Entenda Melhor | Guardiões da Galáxia Vol. 2 – Referências, Easter-Eggs e as Cenas Pós-Créditos

guardioes_da_galaxia_easter-eggs

Atenção: Este artigo contém spoilers em proporções cósmicas do filme Guardiões da Galáxia Vol. 2.

Guardiões da Galáxia não só abriu as porteiras para o universo cósmico da Marvel nos cinemas, como nos trouxe centenas de referências não só aos quadrinhos como algumas externas. E o mesmo vale para sua continuação, que amplia ainda mais a “porteira cósmica” do Universo Cinematográfico Marvel.

Mas, antes de adentrar no artigo em si, que tal ler tudo o que nós temos sobre todas as versões dos Guardiões da Galáxia? Basta clicar aqui:

Especial | Guardiões da Galáxia

Ou que tal um passeio por todos os nosso artigos sobre easter-eggs? Aqui:

Entenda Melhor: Easter-Eggs

Ou, mais do que isso, que tal mergulhar profundamente em todo o nosso material sobre o Universo Cinematográfico Marvel e além em nosso mega-índice? Basta clicar aqui:

Índice | O Universo Cinematográfico Marvel

Agora venham conosco nessa jornada por todas as referências e easter-eggs que conseguimos encontrar em Guardiões da Galáxia Vol. 2, colocados aqui pelos editores Ritter Fan e Guilherme “Rocket” Coral. Vamos lá então? Só um detalhe: evitamos mencionar as referências nos créditos do filme (como Cosmo ou o Grão-Mestre, que não aparecem no filme ou em cenas pós-créditos).

Personagens, quadrinhos e referências pop

Ayesha

ayesha-plano-critico

No filme, Ayesha é a rainha dos Soberanos, raça criada por James Gunn para o filme. Nos quadrinhos, a personagem existe, mas sua origem é bastante complicada, ainda que a personagem seja efetivamente importante para o lado cósmico da Marvel. Ela já teve vários nomes: Parágona (sua primeira verão – e masculina), Kismet, Ela, Ayesha e J’Ridia são apenas alguns deles.

O que importa é que ela é a segunda tentativa da raça chamada Enclave (que parece ser o equivalente aos Soberanos) em criar um super-ser artificialmente. Qual foi a primeira tentativa? Adam Warlock. Falaremos mais sobre ele, mas Gunn inverteu a lógica aqui e transformará Warlock em uma criação de Ayesha em vindouro filme dos Guardiões ou em Vingadores 4, já que ele é um importantíssimo personagem, com conexão histórica com Thanos e as joias do infinito.

Mantis

mantis-plano-critico

Embora na era Abnett-Lanning de Guardiões da Galáxia a personagem tenha pele verde, originalmente sua cor de pele era clara, da mesma forma que aparece no filme. Assim como nos quadrinhos, ela conta com poderes empáticos, mas, nas páginas ilustradas, ela também pode prever o futuro e é uma mestre de artes marciais. Mas, diferente dos quadrinhos, ela não é tão inocente e “bobinha” como vemos no filme, o que faz parte natural de uma adaptação. Sua primeira aparição de seu em Os Vingadores #112, de junho de 1973, criada por Steve Englehart e Don Heck, tendo sido pivô do arco Madona Celestial, nome pelo qual é também conhecida. Ela já foi uma Vingadora e também já fez parte da versão moderna dos Guardiões da Galáxia.

Ego, o Planeta Vivo

ego-planeta-plano-critico

Quando James Gunn anunciou que Ego seria o pai de Peter e que ele seria vivido por Kurt Russell, os fãs dos quadrinhos coçaram as cabeças tentando entender como ele faria isso. Afinal, Ego, nos quadrinhos, é conhecido como Ego, o Planeta Vivo e ele é, bem… um planeta vivo mesmo, com direito a rosto e até bigode e barbicha. Sua primeira aparição se deu em Thor #132 e #133, de 1966, criado por Stan Lee e Jack Kirby e ele é uma figura vilanesca, mas não exatamente do mal. Normalmente retratado com alguém com um profundo sentimento de superioridade a tudo e a todos – daí o nome -, ele aos poucos vai enlouquecendo nos quadrinhos e passa a dizimar mundos, mas volta e meia voltando ao “normal”. Essa personalidade inflada do Ego dos quadrinhos encaixa-se perfeitamente com a do Ego do filme, inclusive sua loucura em achar que sua função no universo é “espalhar sua semente”.

Além disso, na primeira origem de Ego nos quadrinhos, descobrimos que ele teria sido o resultado da fusão de um cientista com um planeta, depois de uma estrela entrar em supernova. Isso casa perfeitamente bem com o que é Ego no filme, ainda que sua origem, depois, tenha sido alterada para algo mais “cósmico”, com sua criação pelo Estranho, outro ser cósmico da Marvel Comics. Claro que a origem de Ego, no filme, é só espiritualmente parecida com a primeira origem dos quadrinhos, pois ele é, na verdade, um Celestial. O que nos leva ao próximo item…

Ego é um Celestial

celestiais-plano-critico

Os Celestiais já foram introduzidos no Universo Cinematográfico Marvel em Guardiões da Galáxia em duas sequências.  Nós vemos uma cabeça de um Celestial morto como Luganenhum, porto espacial que é uma mineradora do cérebro do bicharoco. Além disso, na sequência em que o Colecionador começa a abrir o Orb para retirar a joia do infinito, vemos um Celestial atacando um planeta com a referia joia. No Vol. 2, Ego diz, em alto e bom tom, que é um desses seres, um deus, com “d” minúsculo (ao menos quando ele se sente humilde como o Drax) que não sabia de seu propósito, mas descobriu que era simplesmente semear o universo com seu DNA, algo que combina bem com o nome que adotou.

Mas os Celestiais, nos quadrinhos, são seres cósmicos extremamente poderosos que foram criados por Jack Kirby em julho de 1976, em Eternos #2. Trata-se de uma das raças mais antigas do universo que tem relação com a criação do Multiverso Marvel além de suas experiências na Terra há milênios terem criado as raças dos Eternos e dos Deviantes (ainda não explorados no UCM) e terem alterado o DNA humano permitindo, depois, que os Kree, também experimentando por aqui, criassem os Inumanos, já abordados em Agents of S.H.I.E.L.D. em que ganharão série própria em breve.

Na imagem acima, podemos ver, da esquerda para a direita: Ego, o Celestial que aparece no primeiro Guardiões da Galáxia, o cosplay de Celestial que vemos no trailer de Thor: Ragnarok e um Celestial dos quadrinhos. Isso claramente demonstra o quão importantes é essa raça também no UCM, levando a crer que ela será ainda explorada em vindouros filmes cósmicos da Marvel.

Meredith Quill

Meredith_Quill_plano-critico

A mãe de Peter Quill, vivida por Laura Haddock no filme original, aparece novamente na continuação, no prólogo passado em 1980, juntamente com a versão digitalmente rejuvenescida de Kurt Russell.

Vovô Quill

peter-avo-plano-critico

Essa é piscou perdeu, mas o pai de Meredith, vivido por Gregg Henry, também aparece na continuação, desta vez na cena em que a semente de Ego começa a crescer. Ele está dirigindo um carro. Pode ir lá procurar…

Crista clássica de Yondu

yondu-plano-critico

Yondu, membro dos Guardiões da Galáxia originais (mais sobre eles na seção de cenas pós-créditos), aparecia com uma crista mais imponente nos quadrinhos e, neste segundo filme, enfim, vemos essa sua crista maior, a mesma que Groot tem tanta dificuldade de encontrar! A diferença é que, nos quadrinhos, a crista era característica biológica do povo de Yondu (Centaurianos) e não tinha relação com sua habilidade de controlar suas fechas com assobios, algo inato do personagem e não biomecanicametne alterado.

Taserface

TASERFACE-plano-critico

Aparentemente, em 1990, alguém da Marvel Comics achou uma boa ideia nomear um vilão de Taserface! Ele foi o primeiro vilão a aparecer na revista solo dos Guardiões da Galáxia de 1990, no run de Jim Valentino. E, aqui, o que Ritter Fan tem a dizer sobre o sujeito, em sua crítica publicada no dia 17 de junho de 2014: “os heróis aparecem lutando contra um vilão aparentemente genérico com o nome ridículo de Taserface”.

E o mais divertido é que, nos quadrinhos, Taserface, que é do século XXXI como os Guardiões da Galáxia originais, é de uma raça chamada Stark cuja origem – SIM! – tem relação direta com Tony Stark, o Homem de Ferro. Nessa realidade paralela, Tony, preocupado que suas armaduras e tecnologias caíssem nas mãos dos marcianos invasores, arremessa tudo ao espaço e acaba caindo em um planeta habitado por criaturas primitivas e funcionando quase que como um monólito de 2001 – Uma Odisseia no Espaço, precipitando a evolução tecnológica da raça que passa a se denominar como Stark em homenagem ao homem responsável, mesmo que indiretamente, por sua criação.

Os Vigias aparecem!

uatu-plano-critico

No Universo Marvel, os Vigias são uma raça de seres que, sem interferir nos acontecimentos, observa tudo o que acontece. Cada Vigia é responsável por um quadrante do universo e o da Terra é Uatu – hoje falecido e substituído pelo Nick Fury original! – que tem uma base na Lua. O personagem, que teve sua primeira aparição em Quarteto Fantástico #13, de agosto de 1963, muito provavelmente fazia parte do pacote de personagens sob o guarda-chuva “Quarteto Fantástico” licenciado para a Fox. É muito provável que, com os fracassos sucessivos das versões da primeira família da Marvel perante a Fox, a Marvel tenha conseguido negociar os direitos para essa aparição em Guardiões da Galáxia Vol. 2, o que canoniza os personagens no UCM.

Na verdade, vemos não um, mas três Vigias conversando com Stan Lee (mais sobre ele adiante) tanto dentro do filme em si, na sequência dos pulos sucessivos pelo hiperespaço de Rocket, Yondu e Kraglin e é extremamente provável que um deles seja Uatu.

A presença dos Vigias expande o lado cósmico do UCM tremendamente e cria a possibilidade da exploração de universos paralelos, já que é tradicionalmente Uatu quem apresentava as famosas revistas O Que Aconteceria Se…, que exploravam as infinitas possibilidades do Universo Marvel a partir de pequenas modificações em determinados acontecimentos. Em um ano em que a série clássica faz 40 anos e já foi homenageada no arco Agents of Hydra da quarta temporada de Agents of S.H.I.E.L.D. e considerando que a Marvel não faz nada “coincidentemente” no UCM, as portas que são abertas aqui são até de difícil mensuração e especulação!

Soberanos = Enclave?

sovereign-plano-critico

Como mencionado, James Gunn criou a raça dourada dos Soberanos aparentemente como uma espécie de substituição ao Enclave, raça que criou Ayesha e Adam Warlock.

Howard, o Pato

howard-the-duck-plano-critico

Lembram da cena pós-créditos de Guardiões da Galáxia? Pois é, Howard aparece novamente aqui, dessa vez no bar em Contraxia onde Yondu é visto pela primeira vez! Será que isso significa que veremos de forma mais significativa em próximos filmes cósmicos da Marvel? Será que ele é quem derrotará Thanos com seu quack-fu? Suspense…

Eternidade

eternidade

Quando Ego faz seu filho ver o “futuro brilhante” que tem pela frente, Peter tem seus olhos convertidos em uma versão do espaço sideral e ele menciona “Eternidade”. Eternidade é uma entidade do Universo  Marvel que, claro, representa a Eternidade. Isso expande o lado cósmico do UCM, ainda que eu não creia que Peter tenha se tornado, mesmo que momentaneamente, a Eternidade, mas sim que ele a tenha visto em sua visão “além do alcance”.

Momento Planeta Hulk/Ragnarok

planetahulk-planocritico

Quando Rocket, Yondu e Kraglin estão dando seus 700 saltos no hiperespaço para chegar até Ego, vemos de relance dois seres talvez de pedra lutando em um planeta? Seria Sakaar, em antecipação a Thor: Ragnarok? E seriam eles kronanianos, cuja presença já foi confirmada no filme? Mistérios…

Cancerverso

abilisco

Será que o abilisco, criatura extra-dimensional que os Guardiões enfrentam no começo do filme vem do Cancerverso, onde as criaturas foram deformadas ao ponto de se tornarem monstruosidades e onde Peter Quill, nos quadrinhos, “faleceu”? Será que um dia veremos essa dimensão?

Groot dançante

groot-dancing-plano-critico

A cena final do primeiro Guardiões da Galáxia com o Groot dançando no vaso enquanto Drax não olha é repetida na sequência de abertura do Vol. 2.

Karen TenEyck

peter-shirt-plano-critico

Sabem quem é a Karen? Uma designer gráfica que constantemente colabora com a Marvel em seus filmes. E não, ela não aparece no filme, mas há uma homenagem para ela na camisa usada por Peter Quill, escrita em Klyn, que contém inscrições genéricas e uma frase importante: “Uma Invenção Galática Teneyck”. Bacana, não?

Pac-Man

pac-man

Quando Peter descobre que tem poderes de um Celestial o que ele automaticamente sente vontade de criar? Um Pac-Man gigante, claro! E na luta final ele realmente faz isso! Um homem de palavra.

Esqueleto

esqueleto-plano-critico

Outra das criações almejadas por Peter é ninguém menos que o Esqueleto de He-Man! E no final, quem aparece como um? O próprio Ego! Tal pai, tal filho.

I am your Dad

i-am-your-father

Referência a O Império Contra-Ataca? Nós achamos que sim! Mas é claro que, em Guardiões da Galáxia, não ouviríamos alguém falar “I am your father” e Kurt Russel diz “Iam your dad, Peter”.

Final de O Império Contra-Ataca

imperio-final-plano-critico

Uma das cenas finais do Vol. 2 presta uma clara homenagem a O Império Contra-Ataca. Vemos os guardiões olhando pela janela da nave o funeral de Yondu e a câmera começa a se distanciar pela esquerda, igualzinho a Luke e Leia no final do Episódio V.

A-holes

Nova_corps-plano-critico

A primeira fala de Peter no filme – It’s show time, a-holes – é uma referência ao primeiro filme, em que Denarian Saal, quando está fichando o grupo recentemente preso, diz: what a bunch of a-holes.

Berhert

berehert-plano-critico

O planeta em que os Guardiões chegam depois de serem resgatados por Ego chama-se Berhert e ele foi tirado dos quadrinhos Marvel. Ele foi usado pelo primeira vez em O Incrível Hulk #111, de janeiro de 1969.

Contraxia

Contraxia_plano_critico

Outro planeta retirado dos quadrinhos, Contraxia surgiu pela primeira vez em Valete de Copas #2, de fevereiro de 1984. No filme, trata-se do planeta em que vemos Yondu e Stakar pela primeira vez, além de Howard, o Pato.

Precisamos falar sobre seu vocabulário

capitao-referencia-plano-critico

Ao se despedir de Yondu, Baby-Groot diz “I am Groot”, que se traduz para welcome to the FUCKING Guardians of the Galaxy (sim, entendemos “grootês”), mas que Rocket traduz para welcome to the friggin’ Guardians of the Galaxy, dizendo que ele e Groot terão que conversar sobre o vocabulário do simpático graveto. Referência ao Capitão América em Era de Ultron? Achamos que sim!

Star Trek: Sem Fronteiras

warp-speed-plano-critico

Pelo jeito, James Gunn gosta tanto de Star Trek quanto de Star Wars. Em uma cena, vemos a Milano em velocidade de dobra pelo lado de fora, em enquadramento igual à Enterprise viajando pelo espaço em Star Trek: Sem Fronteiras.

Smurfette

smurfette-plano-critico

Peter chama Nebulosa de Smurfette durante a batalha contra Ego. Tirando os cabelos loiros, não precisa de muita explicação, não é?

Mary Poppins

mary-poppins-entenda-plano-critico

Em hilário momento, Yondu, pousando com sua flecha, é chamado  de Mary Poppins por Peter. E, realmente, impossível afastar essa conexão da mente, não é mesmo?

Meu Malvado Favorito

itssofluffy-plano-critico

Quando Mantis diz que Groot é tão fofo que ela quer morrer, não dá para não lembrar da mesma cena com Agnes e seu unicórnio branco e rosa em Meu Malvado Favorito. Não acredito em coincidência, mesmo sendo uma animação de produtora rival, portanto…

Galaga

galaga-plano-critico

Tony Stark já mencionou Galaga pelo nome em Os Vingadores e, pelo que parece, o jogo volta novamente no Vol. 2, como fonte inspiradora da estratégia de combate dos Soberanos, que atacam via drones pilotados como se fossem games. Vemos a formação em duas linhas e o que parecem ser os sons do jogo.

Panda do Lixo/Trash Panda

trash-panda-plano-critico

Guaxinins viraram Trash Pandas ou Pandas do Lixo graças ao Reddit, em 2014. Tadinhos dos bichinhos… De toda forma, não sei como o pessoal lá nos confins do universo sabe disso, mas, agora, Rocket é um “panda do lixo”… Quanto bullying no coitado do bichinho…

Tommy Flanagan

tommy_flanagan

O ator, conhecido por viver Chibs na série Sons of Anarchy, faz uma ponta como um dos Sons of Anarchy faz uma ponta razoavelmente importante como um dos Saqueadores que acaba sendo ejetado ao espaço durante o motim liderado por Taserface.

Ben Browder

ben_browder

O ator, conhecido por seu papel de John Crichton na série de ficção científica Farscape, faz uma ponta como um almirante dos Soberanos.

Família Gunn

Além de Sean Gunn, James Gunn incluiu Jim Gunn Sr. e Leotta Gunn, seus pais, no filme. Eles aparecem na sequência em que a semente de Ego começa a crescer.

Xardu Hasellfrau/David Hasselhof

david-hasselhof

David Hasselhof aparece e é citado algumas vezes no filme! Primeiro ouvimos a história de como Peter mostrava uma foto do ator para seus amigos, falando que ele era seu pai. Depois, chegamos até a ver essa mesma foto. Posteriormente, na luta contra Ego, o Celestial se transforma em Hasselhof por um breve momento. Já, nos créditos finais, vemos o ator novamente!

Super Máquina

knight-rider-plano-critico

Nessa mesma história, Peter diz que seu pai se aventurava, combatendo o crime junto de seu carro falante. Clara referência a Super Máquina (Knight Rider), série oitentista estrelada por ninguém menos do que Hasselhof!

Cheers

cheers-plano-critico-entenda

Na briga entre Peter e Gamora, Peter referencia Cheers para classificar o relacionamento dos dois. Agora como ele se lembra dos detalhes da série depois desses anos todos só se explica mesmo por ele ser um meio-Celestial…

Hitchcock

north-by-northwest

Não, ele não aparece. Mas uma sequência só pode ter sido imaginada tendo um de seus filmes mais famosos – Intriga Internacional – em mente. Quando Gamora corre da alucinada de sua meia-irmã Nebulosa que chega em uma nova no planeta de Ego, a cena é idêntica à icônica fuga de Cary Grant do biplano borrifador.

Zelfo/Duende da Sorte

troll-doll-plano-critico

O Zelfo – ou Duende da Sorte – que é dado de presente de grego por Peter a Yondu no final do primeiro filme dá as caras novamente, dessa vez no enterro de Yondu, como parte do que é cremado com ele.

Classic Football

classic-football

O primeiro aparelho retrô – fora o Walkman – que vemos Quill usar é baseado nesse jogo aí, o Classic Football, da Mattel, bem dos anos 80. Ele aparece na sequência inicial em que eles se preparam para enfrentar o Abilisco. Vai gostar de coisa velha assim lá no inferno, não é?

Zune

zune-plano-critico

No final do filme, Peter ganha um Zune de Kraglin, que diz que essa é a última moda na Terra. Claro que ele está um pouco atrasado, já que o Zune foi criado pela Microsoft em 2006, em resposta ao iPod, que fora lançado em 2001. Será que um dia Quill se atualiza tecnologicamente?

Cuidado ecológico

A produção foi muito cuidadosa e não machucou guaxinins nem criaturas arbóreas durante as filmagens. Está lá nos créditos. Bom saber!

As Cenas Pós-Créditos

Cena 1: Sean Gunn treinando para ser o próximo Yondu

sean-gunn-plano-critico

Yondu morreu. BUÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ!!!

Mas seu legado continua, com Kraglin treinando com a crista de seu ex-capitão o controle por assobio da flecha que, claro, acaba acertando Drax… Com Kraglin é vivido por Sean Gunn, irmão de James Gunn, diria que é absolutamente certo que ele estará de volta em Guardiões 3 em pleno controle da crista e substituindo Yondu, quem sabe até na formação original dos Guardiões da Galáxia encabeçada por Sylvester Stallone?

Cena 2: Guardiões da Galáxa originais sendo formados novamente

Os Guardiões da Galáxia originais datam de 1969, sendo formados por Vance Astro, Charlie-27, Martinex T’Naga, Yondu Udonta e, depois, ainda por Starhawk, Aleta e Nikki, dentre outros. No Vol. 2, nós os vemos ao longo do filme em dois momentos: no planeta onde Yondu Udonta primeiro aparece, que estabelece que ele já fez parte do mesmo grupo de Stakar, vivido por Sylvester Stallone e, depois, durante o funeral de Yondu. Mais tarde, na cena de meio de créditos, nós vemos a reunião do grupo “quase” original.

Essa primeira versão vive no futuro – mais exatamente no século XXXI – e originalmente no mesmo Universo Marvel normal, o chamado Terra-616. No entanto, mais tarde, há uma bipartição da linha temporal e os Guardiões passam a ser de uma realidade paralela, a chamada Terra-691.

Se quiserem saber cada detalhe do grupo original, sugerimos fortemente a leitura do seguinte Entenda Melhor:

Entenda Melhor | Guardiões da Galáxia: O Grupo Original

Abaixo, abordaremos cada um dos personagens da mitologia dos Guardiões originais que aparecem no filme:

2.1. Stakar Ogord – Starhawk/Águia Estelar

starhawk-plano-critico

A presença dos Guardiões originais no filme é um presente aos fãs dos quadrinhos. Se os Guardiões da Galáxia na formação encabeçada por Peter Quill já eram completamente desconhecidos, imaginem na formação original, de 1969? Pois é isso que James Gunn faz aqui, trazendo os integrantes originais da equipe. Bem, pelo menos quase originais, pois Stakar ou Starhawk (ou Águia Estelar), vivido por Sylvester Stallone, só apareceu mesmo em 1975, seis anos depois dos Guardiões aparecerem pela primeira vez.

Nos quadrinhos, Stakar é um ser extremamente poderoso, filho de Quasar com Kismet (vide Ayesha) em um século XXXI alternativo (Terra-691) do Universo Marvel, com um passado misterioso. Ele serve quase que como guia espiritual dos Guardiões originais, sempre avisando-os de perigos iminentes e fazendo pequenas correções de rumo, além de só aparecer quando quer para usar seus poderes razoavelmente ilimitados.

Interessantemente, nos quadrinhos ele é casado com Aleta Ogord (mais sobre ela abaixo), sua irmã adotiva. Os dois, quando jovens, descobriram o Deus Falcão no planeta Arcturus IV (onde foi criado, depois de descoberto por Ogord, um Reaver, muito semelhante a um Saqueador) e isso acabou fundindo-os. Eles passaram, então a surgir em turnos, com Stakar começando como personalidade dominantes, com Aleta aos poucos ganhando mais espaço, até conseguirem se separar muito tempo depois.

Com isso, é interessante notar que não é aleatório Stakar ser um Saqueador em Guardiões da Galáxia. Além disso, reparem no uniforme que Stallone usa e comparem-no com a imagem do personagem dos quadrinhos: ele é azulado e as “asas” amarelas são representadas por uma espécie de “alça” dessa cor no figurino de Stallone. Além disso, antes mesmo de vermos Stallone, ouvimos sua voz falando sobre Aleta. E ele também menciona as “Cores de Ogord” no funeral de Yondu, referencia seu sobrenome nos quadrinhos.

2.2. Martinex T’Naga

martinex-plano-critico

Martinex é um dos membros fundadores dos Guardiões originais. Vivido por Michael Rosenbaum, nos quadrinhos Martinex tem a pele coberta de uma forma cristalina, pois ele, apesar de ter origem na Terra (seus ancestrais pelo menos), vive na colônia terráquea em Plutão e a camada de cristal é para proteger seu corpo do frio do ex-planeta. Ele tem o poder de emitir rajadas de calor ou frio das mãos, além de ser um cientista de mão cheia.

Nós vemos Martinex na sequência em que Yondu conversa com Stakar, no funeralde Yondu e também na cena de meio-créditos com a (re)formação da equipe antiga.

2.3. Charlie-27

charlie27-plano-critico

Charlie-27, vivido por Ving Rhames, é também de origem terráquea nos quadrinhos, mas que ganhou aspecto atarracado e super-força para sobreviver na atmosfera de Júpiter, outra colônia da Terra. Ele é, também, membro fundador dos Guardiões da Galáxia. No filme, ele aparece no funeral de Yondu e na cena de meio de créditos com a (re)formação do grupo.

2.4.  Aleta

aletta-plano-critico

Vivida por Michele Yeoh, Aleta, nos quadrinhos, é a meia-irmã e também esposa de Stakar nos quadrinhos, dividindo o corpo com ele depois que ambos descobre o Deus Falcão.

2.5. Mainframe

mainframe-plano-critico

A famosa ponta de Miley Cyrus se dá apenas com sua voz no robô Mainframe, que aparece somente na cena de meio de créditos que reúne mais uma vez os Guardiões originais. Na verdade, porém, Mainframe nunca foi dos Guardiões da Galáxia, mas sim de um grupo spin-off chamado Guardiões Galáticos (sim, temos a crítica aqui), formado por Martinex T’Naga.

Nesse futuro, Mainframe é uma “encarnação” de ninguém menos do que o Visão, como um computador com um rosto vermelho (como o do Visão, só que sem o uniforme verde).

2.6. Krugarr

krugarr-plano-critico

O último Guardião que vemos na cena de meio de créditos nunca foi Guardião da Galáxia nem Guardiõa Galático nos quadrinhos. Trata-se do estranho Krugarr que, porém, faz parte da mitologia geral dos Guardiões da Galáxia na versão noventista de Jim Valentino. No futuro em que as aventuras originais dos Guardiões se passa, Krugarr é ninguém menos do que o  Mago Supremo da Terra, tendo recebido o manto diretamente das mãos do Doutor Estranho. É muito pouco provável que ele seja também um Mago Supremo no UCM, mas é fascinante Gunn ter escolhido personagem tão obscuro e potencialmente interessante para compor os Guardiões conforme sua visão.

2.7. Vance Astro/Major Vitória

vanceastro-plano-critico

Calma. Ele não aparece no filme. E é justamente isso que queria salientar. O membro fundador e líder dos Guardiões originais está completamente ausente do filme e por uma razão muito simples: sua origem está intimamente ligada com a Terra e com deslocamento temporal, já que ele é um astronauta que fica em animação suspensa por mil anos, sendo descongelado no século XXXI e é pelas ações dele que os Guardiões se reúnem. Sua origem é parecida com a do Capitão América, na verdade, o que o leva, nesse futuro, a empunhar o escudo do Capitão. Dificilmente ele aparecerá em uma versão futura de Guardiões da Galáxia, mas a esperança é a última que morre, não é mesmo?

Cena 3: Adam Warlock

warlock-plano-critico

A cena pós-créditos mais importante é a que Ayesha revela que está preparando uma arma para liquidar com os Guardiões da Galáxia, batizando-a de Adam no momento em que a câmera focaliza em um casulo (como o que vemos na coleção do Colecionador no primeiro Guardiões, só que envolto na cor dourada, claro). Adam Warlock é um trágico personagem dos quadrinhos que primeiro surgiu como Ele (vide Ayesha acima) em Quarteto Fantástico #66 e 67 em setembro e outubro de 1967 e como Adam Warlock em Marvel Premiere #1, de abril de 1972. Baseado na figura de Jesus Cristo, ele é um ser artificial que funciona como um mártir que carrega, na testa, uma das joias do infinito – a da alma – e que se torna, depois, guardiões de TODAS as seis joias.

O personagem é vital na derrota de Thanos em Desafio Infinito (na verdade, em toda a Trilogia do Infinito, de Jim Starlin), que é uma das bases para Vingadores: Guerra Infinita. Aparentemente, não o veremos nesse filme, mas sua presença em Vingadores 4 é bastante provável.

Cena 4: Groot aborrescente

groot-entenda-plano-critico

E, finalmente, Groot cresce! Nós o vemos adolescente em uma divertida cena de meio de créditos, com Peter reclamando da bagunça de seu quarto e entendendo Yondu quando ele próprio era adolescente entre os Saqueadores. Isso significa que, muito provavelmente, veremos Groot adulto já no próximo filme dos Guardiões.

Cena 5: Stan Lee como uma entidade cósmica

stan-lee-fedex-plano-critico

Uma antiga teoria de fãs ganha confirmação no Vol. 2.. Bem, pelo menos meia-confirmação. Kevin Feige, em declaração, deu a entender que Stan Lee é um personagem acima dos filmes todos, quase que como um criador de tudo. Nós o vemos no filme, durante os saltos espaciais de Rocket e Yondu, conversando com os Vigias. Depois, na cena de meio de créditos dele, nós o vemos novamente com os Vigias que não querem mais saber de suas histórias e o deixam por lá, no planeta em que está. Acontece que Stan Lee menciona sua ponta como entregador do FedEx em Capitão América: Guerra Civil, o que determina que, em suas pontas todas, ele é o mesmo personagem.

Não creio que ele seja um Vigia, mas ele pode ser uma entidade cósmica conhecida como One Above All que é a criadora de todo o Multiverso. Nada como o grande responsável pela criação da Marvel como ela é hoje ser algo assim, não é mesmo? Duvido que isso seja explorado em detalhes, mas a concepção é indubitavelmente interessante.

XXXXXXX ——————— XXXXXXX

E aí, acharam mais? Erramos alguma? Sintam-se livres para comentar!

RITTER FAN & GUILHERME CORAL . . . Primeiro híbrido-crítico do Plano Crítico, Ri&Gui é a junção de duas mentes insanas, perturbadas e ousadas prontas para dominar o mundo. Surgidas diretamente das séries da CW, essas mentes pretendem espalhar, além da dominação, o amor e o nonsense pela Galáxia. Contemplem, ó, mortais, uma nova categoria de crítico!