um sonoro “eu tenho, você não tem…”.

2. Pink Floyd

tumblr_lmw074flmv1qahmg8o1_500

Scott Derickson já havia dito que era fã do Pink Floyd e que talvez ouvíssemos alguma coisa da banda no filme. E dito e feito: o que está tocando na Lamborghini Huracán de Stephen Strange logo antes do acidente? Interstellar Overdrive do álbum de estreia The Piper at the Gates of Dawn, de 1967. Não só é a década em que o Doutor Estranho apareceu nos quadrinhos como essa música instrumental é o rock psicodélico do Pink Floyd em sua melhor forma, já prenunciando o tipo de “viagem” lisérgica que Estranho faria a partir do momento em que se encontra com a Anciã.

Nosso leitor Raphael Bruno Lopes me lembrou que a relação entre o Pink Floyd e o Doutor Estranho é mais complexa ainda. A arte do álbum A Saucerful of Secrets, de 1968, feita por Hipgnosis, contém uma imagem do Doutor Estranho tirada diretamente dos quadrinhos. Além disso, em 1969, Roger Waters compôs Cymbaline que referencia o Doutor Estranho diretamente:

The lines converging where you stand
They must have moved the picture plane
The leaves are heavy around your feet
You hear the thunder of the train
And suddenly it strikes you
That they’re moving into range
Doctor Strange is always changing size

3. A ponta de Stan Lee (e de Aldous Huxley)

door-of-perception

Rindo como um doido, Stan Lee aparece em um ônibus lendo As Portas da Percepção (The Doors of Perception), ensaio filosófico de Aldous Huxley, publicado originalmente como livro em 1954. Do que o livro fala? Oras, não podia ser algo mais apropriado: tratam-se das memórias de Huxley de uma “viagem” de mescalina que ele fez em uma tarde de 1953. Resta saber se Lee estava também sob influência de alucinógenos quando fez a cena…

4. Dormammu é Cumberbatch

cumber-motion

Na verdade, a imagem de Dormammu é captura de performance de Benedict Cumberbatch, não a voz, que é de um ator britânico que não recebeu créditos. Foi ideia do próprio ator, que Derrickson aceitou prontamente. Imagine só a dupla viagem: o Doutor Estranho já está em uma dimensão psicodélica e, como se isso não bastasse, lutando contra ele mesmo!

5. Benjamin Bratt + basquete + filmes de super-heróis

benjamin-bratt

Não acredito em coincidências. Portanto, não posso acreditar que tenha sido sem querer que o personagem de Benjamin Bratt, Jonathan Pangborn, apareça jogando basquete sem que uma mensagem maior esteja sendo passada. Afinal, em outro filme de super-herói – só que um dos piores já feitos – ele aparece fazendo a mesma coisa. Não estão lembrados do filme? É que talvez vocês tenham apagado da memória. Trata-se do sofrível Catwoman, com Hale Berry no papel-título. E aí, bora assistir de novo a bomba da Warner para relembrar a cena? Vai lá, eu espero…

6. A psicodelia de Steve Ditko

ditko-strange

Tanto o arremesso psicodélico de Stephen Strange pela Anciã quanto a Dimensão Negra de Dormammu são fortemente inspiradas pelo desenho pscodélico de Steve Ditko, prolífico artista de quadrinhos que, junto com Stan Lee, criou o Doutor Estranho em 1963, em pleno movimento da contracultura. Ditko desenhava dimensões paralelas como viagens de alucinógeno (apenas estou repetindo o que os outros disseram sobre o assunto, claro…). Na Dimensão Negra, vale especial nota as esferas (ou planetoides) que aparecem, por fazerem mímica direta dos desenhos de Ditko, como a imagem acima ilustra.

7. Olho de Agamotto = Joia do Tempo

agamotto

Apesar de ter sido um tanto artificial o comentário final de Wong ao Doutor Estranho dizendo que o Olho de Agamotto era uma joia do infinito, pelo menos isso serviu para confirmar uma antiga tese de fãs de que o objeto mágico era a quinta joia,  mais precisamente a joia do tempo (duh!). Só relembrando as outras joias:

Tesseract (cubo cósmico de Capitão América: O Primeiro Vingador, hoje em Asgard) – joia do espaço
??? (meu chute: Head of Adam Warlock ou Cabeça de Adam Warlock) – joia da alma
Aether (Éter, de Thor 2, hoje com o Colecionador) – joia da realidade
Necklace (colar – Olho de Agamotto) – joia do tempo
Orb (orbe de Guardiões da Galáxia, hoje com a Força Nova) – joia do poder
Sceptre (cetro de Loki em Os Vingadores, hoje na testa do Visão) – joia da mente

Sim, as iniciais dos objetos usados para conter as joias formam THANOS… Ou, pelo menos, até agora formam Thanos…

Como a leitora Jaqueline Barella Comarela lembrou, há rumores rolando por aí que a sexta joia seria a pedrinha que fica no peitoral da armadura de Heimdall (Idris Elba) e que, para retirá-la, ele precisaria morrer, algo que possivelmente veremos em Thor: Ragnarok. Será?

8. Linha Temporal 1: quem Strange se recusa a operar?

hammer-stark

Uma das perguntas que não querem se calar é: quanto exatamente se passa Doutor Estranho dentro do Universo Cinematográfico Marvel?

A grande verdade é que essa pergunta e sua resposta exata não interessam de verdade. Mas sabe T.O.C.? Poi é. Sofro muito disso e não consigo simplesmente ignorar a linha temporal. Mas o filme dá algumas boas pistas sobre o período em que se passa.

A primeira delas é a conversa telefone de Stephen Strange em seu carro, antes do acidente, em que seu assistente sugere diversas possíveis cirurgias para ele fazer. Uma delas é de um “coronel da marinha de 35 anos, com a espinha dorsal inferior esmagada com alguma armadura experimental”. Imediatamente, tenho certeza, todo mundo – inclusive eu – pensou em Capitão América: Guerra Civil, mais precisamente a sequência em que o Coronel James Rhodes (ou Máquina de Combate), é atingido por um raio de um distraído Visão e despenca das alturas quase morrendo. Quando o vemos novamente, ele está tentando voltar a andar, claramente com sérios problemas na espinha dorsal.

Mas, simplesmente não pode ser Rhodey, por mais que queiramos. Afinal, ele não tem 35 anos. O ator tem 51 anos e seu personagem não pode ter menos do que 40 (ele é contemporâneo de Stark). Além disso, ele é um coronel, mas da aeronáutica, não da marinha. E, em cima disso tudo, tem a questão de que ninguém chamaria a armadura do Máquina de Combate como experimental…

No entanto, a principal razão para não ser ele é justamente a bagunça que isso faria na linha temporal. Pensem comigo: se o começo de Doutor Estranho se passa depois de Guerra Civil, então tudo o que acontece no filme se passa em um intervalo de tempo mínimo, coisa de poucas semanas, menos até, o que tornaria impossível o treinamento do herói em Kamar-Taj e tudo o que vem em seguida.

Portanto, nada de Rhodey. Esse possível paciente só pode ser outro coronel qualquer usando armaduras experimentais. Como Stark não faz mais isso para o exército, então só resta Justin Hammer, industrial milionário que, mesmo preso, não parou de fazer armas como visto na primeira temporada de Luke Cage. Como ele já havia feito armaduras experimentais desastrosas em Homem de Ferro 2, é muito mais provável que sejam armaduras que continuem causando problemas. Ufa!

9. Linha Temporal 2: Torre dos Vingadores

avengers-tower

Outra pista sobre a linha temporal de Doutor Estranho está nas duas aparições da Torres dos Vingadores no filme, a primeira logo na tomada inicial e a segunda na batalha entre Strange e Kaecilius pela cidade. Ambas as vezes, a torre está intacta.

Se ela já existe como Torres dos Vingadores (não Torre Stark, como originalmente ela era), então isso quer dizer que o começo do filme se passa em algum momento após Capitão América: Soldado Invernal. Isso faz sentido se pensarmos que a primeira vez que ouvimos falar de Stephen Strange no UCM é justamente em Soldado Invernal, como alvo da HYDRA, mas não porque ele já tem poderes, mas sim por ele ser um potencial problema futuro (um cara com a capacidade dele seria um alvo natural).

Com isso, o treinamento de Strange poderia se dar por um período mais longo, talvez de um ano ou até mais do que isso (lembrando que Christine Palmer diz que Estranho sumiu por muito tempo), já que mesmo em Vingadores: Era de Ultron, a destruição da torre é apenas parcial e a reconstrução é bem provável mesmo com a criação de um complexo extra fora de Manhattan.

Portanto, em minha opinião, o filme se passa entre Capitão América 2 e o presente do UCM. E não conto aqui as cenas pós-créditos, que serão abordadas mais para a frente.

10. Kaecilius e comparsas = Acéfalos?

mindless-ones

Lá na Dimensão Negra de Dormammu, conforme os quadrinhos de Stan Lee e Steve Ditko, existem criaturas descerebradas – The Mindless Ones ou Acéfalos – que infernizam a vida do demônio extra-dimensional. Mas o que isso tem a ver com o filme?

Bem, pode ser um exagero, mas, novamente, não creio em coincidências e, quando Kaecilius e seus comparsas estão sendo tragados para a Dimensão Negra por Dormammu depois da barganha de Estranho, eles começam a suspeitamente a tomar forma dos Acéfalos, com corpo acinzentado parecendo pedra e uma alteração em suas cabeças que me pareceram transformá-los em seres ciclópicos como na imagem acima. Se eu estava sob efeito de alucinógenos? Bem, vocês NUNCA saberão…

11. Daniel Drumm morre

daniel-drumm-spirit

Daniel Drumm, vivido por Mark Anthony Brighton, faz uma ponta em Doutor Estranho como o Mestre protetor do Sanctum Santorum de Nova York. Ele é chamado de Mestre Drumm e seu primeiro nome, Daniel, só é visto nos créditos do filme. Nos quadrinhos, Daniel Drumm é o primeiro Irmão Vodu, uma versão vodu do Doutor Estranho. Quando ele morre, sua alma se reúne com a de seu irmão gêmeo Jericho, para criar o segundo Irmão Vodu, que chega até mesmo a substituir Estranho como Mago Supremo da Marvel por um tempo.

Como o Mestre Drumm é morto por Kaecilius, pode ser que uma pequena porta tenha se aberto para futuramente termos o Irmão Vodu no UCM, se a alma de Daniel juntar-se à de seu irmão.

12. Tribunal Vivo

living-tribunal

Mordo mostra o Cajado do Tribunal vivo para o Doutor Estranho, uma arma mística que ele usa em treinamento. Ainda que o cajado em si não exista nos quadrinhos, o Tribunal Vivo é uma poderosíssima entidade cósmica que apareceu pela primeira vez no arco do Doutor Estranho intitulado As Areias da Morte, em Strange Tales #157 a 163, de junho a dezembro de 1967. Nos quadrinhos, a entidade tem a função de manter o equilíbrio das realidades que compões o Multiverso Marvel, agindo como juiz das realidades em si. Será que um dia veremos o Tribunal Vivo em algum filme do MCU?

13. Varinha de Watoomb

watoomb

Outro artefato místico mencionado por Mordo é a varinha de Watoomb que, na verdade, chegamos a rapidamente ver na mão de Wong na luta final em Hong Kong. Tem chifre, olhos e boca igual à sua versão dos quadrinhos, que uma extremamente poderosa ferramenta para canalizar magia (na verdade, ela é uma varinha de seis).

14. Vaulting Boots of Valtorr (Botas Saltitantes de Valtorr)

valtorr

O terceiro artefato místico citado e usado por Mordo são as Botas Saltitantes de Valtorr (em tradução livre, pois realmente não me lembro como foi a tradução para o português). Não há um paralelo exato nos quadrinhos, mas estranho já usou ou citou as Víboras de Valtorr e os Vapores de Valtorr, além dos Verdejantes Vasos de Valtorr. Uma pena que a aliteração não tenha sido mantida nas botas…

15. O Livro de Cagliostro

cagliostrosorcerer1

Apesar de o Livro de Vishanti ser o mais proeminente na mitologia em quadrinhos do Doutor Estranho, ele não aparece (pelo menos não é possível identificá-lo) no filme. Temos, em seu lugar, o Livro de Cagliostro, que também faz parte da mitologia do personagem.

Ele lida com a vida pessoal do mago Cagliostro durante o século XVIII e todo seu conhecimento místico obtido por seus estudos de outras fontes, incluindo o Darkhold, o Livro dos Pecados que tem aparecido de forma proeminente na 4ª temporada de Agents of S.H.I.E.L.D. No filme, ele é usado por Kaecilius para conseguir contactar Dormammu, mas, nos quadrinhos, ele é usado por Mordo para viajar no tempo e convencer o feiticeiro Sise-Neg a ser seu mestre. Como muito do filme lida com a manipulação temporal, o uso do livro segue razoavelmente sua contrapartida em quadrinhos.

16. Referências diretas a situações dos quadrinhos

16.1. Origem do Doutor Estranho

doc-origin-c

A origem do Doutor Estranho, contada pela primeira vez em Strange Tales #115 e repetida diversas vezes em publicações posteriores, mas sempre mantendo consistência. E, no filme, o que vemos é uma reverência completa ao material fonte no que se refere à origem do herói. A lista abaixo é da origem que vemos nos quadrinhos só para o leitor que não a conhecê-la poder ter uma clara visão do que mencionei:

  • Strange é um neurocirurgião arrogante e milionário.
  • Ele Tem um acidente de carro esportivo caindo de um precípicio.
  • Ele é resgatado e operado, mas tem sérias sequelas nos nervos que o impedem de fazer cirurgias.
  • Desesperado, Strange tenta de tudo para recuperar os movimentos de suas mãos, gastando toda sua fortuna no processo.
  • Ele ouve falar de uma cura milagrosa e a investiga, descobrindo o Ancião (no caso do filme, Anciã).
  • Ao chegar em Kamar-Taj, ele acaba rendendo-se ao aprendizado das artes místicas, tornando-se o Doutor Estranho.

A única substancial diferença na origem – além da troca de sexo e nacionalidade do Ancião – é que o que leva Strange a estudar as artes místicas é sua descoberta de que Mordo quer matar o Ancião. Mas, se considerarmos que Kaecilius não fica muito atrás nessa tentativa, então podemos dizer que a origem é praticamente igual. Aliás, isso é uma excelente característica das adaptações da Marvel. A história como um todo pode ser diferente, mas os corações das origens que tivemos até agora são impressionantemente próximas das que vemos nos quadrinhos, de Homem de Ferro até Doutor Estranho, passando pela catalisador da primeira reunião dos Vingadores.

16.2. Nicodemus West

nic-west

Nicodemus West, vivido por Michael Stuhlbarg, apareceu pela primeira vez na minissérie O Juramento, em que opera as mãos de Stephen Strange, sem sucesso completo, sentindo-se culpado por isso. O mesmo acontece no filme (menos a parte do sentir-se culpado…). Mais sobre Nicodemus, aqui.

16.3. Operando Strange

doctor-strange-oath

Toda a sequência em que Christine Palmer que, nos quadrinhos, é uma das Enfermeiras Noturnas, opera Stephen Strange depois que ele foge ferido do Sanctum Santorum para o hospital, foi retirada de O Juramento. A projeção astral de Estranho aparece para ela, ajudando-a em sua missão.

16.4. Transferência de poderes:

mordo

Durante o filme, aprendemos que Kaecillius não é muito mais do que um fanático religioso agindo sob instruções de Dormammu e que ele recebe poderes do demônio e da Dimensão Negra. Na verdade, em uma revelação chocante, descobrimos que também a Anciã canaliza energia da mesma dimensão para manter sua longevidade. Essa linha narrativa é exatamente a mesma utilizada no primeiro grande arco narrativo de Doutor Estranho, Uma Terra Sem Nome, Um Tempo Sem Fim, publicada em Strange Tales #130 a #146, entre março de 1965 e julho de 1966, em que Mordo (não Kaecillius) canaliza os poderes de Dormammu para atacar o Doutor Estranho e o Ancião, pois Dormammu não pode atacar diretamente a Terra em razão de promessa feita ao Doutor Estranho (mais sobre isso adiante). Esse arco, aliás, é onde Kaecilius aparece pela primeira vez.

16.5. Barganha com Dormammu

doutor_estranho_duelo_com_dormammu_plano_critico

No mini-arco que relata o primeiro encontro do Doutor Estranho com Dormammu, publicado em Strange Tales #126 e #127, de novembro a dezembro de 1964, o conflito acaba quando Estranho ajuda Dormammu a lidar com os Acéfalos, deixando o demônio em seu débito. Com isso, Estranho faz Dormammu prometer que jamais atacará a Terra novamente.

Ainda que de forma diferente, Estranho faz exatamente a mesma barganha em seu primeiro encontro com Dormammu no Universo Cinematográfico Marvel. Não dá para reclamar de falta de fidelidade, não é mesmo?

16.6. The bill is due (“A conta será cobrada”)

monako

No primeiro arco da nova revista solo do Doutor Estranho, o preço pelo uso da magia é mencionado a Estranho, algo que Mordo faz mais de uma vez ao longo do filme. E, claro, a frase dita por Mordo é uma forma de já cantar a pedra para a futura inimizada entre os dois.

16.7. Tentando escrever o nome

strange

Na minissérie Strange, de 2004/5, escrita por J. Michael Straczynski, publicada sob o selo Marvel Knights e que reimagina a origem do Doutor Estranho, Strange tenta escrever seu nome e não consegue. Vemos algo bem parecido no filme, logo antes do personagem brigar quase que em definitivo com Christine Palmer. [referência sugerida pelo leitor Johnny Vitor]

17. Tina Minoru e o Cajado

tina-nico

O momento é breve, mas Tina Minoru, vivida por Linda Louise Duan, faz uma participação no filme como uma das manipuladoras de magia em Kamar-Taj. E ela usa o Cajado do Absoluto. O que quer dizer Tina Minoru e Cajado do Absoluto?

Bem, que lê os quadrinhos sabe, mas quem não lê precisa saber que Tina é uma personagem menor dos quadrinhos, que surgiu em Os Fugitivos #1 como vilã e mãe de Nico Minoru. Nico sim é uma personagem mais importante, tornando-se uma dos Fugitivos (filhos que descobrem que seus pais são vilões e fogem de casa) e, depois, participa de diversos outros grupo. Mãe e filha usam o Cajado do Absoluto para canalizar energia mágica. Mais sobre Tina, aqui.

18. Kaecilius = Kaluu + Mordo

kaluu-mordo

Kaecilius (mais sobre o personagem, aqui) nunca foi importante nos quadrinhos, tendo surgido de maneira inominada no arco Uma Terra Sem Nome, Um Tempo Sem Fim, publicada em Strange Tales #130 a #146. Mas, de certa forma, ele é uma amálgama de dois outros feiticeiros do Universo Marvel ligados com a mitologia do Doutor Estranho: Kaluu e Barão Mordo. O primeiro foi amigo e o segundo discípulo do Ancião nos quadrinhos e ambos traíram o Mago Supremo.

19. Inspirações: Cosmos e Matrix

cosmos-matrix

Cosmos foi citado como inspiração explícita para o filme por Kevin Feige e, de fato, para quem viu as duas versões da série (a original e a de 2014), é fácil traçar os paralelos com a “nave da imaginação” criada por Carl Sagan e que nos faz viajar pelo universo e diversas dimensões. No caso de Matrix, o paralelo está mais na determinação de que Estranho é o “escolhido”, assim como Neo e no “acordar” do personagem para mais de uma realidade.

20. Shamballa

shamballa

A senha do wi-fi em Kamar-Taj é Shamballa. E não é uma coincidência. Claro que não.

Para começar, Shamballa é, por si só, um local místico citado em diversos textos sagrados sobretudo no oriente. Além disso, o local foi usado como inspiração para uma famosa graphic novel do Doutor Estranho, intitulada apenas Shamballa, em que os Lorde de Shamballa tentam convencer o herói a levar a Terra à sua Era de Ouro fazendo encantamentos em templos ao longo das chamadas Linhas de Ley, que são supostos alinhamentos místicos existentes no planeta. Reparem que os três Sactum Santorum – Hong Kong, Londres e Nova York – são citados como espécies de Linhas de Ley por Wong e Mordo logo antes do ataque de Kaecilius, o que confirma menções de Scott Derickson a essa graphic novel como uma das inspirações para o filme.

21. Referências à cultura pop: Adele, Beyoncé,
Bono, Eminem, Drake (e Aristóteles…)

referencias-strange

Wong é só Wong, como Strange descobre, tentando fazer gracinhas com diversos outros ídolos da cultura pop que ele cita, jogando um Aristóteles no meio só para dar peso. Mas Wong não acha graça.

Mas descobrimos que ele gosta sim de Beyoncé…

22. Enfermeira Noturna

night-nurse

Christine Palmer, vivida por Rachel McAdams, é a mais recente encarnação live-action da Enfermeira Noturna. A primeira versão é Claire Temple(Rosario Dawson), que já deu as caras em todas as séries Marvel/Netflix. Apesar de nenhuma das duas ter oficialmente o nome de Enfermeira Noturna, o fato de elas serem duas pessoas encarnando o conceito da personagem já é algo mais do que interessante tirado dos quadrinhos já que lá são três as Enfermeiras, uma delas Palmer (Claire nunca foi uma das Enfermeiras nos quadrinhos). Mais sobre Palmer, aqui.

23. Clem

clem-so

Quem é Clem? Trata-se de um extra que já faz sua segunda aparição no UCM. A primeira foi em Guardiões da Galáxia, na sequência da prisão e, agora, o vemos em Doutor Estranho. Como sabemos disso? Bem, primeiro ele é creditado nos dois filmes e, segundo, ele tem cabelos longos brancos completamente características. E sim, ele está lá em Kamar-Taj. Não viram, então essa é a principal razão para assistir ao filme mais uma vez, não?

24. Os Vingadores

avengers

O mais famoso grupo de super-heróis da Marvel é citado por Wong e Mordo como os protetores do “mundo físico”, enquanto que os magos são como Vingadores para o “mundo espiritual”. Isso reforça a tese que o grupo já está formado e agindo pelo mundo durante os acontecimentos do filme.

25. Dormammu

dormammu

Muita gente pode reclamar da forma como Dormammu aparece no filme, mas eu não sou um deles. Prefiro assim, dessa maneira dramática – conhecida como “cabeçona voadora” – do que como um humanoide de cabeça flamejante como nos quadrinhos – conhecida como “tocha humana” – de forma que ele pareça um deus todo-poderoso como ele mesmo e a Anciã o descreve. Dito isso, é importante notar que, mesmo na forma “cabeçona voadora”, uma de suas principais características foi mantida: os traços que transpassam sua cabeça, como na ilustração acima, classicamente usada para parecer fogo (o Tocha Humana também era desenhado assim).

26. Cavaleiro Negro

black-knight

O Cavaleiro Negro é um dos heróis Marvel com ligação estreita com o Doutor Estranho. Não só ele fez pare dos Defensores, o não-grupo originalmente comandado por Estranho, como seus poderes são de natureza mística, com a Espada de Ébano (parecida com a Excalibur das lendas arturianas) sendo o principal artefato dessa natureza. Aliás, a espada em si era para ter aparecido no filme como parte dos artefatos místicos no Sanctum Santorum, mas a sequência foi tirada do roteiro. No entanto, parece que alguma coisa do Cavaleiro Negro continuou no filme e também no Sanctum Santorum. Seu capacete. Conseguem vê-lo na imagem da direita?

Ou será que é apenas um capacete genérico? Como disse algumas vezes, não acredito em coincidências, portanto…

27. O Manto da Levitação

aladdin

O Manto da Levitação sempre foi mais do que apenas uma capa voadora nos quadrinhos do Doutor Estranho, mas ela nunca teve efetiva vontade própria como vemos no filme. De toda forma, muita coisa que acontece no filme, como a capa sendo usada como um auxiliar nas lutas de Estranho manipulando ferramentas e envolvendo vilões já acontece diversas vezes nos quadrinhos. Mas no filme ela vai mais além ainda e parece ser uma versão vermelha do tapete de Aladdin, animação da Disney, dona da Marvel. Aliás, na animação Aladdin e os 40 Ladrões, de 1996, Cassim, o pai de Aladdin, aparece e ele é a cara do Doutor Estranho… Vão lá, pesquisem… Vocês já sabem o que eu acho de coincidências, não?

28. As Faixas Escarlates de Cyttorak

cyttorak

Aparentemente, o único encantamento que o Doutor Estranho sabe conjurar usando somente suas mãos, sem ajuda de artefatos místicos, é uma espécie de chicote que ele usa tanto para defesa quanto para ataque. Aliás, chicote não, faixa. Aliás, faixa só não. Faixas avermelhadas. E não só avermelhadas, como de Cyttorak. Bem, ok, não necessariamente de Cyttorak, mas é que as Faixas Escarlates de Cyttorak são encantamentos comuns na mitologia do Doutor Estranho dos quadrinhos e eu queria muito que um dos encantamentos clássicos aparecessem no filme e pronto, eu determino que aquilo que ele faz são as Faixas Escarlates de Cyttorak!

Só repetindo: Faixas Escarlates de Cyttorak!

29. Instruções no final

accident

Uma das piadas recorrentes no filme é que os livros de encantamentos não contém avisos sobre sua periculosidade. Estranho reclama dessa inconformidade do livro com as regras do Inmetro diversas vezes depois de só fazer besteira. Mas essa brincadeira é também tema recorrente no filme e pode ser vista também no que o próprio Mordo diz sobre a conta que um dia chegará pelo uso indevido da magia. E, bem ao final dos créditos, aparece uma mensagem tipo “Ministério da Saúde adverte” sobre os perigos de se dirigir falando no celular e coisas do gênero. Ou seja, as instruções vêm sempre ao final mesmo…

Nosso leitor Helder Lucas viu o “preço a ser cobrado” de uma maneira bastante abrangente e interessante. Nas palavras dele: “eu ainda acho que o tal ‘preço a ser cobrado’ pelo uso indevido do Olho de Agamotto é o simples fato de ele ser notado por Thanos. Para ser usado, ele precisa ser ‘aberto’, como apareceu no filme. Em Vingadores 3 (que, eu acredito, tratará de Thanos reunindo as Jóias do Infinito), creio que será explicado, de alguma forma, que o vilão só tomou conhecimento da localização da joia porque Strange a usou de forma tão intensa contra Dormammu. Ele ‘abriu’ por tempo demais o Olho, expondo-o. Será explicado também (possivelmente) que isto jamais fora feito, por isso o Olho permaneceu por tanto tempo longe das garras do Titã Louco e de outros vilões megalomaníacos.”

30. Sanctum Santorum

sanctum

Não só o Sanctum Santorum de Nova York do filme é substancialmente parecido com o dos quadrinhos, com fica no exato mesmo endereço em Greenwich Village: 177A Bleecker Street. Além disso, como nos quadrinhos, ele é maior por dentro do que por fora e é protegido pelo selo de Vishanti em formato de janela/claraboia.

31. Hamir, o Sem-Mão

hamir

Hamir, o mago sem mão que a Anciã usa para mostrar a Strange que não são suas mãos com nervos destruídos que o impedem de fazer encantamentos, é um personagem dos quadrinhos também. Ele é o fiel servo do Ancião, mas tem as duas mãos. Mas o relevante aqui é a brincadeira constante nos filmes e séries da Marvel com membros cortados. Hamir é o mais novo representante desse grupo, em homenagem a Star Wars. [sugestão de nosso leitor Rodrigo Patini]

32. Capitã Marvel?

capita_marvel

Nosso leitor Mateus Woszak me chamou atenção para uma possível menção indireta à Capitã Marvel, personagem que ganhará filme solo em 2019 e que será vivida por Brie Larson. Trata-se mais uma vez da sequência em que Stephen Strange, em sua Lamborghini, começa a analisar prontuários de possíveis novas cirurgias. Um deles é de uma mulher que teria sido atingida por um raio e sofreria de esquizofrenia, tendo um implante no cérebro para controlá-la. Como a roteirista do filme, Nicole Perlman, havia indicado que a origem da personagem seria mudada, pois a dos quadrinhos se pareceria demais com a do Lanterna Verde, será que essa é uma possível ligação com o futuro filme? Em 2019 saberemos…

33. Mágica explicada

ancient

Lembram quando a Marvel introduziu Thor ao seu Universo Cinematográfico e ele explica o que parece mágica como “ciência que você simplesmente não entende ainda”? Pois bem, quase o mesmo acontece em Doutor Estranho, quando a Anciã diz a Stephen Strange: “Encantamentos – mas se isso ofende sua sensibilidade, você pode chamá-los de programas”. Bacana, não?

34. O Multiverso Marvel

multiverso-marvel

O Multiverso Marvel – as várias realidades ou dimensões paralelas – existe há décadas nos quadrinhos e recentemente foi quase que completamente eliminado em Guerras Secretas. No entanto, no Universo Cinematográfico Marvel, sua existência ainda era meramente especulativa. Nunca havíamos visto de verdade dimensões paralelas à principal. Em Thor 2, os teletransportes na luta final se dão entre planetas que formam a Árvore da Vida, mas dentro do universo normal. Em Guardiões da Galáxia, toda a ação acontece no mesmo universo que todos os demais filmes, mas em outra galáxia apenas. Mesmo a visão a partir da joia do infinito é para um passado remoto do universo normal, não um paralelo. Em Homem-Formiga, a versão que vemos do Microverso, quando Scott Lang decide desobedecer as regras de seu mentor e tornar-se infinitamente pequeno, nada mais é do que um universo diminuto, não necessariamente uma realidade paralela. Em Doutor Estranho, o herói não só viaja e permanece durante um bom tempo (para ele) na Dimensão Negra de Dormammu como faz uma viagem alucinógina impulsionada pela Anciã por diversas realidades paralelas e talvez (talvez!) até mesmo passando pelo Microverso (será que ele pode ter alguma ligação com o resgate da Vespa original de lá?).

Além disso, a Anciã fala com todas as letras e mais de uma vez sobre a existência de um Multiverso. Portanto, as porteiras foram abertas para filmes lidando com outras realidades. Já imaginaram???

35. Luvas amarelas clássicas

gloves

O Doutor Estranho dos quadrinhos sempre usou luvas amarelas que ganham marcas redondas pretas quando ele faz uso da magia. Durante todo o filme, Estranho não aparece de luvas, apesar de usar um uniforme quase idêntico ao dos quadrinhos. Mas eis que, na cena de meio de créditos, durante a conversa com Thor, eis que as luvas amarelas surgem! Será que fará parte do uniforme do Doutor Estranho em Vingadores 3 e 4 e no certamente vindouro Doutor Estranho 2?

36. Cena de meio de créditos: conversa com Thor

thor-beer

A cena de meio de créditos, em que vemos Estranho conversando com Thor e oferecendo a ele uma caneca auto-recarregável gigante de cerveja pode ser um pouco confusa para espectadores menos atentos. Essa sequência representa, muito provavelmente, um salto temporal desde o final do filme, pois, como sabemos, em Thor 2, vemos Loki, ao final, disfarçado de Odin. Se Thor está na Terra com Loki procurando Odin isso quer dizer que o que vemos é um grande spoiler de Thor: Ragnarok (a ser lançado em novembro de 2017), pois, muito provavelmente, esse truque de Loki será descoberto logo no início. Mas não é um grande spoiler, pois era óbvio que isso ia acontecer.

Assim como em Homem-Formiga, em que a cena com o Capitão, Falcão e Bucky que vemos depois dos créditos é uma sequência de Capitão América: Guerra Civil, essa em Doutor Estranho parece ser uma cena de Thor: Ragnarok. Reforçando essa tese, foi Taika Waititi, diretor de Ragnarok, que a dirigiu e há uma foto rolando no Twitter em que Thor é visto com a mesma roupa com um cartão com o endereço do Sanctum Santorum. Em outras palavras, Doutor Estranho voltará às telonas, nem que seja em uma ponta, já em 2017 e ajudará Thor a encontrar Odin.

37. Cena pós-créditos: Mordo vai para o Lado Negro

empirikul

Obviamente, por Mordo ser um dos maiores arqui-inimigos do Doutor Estranho nos quadrinhos, ele tinha que caminhar para esse lado alguma hora. As desilusões de Mordo com a nomeação do Doutor Estranho para ser o protetor do Sanctum Santorum de Nova York no lugar do falecido Mestre Drumm, a revelação de que a Anciã absorvia energia da Dimensão Negra e o que para ele foi o uso irresponsável do Olho de Agamotto por Estranho o levaram a concluir que há “magos demais” na Terra e ele, na cena pós-créditos, parece querer eliminar todos os seres místicos, começando por Jonathan Pangborn. As motivações para a queda de Mordo, no filme, são muito precisas e mais robustas do que a vilania genérica que vemos nos quadrinhos para o mesmo personagem, o que é uma promessa de um ótimo vilão para Doutor Estranho 2.

Além disso, a linha narrativa dos dois mais recentes arcos da nova revista solo do Doutor Estranho lida com a ameça do Empirikull (o sujeito simpático na imagem) que quer exatamente acabar com a magia, em um alinhamento perfeito entre quadrinhos e filmes.

XXXXXXXX ——— XXXXXXXX ——— XXXXXXXX

É isso aí pessoal! Acabou. Acharam outras referências? Erramos alguma? Mandem para cá seus comentários que acrescentaremos/alteraremos no texto.

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.