Entenda Melhor | Guardiões da Galáxia: O Grupo Atual

guardians 8 im des

Muito pouca gente sabe, mesmo leitores da Marvel, que os Guardiões da Galáxia existem desde 1969. Foram criados por Arnold Drake (roteiro) e Gene Colan (arte) na publicação Marvel Super-Heroes #18. Acontece que a versão inicial dos Guardiões inicialmente tratava de um grupo cósmico no futuro distante do Universo Marvel, mais precisamente o século XXXI. Com o desenrolar das histórias ao longo da década de 70, um evento envolvendo Vance Astro, o líder do grupo, acabou fazendo com que seu futuro, ou seja, o século XXXI tratado nas publicações passasse a ser apenas um futuro alternativo do Universo Marvel, classificado como Terra-691, ao passo que o universo regular é conhecido como Terra-616.

Desaparecidos da linha editorial da editora por dez anos, eles ressurgiram em 1990 na até hoje venerada versão de Jim Valentino, que durou até 1995, quando o grupo novamente entrou em hibernação profunda e continua até hoje (mas uma série nova com eles, Guardiões 3000, já foi anunciada pela Marvel para outubro de 2014). Mas eles não foram esquecidos, com uma nova e completamente diferente formação sendo montada a partir de duas sagas cósmicas: Aniquilação e Aniquilação 2: A Conquista. A grande diferença, além dos membros, é que a segunda versão dos Guardiões tem suas aventuras no presente do Universo Marvel comum, o Terra-616.

Assim, o presente Entenda Melhor, o segundo de uma série de quatro que faremos sobre os Guardiões da Galáxia, abordará o segundo grupo que é o foi eleito pela Marvel para figurar em seu 10º filme dentro do Universo Cinematográfico Marvel. É evidente que fica aqui o convite para o leitor ler nosso vasto material sobre o assunto, que pode ser encontrado aqui: Especial Guardiões da Galáxia.

1. Guardiões da Galáxia (2008) – a origem

Desde meados dos anos 90 até meados da primeira década dos anos 2000, os aventureiros verdadeiramente cósmicos da Marvel ficaram em banho-maria, participando esporadicamente de algumas aventuras e sempre ao lado dos heróis, digamos, mais ligados à Terra. Com o grande sucesso da era moderna de sagas na Marvel, iniciada com Guerra Secreta e Vingadores: A Queda, ambas em 2004, a editora tratou de também trabalhar seu lado cósmico, primeiro publicando uma revista solo de Thanos e, depois, uma de Drax, o Destruidor, chamada Earthfall. Com elas, as bases, ainda discretas, para a criação dos Guardiões da Galáxia já apareceriam, com a volta do Senhor das Estrelas e de Drax, ambos fortemente reformulados.

Mas foi em 2006 que a primeira saga verdadeira cósmica da Marvel começou a ser publicada: Aniquilação. E digo “verdadeiramente cósmica”, pois seus autores foram cuidadosos em somente utilizar heróis ditos cósmicos e situar todo o conflito no espaço, com a Terra apenas mencionada aqui e ali. Comentários mais profundos sobre a saga podem ser obtidos clicando no respectivo link, mas, em linhas gerais, ela estabelece uma ameaça a todo o cosmos que exige que heróis e vilões extremamente poderosos se unam.

Sem deixar tempo para os heróis respirarem, outra ameaça cósmica aparece, dando origem à Aniquilação 2: A Conquista. Ao final dessa segunda gigantesca ameaça, o universo está fragilizado e Peter Quill, o Senhor das Estrelas, decide, impulsionado por Nova (Richard Rider), montar uma equipe para lidar com ameaças desse porte de maneira preventiva. A equipe é formada por ele, Rocket Raccoon, Groot, Gamora, Drax, Warlock, Quasar (Phylla-Vell), Mantis e Bug, todos heróis com participações decisivas em Aniquilação 2.

Guardians-of-the-Galaxy-Legacy

A nova – e bélica – formação dos Guardiões da Galáxia.

Suas primeiras aventuras, que inicialmente não contam com Bug e que, depois, viriam a contar não só com ele, mas também com Jack Flagg e Serpente da Lua, se limitam a literalmente “tapar buracos” no tecido do espaço-tempo do universo, usando os pesos pesados Warlock e Quasar. Tendo como base a cabeça de um Celestial que é batizada de Knowhere (Luganehum, em português) e que conta como chefe de segurança o cão telepata russo Cosmo, a equipe lida com as mais diversas ameaças e envolvem-se diretamente em mais duas sagas: Guerra dos Reis e Realm of Kings. O nome do grupo é referência direta aos Guardiões originais, criados em 1969, pois, logo no começo de suas aventuras, um desmemoriado Major Victory, membro dos primeiros Guardiões, que está temporalmente deslocado, acaba, inadvertidamente, inspirando o batismo do grupo por um Rocket Raccoon indócil que não sossega enquanto eles não tem um nome. A publicação Guardiões da Galáxia, iniciada em 2008, porém, dura relativamente pouco tempo, apenas 25 números, encerrando-se em 2010 e tendo linhas narrativas encerradas somente na minissérie A Imperativa Thanos, também de 2010.

Em 2012, com o Universo Cinematográfico Marvel já a pleno vapor, os Guardiões são novamente ressuscitados em publicação própria dentro do semi-reboot Marvel NOW!, que continua até a data em que esse artigo é escrito. A formação se limita a Senhor das Estrelas, Gamora, Drax, Rocket Raccoon e Groot, mas conta com diversos “heróis convidados”.

2. Os membros dos Guardiões da Galáxia:

A segunda versão dos Guardiões da Galáxia conta com um grupo base – Senhor das EstrelasGamoraDraxRocket Raccoon e Groot – e diversos membros flutuantes que já fizeram parte do grupo: Bug, Mantis, Jack Flagg, Warlock e Quasar. E isso além da participação importante de Cosmo, comandante da base Luganenhum. Falaremos, abaixo, de cada um deles, para permitir que o leitor tenha um panorama geral de todos os personagens do grupo.

2.1. Senhor das Estrelas

Nome: Senhor das Estrelas (Star-Lord)
Nome verdadeiro: Peter Jason Quill
Primeira aparição: Marvel Preview #4 (janeiro de 1976), criado por Steve Englehart e Steve Gan
Poderes: Em sua primeira versão, o Senhor das Estrelas podia sobreviver ao vácuo, voar, além de ter super-força e a compreensão de toda as línguas do universo, além de contar com a arma dos elementos que atirava, de diversas maneiras diferentes e com a força de seu pensamento, água, terra, fogo e ar. Ele pilotava uma nave consciente e super-poderosa, capaz de alterar sua forma, chamada simplesmente de “Nave”. Em sua segunda versão, depois de perder seus poderes originais, sua arma e ter Nave destruída, o Senhor das Estrelas ganhou implantes cibernéticos que permitiam alguma super-força, visão amplificada e a compreensão das línguas alienígenas
Origem: O Senhor das Estrelas teve diversas origens diferentes ao longo de sua vida editorial. A origem hoje em vigor mostra que ele é filho do rei de Spartax, planeta alienígena com Meredith Quill, uma terráquea. Deixada na Terra por seu amor, Meredith cuidou de seu filho Peter até que foi morta por alienígenas que queriam assassinar Peter, matando-a apenas. Não fica claro que os fatos que levaram Peter Quill a se tornar a versão poderosa do Senhor das Estrelas se mantém no cânone, mas, caso positivo, Peter, então se torna um astronauta e ganha seu poderes, sua arma e “Nave” de um ser misterioso chamado Lorde do Sol. Quando perde seus poderes e “Nave”, Peter recebe implantes cibernéticos que lhe permitem algum grau de poder, mas nada semelhante a antes. Durante a invasão da Falange, Peter tem que se infiltrar em Hala, planeta sede dos Kree e é obrigado a abrir mão de seus implantes, pois a Falange é capaz de detectar qualquer tipo de tecnologia. Desprovido de qualquer poder, Peter passou a se beneficiar apenas de sua mente estratégica e de uma máscara espacial Kree que lhe permite respirar no espaço.
Fatos importantes: Seu passado com o poderoso Senhor das Estrelas não é mais mencionado no cânone Marvel, ainda que ele nunca seja desdito.

mosaico starlord 1

(1) Senhor das Estrelas, em sua versão original, na capa de Marvel Preview #4, de 1976; (2) Primeira página da Marvel Preview #4, com arte de Steve Gan; (3) Primeira vez que Peter Quill coloca o uniforme do Senhor das Estrelas.

mosaico starlord 2

(1) Senhor das Estrelas na capa de Marvel Preview #11, de 1977; (2) Senhor das Estrelas na primeira página interna de Marvel Preview #11, com arte de John Byrn e texto de Chris Claremont.

mosaico starlord ship

(1) A nave consciente do Senhor das Estrelas, batizada apenas como “Nave”; (2) Uma das formas que “Nave” pode tomar, nesse caso em destroyer espacial; (3) A forma humana – voluptuosa – de “Nave”, chamada Caryth.

mosaico starlod 3

(1) Versão com implantes cibernéticos do Senhor das Estrelas; (2) Versão com uniforme e máscara Kree, já como líder dos Guardiões da Galáxia; (3) Versão Marvel NOW!, a partir de 2012; (4) Versão de 2014, em seu título-solo.

2.2. Rocket Raccoon

Nome: Rocket “Rocky” Raccoon
Nome verdadeiro: Idem
Primeira aparição: Como Rocky, em Marvel Preview #7 (1976), criado por Bill Mantlo e Keith Geffen. Como Rocket Raccoon, em O Incrível Hulk #271 (maio de 1982).
Poderes: Nenhum.
Origem: Rocket veio do Quadrante Keystone e do planeta Halfworld, povoado por animais geneticamente alterados para cuidar de humanos com problemas mentais. Lá, ele é chefe da força de segurança dos humanos, junto com seu parceiro Wal-Rus. Como membro dos Guardiões, ele não tem memória de sua origem, até que se depara com uma ameaça que o faz voltar a Halfworld e descobrir que, na verdade, sua memória havia sido apagada e que seu planeta natal não era idílico, mas sim uma espécie de sanatório mental artificial e ele era o chefe de tudo, tendo que abandonar seu posto para salvar todos os habitantes.
Fatos importantes: É um estrategista nato e adora portar armas pesadíssimas. Tem especial amizade por Groot, com quem costumeiramente forma uma dupla.

mosaico rocket 3

(1) Versão original, em Marvel Preview #7 (1977); (2) Primeira versão canônica, em O Incrível Hulk #271 (1982); (3) Versão com arte de Mike Mignola, em minissérie própria (1985); (4) Versão já membro dos Guardiões da Galáxia (a partir de 2010); (5) Versão de 2014, em título solo.

2.3. Groot

Nome: Groot
Nome verdadeiro: Idem
Primeira aparição: Tales do Astonish, Vol. 1 #13 (novembro de 1960), criado por Stan Lee e Jack Kirby.
Poderes: Super-força natural por ser um ser árvore do Planeta X. Pode alterar seu tamanho, partir-se em milhares de pedaços e regenerar-se a partir de apenas um pedaço.
Origem: Inicialmente, Groot era um monarca do Planeta X que chega à Terra para dominar uma cidade, transportá-la para o espaço para estudos, descobrir os pontos fracos dos humanos e, finalmente, dominar o planeta. Em sua versão herói, ele é, simplesmente um monarca do Planeta X que se junta ao Guardiões para defender a galáxia. No entanto, Rocket Raccoon, depois, descobre que Groot é, apenas, um membro menor da realeza de seu planeta e que saiu pela galáxia afirmando ser o que não é, o que o levou a ser condenado à morte por seus pares, sendo salvo pelo guaxinim falante.
Fatos importantes: Apesar de inicialmente ter um vocabulário normal, Groot, com o tempo, passou a ser escrito como tendo apenas uma frase “I am Groot”. Apenas Rocket Raccoon entende que essa frase tem os mais diversos significados nas mais diferentes situações. Faz parceria com Rocket constantemente.

mosaico groot

(1) Versão original, com traços de Jack Kirby (1960); (2) Versão “vaso de planta”, regenerando-se; (3) Versão já como membro dos Guardiões; (4) Versão “selvagem”.

2.4. Gamora

Nome: Gamora
Nome verdadeiro: Gamora
Primeira aparição: Strange Tales #180 (junho de 1975), criada por Sam Jiltrin e Jim Starlin
Poderes: Exímia mestre em artes marciais e no uso de armas letais, tendo a alcunha de “mulher mais perigosa do universo”. Recebeu implantes cibernéticos de Thanos que lhe dão superforça, agilidade, velocidade e durabilidade sobre-humanas, além de um fator de cura como o de Wolverine. Ela fo treinada pelo próprio Thanos como assassina.
Origem: Gamora, assim como muitos personagens da versão original dos Guardiões da Galáxia, é a última de sua espécie (Zen Whoberi), dizimada pelos Badoon (depois de um retcon da editora). Thanos a encontra ainda criança e a cria como uma arma e sua missão é assassinar Magus, a versão vilanesca de Adam Warlock. Com um passado pesado, que inclui seu múltiplo estupro quando ainda adolescente, ela teve suas habilidades naturais aumentadas por implantes cibernéticos feitos por Thanos. Na saga Abismo Infinito, a moça acaba vivendo com Warlock em uma dimensão paralela, cuidado de Atleza, uma menina que tem como função manter a realidade intacta. De lá, ela só sai quando a saga Aniquilação começa, o que a leva, finalmente, a se juntar aos Guardiões da Galáxia.
Fatos importantes: Gamora transitou, em sua história editorial, entre vilã e heroína, aparecendo como coadjuvante em diversas histórias, especialmente com Adam Warlock, além de ter feito parte da Guarda do Infinito, grupo capitaneado por Warlock.

mosaico gamora

(1) Versão clássica original; (2) Versão “quase nua” que adotou por muitos anos, inclusive como membro dos Guardiões; (3) Versão militarizada “espacial” atual, como membros dos Guardiões na versão Marvel NOW!

2.5. Drax

Nome: Drax, o Destruidor
Nome verdadeiro: Arthur Douglas
Primeira aparição: O Invencível Homem de Ferro, Vol. 1 #55 (fevereiro de 1973), criado por Jim Starlin.
Poderes: Em sua primeira versão, Drax tinha força e resistência sobre-humanas, podia lançar raios de energia cósmica pelas mãos e podia voar, além de sobreviver no espaço. Era capaz de sentir a presença de Thanos a qualquer distância. Depois de sua ressurreição, seus poderes aumentaram tremendamente, mas ele sofreu danos cerebrais enormes, que o fizeram reverter a um estado mais selvagem como o Hulk original. Antes de Aniquilação, na minissérie Earthfall, Drax toma controle completo de suas faculdades mentais, mas perdendo seus demais poderes, mantendo, apenas, sua força e resistência sobre-humanas de seu nível original.
Origem: Originalmente um humano – Arthur Douglas – com esposa e filha, ele tem seu carro atacado por Thanos que suspeita que eles o viram sobrevoando a Terra e Arthur e sua esposa morrem. Heather, sua filha, é adotada por Mentor e se transforma na Serpente da Lua, personagem que acabaria, depois, assassinando seu próprio pai revivido. O mesmo Mentor, junta com Kronos, cria Drax, sugando a essência cósmica de Arthur Douglas, com a função única de assassinar Thanos. Mesmo depois de ser morto por sua filha, Drax teria uma terceira vida, concedida novamente por Kronos, mas como um herói extremamente forte, mas descerebrado, no estilo do Hulk original. Somente depois de muitos anos, na saga cósmica Aniquilação, Drax, reformulado visualmente, volta à sua forma original, mas sem poderes além da superforça e super resistência, juntando-se, em Aniquilação 2: A Conquista à segunda versão dos Guardiões da Galáxia.
Fatos importantes: Ele é pai de Heather Douglas, a Serpente da Lua.

mosaico drax

(1) Versão original; (2) Versão descerebrada e com poderes descomunais; (3) Versão atual.

2.6. Outros membros fundadores:
(Adam Warlock, Quasar, Mantis e Bug)

Apesar de terem fundado os Guardiões junto com os cinco membros acima, pode-se dizer que a participação dos quatro heróis abaixo na história do grupo é limitada, com participações mais esporádicas e, hoje, não mais compõem a equipe. De toda maneira, um breve resumo dos quatro:

2.6.1. Bug: Surgido como membro dos Micronautas em Micronautas #1, de janeiro de 1979, criado por Bill Mantlo e Michael Golden com base em linha de brinquedos da Mego. Bug era um ladrão do planeta Kaliklak e, como seu desenho, na publicação, ficou muito diferente de sua versão em brinquedo, a Marvel acabou, com sucesso, obtendo os direitos sobre o personagem, que foi incorporado ao Universo Marvel definitivamente, participando até de aventuras com os X-Men e contando com um one-shot solo. Passou a fazer parte do Guardiões da Galáxia durante o evento Aniquilação 2, mas não fez parte do grupo no começo do título solo da equipe, em 2010, aparecendo só mais para a frente, a pedido de Rocket Raccoon. Bug tem enorme agilidade, além de ser mestre em lutas marciais. 

2.6.2. Quasar (Phylla-Vell): Genis-Vel, filho clonado de Mar-Vell, o Capitão Marvel, destruiu e reconstruiu todo o universo e, nessa reconstrução, Elysius decidiu clonar uma nova filha, já que o experimento com Genis havia sido muito bem sucedido. O resultado foi Phyla-Vell, clone do Capitão Marvel original com Elysius que é criada para suceder seu irmão Genis como Capitã Marvel, o que não acaba acontecendo de verdade (primeira aparição: Capitão Marvel, vol. 5 #16, de janeiro de 2004, criada por Peter David e Paul Azaceta). Sua biografia em quadrinhos nunca é realmente desenvolvida. No entanto, em um aspecto ela se destaca dos demais heróis cósmicos da Marvel. Phyla é lésbica e apaixonada pela Serpente da Lua, filha de Drax, o Destruidor. Esse romance ganha outros contornos durante as sagas Aniquilação e Aniquilação 2: A Conquista, quando as duas ganham grande destaque na luta contra o Aniquilador e a Falange. No entanto, é em Aniquilação que Phylla consegue tomar do Aniquilador os braceletes quânticos do finado Quasar original, fazendo com que ela, ao portá-los, se transforme em uma nova versão de Quasar, com poderes híbridos tanto de Quasar quanto do Capitão Marvel (os braceletes de Quasar “absorvem” os nega bands que ela usa). Mais tarde, ao final de Aniquilação 2 : A Conquista, Phyla, como Quasar, se junta ao Guardiões da Galáxia e vive diversas aventuras com o grupo. Em sua batalha contra Maelstrom, ela depois perde os braceletes quânticos e, literalmente fazendo um pacto com o diabo, torna-se um avatar de Oblivion e passa a operar com o nome Mártir, além de ganhar uma personalidade bem diferente, muito mais sombria.

2.6.3. Mantis: Com primeira aparição em Vingadores, vol. 1 #112, de junho de 1973, criada por Steve Englehart e Don Heck, a heroína é a filha de Libra (Gustav Brandt), nascida no Vietnam. Ela é criada no templo dos Sacerdotes de Pama, dos Kree como uma possível Madona Celestial. Ela tem sua mente apagada pelos Sacerdotes e se tornar uma prostituta e, depois, uma bartender no Vietnã, onde conhece o Espadachim e acaba se juntando aos Vingadores graças às suas habilidades com artes marciais. Nunca uma personagem principal, Mantis tem uma cronologia complexa, mas ela é revelada como sendo mesmo a Madona Celestial e, como tal, habilidades telepáticas e pré-cognitivas extensas, sendo capaz de prever o futuro, mas fazendo de tudo para não revelá-lo a ninguém. Funcionou como uma espécie de guia espiritual para os Guardiões.

2.6.4. Adam Warlock: Explicar a origem de Warlock, aqui, seria tarefa impossível. Só para se ter uma ideia, só para indicar sua primeira aparição, é necessário citar três publicações, pois ele apareceu, primeiro, em forma de casulo em Quarteto Fantástico #66 (1967), em forma humanoide sem nome em Quarteto Fantástico #67 (1967). Ele reaparece simplesmente com “Ele” em Thor #165 e 166 (1969) e, depois, ganha nova interpretação nas mãos de Roy Thomas e Gil Kane em Marvel Premiere #1 (1972), finalmente sob o nome Adam Warlock. Em sua recriação, que sedimentaria seu papel no Universo Marvel, o herói é retratado como um figura messiânica, literalmente um Jesus Cristo, que se sacrifica pelo bem do universo, carregando em seus ombros os pesos de suas decisões. Sua origem é complicada, mas pode ser resumida assim: ele é criado artificialmente por cientistas da Terra que se auto-denominam o Enclave, mas acaba se rebelando contra eleas e deixa o planeta somente para encontrar o Alto Evolucionário que o pede para salvar a Contra-Terra, que ele criara. Para isso, o Alto Evolucionário dá a Warlock não só seu nome como, também, a Gema da Alma, uma das joias do infinito, que permite que ele capture a alma de outros seres. Com vastos poderes cósmicos, Adam Warlock não só salva a Contra-Terra como todo o universo diversas vezes, ganhando título próprio na Marvel, fundando o grupo Guarda do Infinito (depois que ele, sozinho, reúne todas as joias do infinito) e batalhando e ajudando Thanos em sagas cósmicas como a Trilogia do Infinito, além de em Abismo Infinito. Ele já morreu e ressuscitou algumas vezes e cada vez de maneira diferente, às vezes mais jovem, às vezes mais velho e com diferentes graus de poderes. A versão que aparece em Aniquilação 2 é mais jovem e possuidora de “mágica quântica”, sendo essa versão que se junta aos Guardiões da Galáxia.

mosaico guardians founders 2

(1) Bug; (2) Quasar (Phylla-Vell); (3) Mantis; (4) Adam Warlock (versão com poderes mágicos).

2.7. Outros membros:

Serpente da Lua, Jack Flagg e Cosmo. Três membros dos Guardiões da Galáxia antes do projeto Marvel NOW!, que acabou trazendo uma grande variedade de coadjuvantes.

A Serpente da Lua é Heather Douglas, filha de Drax, que, sob a tutela de Mentor, se torna uma telepata. Ela é amante de Phyla-Vell e, durante os eventos de Aniquilação 2, ela libera o poder de um dragão mítico adormecido em seu interior, transformando-se nele. Ela acaba falecendo, mas volta a viver graças ao pacto de Phyla-Vell com a criatura e passa a fazer parte dos Guardiões.

Jack Flagg é um herói da Terra cujo poder basicamente se restringe à super-força e que, aleijado e preso na Zona Negativa durante a saga Guerra Civil, ajuda o Senhor das Estrelas a derrotar Blastaar, que quer usar o sistema de teletransporte da prisão para invadir a Terra. Novamente capaz de andar depois de ser levado para Luganenhum, Flagg se une temporariamente aos Guardiões, apesar de deixar muito claro que odeia tudo que é “cósmico”.

Finalmente, Cosmo é um cão de testes russo que, depois de ser lançado ao espaço como parte do programa espacial soviético, sofre mutações que lhe dão poderes telepáticos além de conseguir falar. Ele chega a Knowhere (Luganenhum) e passa a ser chefe de segurança do local. Nunca fez parte efetiva dos Guardiões, mas sempre foi aliado de Nova, dos Guardiões e dos Aniquiladores, tendo papel de grande relevância para os Guardiões da Galáxia ainda em formação.

mosaico guardians extras

(1) Serpente da Lua; (2) Jack Flagg; (3) Cosmo.

2.8. Knowhere (Luganenhum)

Knowhere é uma gigantesca base espacial científica construída e populada por diversas raças alienígenas e localizada dentro da cabeça corta de um Celestial, raça fundamental na evolução do universo. Estrategicamente localizada na “fronteira” do universo, a base permite que os mais distantes pontos do universo sejam alcançados rapidamente. Durante a publicação de 2010 a 2012 dos Guardiões da Galáxia, Knowhere serviu de base para os Guardiões da Galáxia e, depois, para os Aniquiladores.

guardians 8 luganenhum

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.