Entenda Melhor | Jessica Jones – 2ª Temporada: Referências e Easter-Eggs

A crítica sem spoilers da 2ª temporada de Jessica Jones, a segunda série produzida pela Marvel e ABC com exclusividade para o Netflix, pode ser lida aqui. Leiam o artigo que segue apenas se já assistiram a série ou se não se importam com revelações, pois há inevitáveis spoilers.

Leiam, também, os seguintes artigos:

Os quadrinhos de Jessica Jones que criticamos

Todo o Universo Cinematográfico Marvel

Todas as temporadas das séries Marvel-Netflix

Nossos “Entenda Melhor” de Easter-Eggs e Referências

Vamos lá?

I. Personagens Que Já Apareceram:

Para evitar repetições, listei, abaixo, os personagens que já apareceram em alguma série Marvel/Netflix com os links apontando para a publicação onde o leitor poderá encontrar seus perfis completos aqui no site. Trish Walker ficou de fora, pois, com sua evolução na 2ª temporada, ela mereceu novos comentários. Segue a lista:

Jeryn “Jeri” Hogarth – A super-advogada semi-vilanesca que esporadicamente emprega os serviços de Jessica Jones.

Malcolm Ducasse – Ex-drogado por influência de Kilgrave, vizinho e sidekick de Jessica Jones em sua empresa de investigações.

Franklin “Foggy” Percy Nelson – Advogado que é – ou era – o melhor amigo de Matt Murdock, o Demolidor, e que, agora, trabalha no escritório de Jeri. Nós o vemos muito rapidamente, oferecendo ajuda para ajudar Jeri em sua luta contra seus sócios que a querem fora da sociedade em razão do diagnóstico de ALS.

Dorothy Walker – Mãe de Trish que explorou a persona mirim “Patsy” de sua filha e mãe adotiva de Jessica Jones.

Will Simpson – Ex-soldado e ex-policial que é a versão do UCM de Bazuca (nos quadrinhos, seu nome é Frank Simpson). A novidade é que ele usa um inalador agora.

Kilgrave – Vilão da 1ª temporada que tem o poder de controlar as pessoas. Ele manteve Jessica Jones em cativeiro, estuprando-a e abusando-a de todas as maneiras e acabou morto por ela ao final da temporada anterior. Ele volta, aqui, somente no episódio 10 na imaginação perturbada da heroína depois que ela mata um guarda de prisão em legítima defesa.

Turk Barrett – Bandido estilo pau-para-toda-a-obra que, na metade do tempo atrapalha e, na outra, ajuda os heróis, mesmo que a contragosto. Ele faz uma micro-ponta aqui como o fornecedor de um revólver para Jeri levar a cabo sua vingança.

Dr. Miklos Kozlov – Único dos personagens que já apareceu, mas que não tem perfil em outros artigos, o Dr. Miklos Kozlov era um dos responsáveis pela IGH e que fez expieriências com drogas ilícitas com, dentre outros, Will Simpson. Na 2ª temporada, ele é apenas citado e não aparece. Sua contrapartida nos quadrinhos é Michael Kozlov (nascido Miklos) e foi introduzido em Strange Tales #83, de abril de 1961, por Stan Lee, Jack Kirby e Dick Ayers. Ele é um cientista que foi capturado pelos soviéticos e obrigado a fazer testes nucleares que acabaram acordando o dragão Grogg.

II. Novos Personagens na Série
(Com Conexão com os Quadrinhos):

1. Robert “The Whizzer” Coleman

Talvez a mais sensacional referência aos quadrinhos nas séries Marvel/Netflix, o personagem Robert Coleman que, primeiro, Jessica acha que é só mais um maluco, revela-se como alguém que realmente tem os poderes que diz ter, ou seja, a super-velocidade. Acontece que o Whizzer – ou, como ficou conhecido no Brasil, Ciclone (às vezes Tufão) – realmente é um herói da Marvel Comics e não um herói qualquer, mas um dos mais antigos da editora, criado quando ainda era conhecida como Timely Comics, no mesmo ano em que nascia o Capitão América: 1941, mais exatamente agosto, na revista USA Comics #1. Desenhado por Al Avison, o personagem tem os exatos poderes de Robert Coleman, mas seu nome original era Robert Frank.

Reparem que houve até o cuidado da produção em se manter a padronagem clássica de cores – amarela e azul – no personagem que tenta contratar Jessica Jones e cuja morte ajuda a deflagrar o mergulho da heroína em seu passado. E, como se isso não bastasse, nem o mangusto, animal de estimação de Coleman, é aleatório, já que, nos quadrinhos, ele ganha seus poderes justamente porque seu pai o injeta com sangue de mangusto. O nome do mangusto? Emil. O nome do pai de Whizzer nos quadrinhos? Sim, Emil também! Uma baita homenagem a um personagem esquecido pelas brumas do tempo, não?

2. Maynard Tiboldt

O psiquiatra hipnotizador que Trish insiste que Jessica veja chama-se Maynard Tiboldt. Um nome desses não é sem querer e é claro que ele foi retirado dos quadrinhos e de uma fonte que chega a ser até engraçada. Trata-se do vilão Mestre do Picadeiro, que literalmente comanda uma equipe chamada Circo do Crime. Sua primeira aparição foi em O Incrível Hulk #3 de setembro de 1962. E, não coincidentemente, um dos “poderes” do personagem é justamente a hipnose.

E o mais curioso é que essa é a segunda referência ao Mestre do Picadeiro nas séries Marvel/Netflix, ainda que a primeira naõ tenha relação com o personsagem que vemos agora. Foi na 1ª temporada de Punho de Ferro, quando Colleen Wing vai lugar em um ringue cujo apresentador se chama Ringmaster, o nome em inglês do vilão.

3. Dr. Karl Malus

Malus é o cientista responsável diretamente pelos super-poderes de Jessica Jones, Alisa Jones e de Robert Coleman (que tenhamos conhecimento), além de ser recrutado por Trish Walker para fazer o mesmo com ela. Nos quadrinhos, ele surgiu em Mulher-Aranha #30, de setembro de 1980, criado por Michael Fleisher, Steve Leialoha e Jim Mooney. Assim como na série, ele inicialmente era um cientista fazendo experimentos em humanos para aprender mais sobre os meta-humanos. Ele foi responsável pela criação de alguns super-vilões e a modificação dos poderes de outros e, mais tarde, depois de tornar-se receptor do simbionte Carnificina, ganhou poderes próprios.

4. Alisa Jones:

A mãe biológica de Jessica Jones – Alisa – que ela achava que havia morrido, é revelada como viva e, como se não bastasse, com os mesmos poderes da filha, só que amplificados. Alisa Jones, nos quadrinhos, é o nome da mãe adotiva de Jessica e ela não tem poder algum. O nome Alisa, em sua origem, é um anagrama de Alias, o nome da agência de investigação de Jessica.

III. Novos Personagens na Série
(Sem Conexão com os Quadrinhos ou UCM):

Há uma grande quantidade de personagens 100% inéditos na 2ª temporada de Jessica Jones, ou seja, que não foram nem inspirados nos quadrinhos nem apareceram antes no Universo Cinematográfico Marvel. Os principais são os seguintes:

Pryce Cheng – Sócio principal de uma agência de investigadores particulares que, inicialmente, deseja incorporar a empresa de Jessica Jones

Griffin Sinclair – O repórter e namorado de Trish Walker

Oscar e Vido Arocho – Pai e filho que se mudam para o prédio onde Jessica mora. Inicialmente, Oscar tem reticências com ela, mas, depois, eles acabam namorando. Vido imediatamente conecta-se com a “super lady“.

Maximilian “Max” Tatum – Diretor de cinema e televisão canalha que se aproveita de menores e se aproveitou de Trish em começo de carreira. Qualquer semelhança com a vida real é mera coincidência.

Dra. Leslie Hansen – Uma das médicas da IGH.

Maury Tuttlebaum – Amigo de Trish que trabalha no necrotério.

Chao e Benowitz – Sócios de Jeri Hogarth que querem expulsá-la da sociedade em razão da doença dela.

Inez Green – Moradora de rua que foi enfermeira na IGH e que dá um golpe em Jeri junto com seu amante Shane.

Shane Ryback – Bandido que finge ter poderes de cura obtidos por intermédio da IGH para dar um golpe em Jeri com a ajuda de Inez.

Justis Ambrose – Milionário que ajuda financeiramente os experimentos do Dr. Karl Malus.

Stirling – No capítulo flashback, Stirling é o namorado manipulador de Jessica Jones que Alisa acaba matando em um acesso de fúria e precipitando a jornada depressiva da protagonista.

Wyatt – Líder de gangue que emprestara dinheiro a Stirling e que dejesa recrutar Jessica como seu “músculo”.

Dale Holiday – Guarda da prisão torturador e assassino que Jessica acaba matando.

Ruth Sunday – Detetive que odeia Jessica Jones, parceira de Eddy Costa, que Alisa acaba matando.

Eddy Costa – Detetive que gosta de Jessica Jones, parceiro de Ruth Sunday.

IV. Origem de Jessica Jones:

A 1ª temporada de Jessica Jones chegou a mostrar o acidente de carro em que ela teria perdido seus pais e seu irmão e ganhado seus poderes. No entanto, na 2ª temporada, descobrimos que seus poderes são efeitos colaterais de um experimento do Dr. Karl Malus ao tentar salvar sua vida. Nos quadrinhos, a origem vista na 1ª temporada é a que “vale”. A segunda, especialmente o fato de sua mãe biológica estar viva e com poderes, é específico para a série. O mesmo vale para a origem do nome Alias (boate que Stirling, namorado de Jessica, queria abrir) e de seu casaco de couro (ela rouba de uma loja), além de sua adoção por Dorothy Walker não tem relação com os quadrinhos.

O único aspecto tirado das HQs é o nome do meio de Jessica, Campbell, que é seu nome de nascimento, antes da adoção pelos Jones.

V. Origem de Felina (Trish Walker):

Como abordei no Entenda Melhor da 1ª temporada de Jessica Jones, a história editorial de Trish Walker, na verdade mais conhecida como Patsy Walker mesmo nas HQs é muito interessante, já que a personagem surgiu na Miss America Magazine #2, de novembro de 1944, da Timely Comics, como uma personagem adolescente “comum” e completamente fora do universo de super-heróis. No entanto, esse passado dela como Patsy foi absorvido completamente em Quarteto Fantástico Anual #3, de 1965, quando ela efetivamente “entra” no Universo Marvel e, mais tarde, as HQs em que Patsy aparecia na década de 40 a 60 foram também incorporadas ao Universo Marvel como obras criadas por sua mãe, Dorothy.

Somente em 1972 é que a personagem foi apresentada como uma super-heroína, mas abandonada logo em seguida. Em 1976, ela finalmente entraria de vez no Universo Marvel como Felina, adotando o uniforme original de Green Grant Nelson, a Tigresa. Sua origem, nos quadrinhos, é extremamente complicada, bastando dizer que seus poderes têm relação com Mefisto e Daimon Hellstrom, com quem se casaria. Ela pode sentir fenômenos místicos, levantar escudos de força contra ataques místicos e seu uniforme se materializa nela quando ela quer, além de ter garras retráteis.

O caminho tortuoso de Patsy ou Trish na direção de sua persona super-heroística, de certa forma, é emulada na 2ª temporada de Jessica Jones. No episódio 1, nós vemos Trish, usando sua peruca ruiva e vestido de Patsy em uma festa de crianças. O cabelo ruivo é a cor do cabelo da personagem nos quadrinhos. Depois, já sob influência do inalador de Simpson, ela ganha mais força e habilidades, além de sentidos mais aguçados. No episódio 8, nós a vemos arranhar o rosto de um valentão homofóbico, o que tem relação direta com as garras de Felina. No episódio 11, o Dr. Karl Malus, depois que Trish pede que ele a altere fisicamente, obtém FVRVP, ou uma vacina felina contra cinomose, ingrediente que usa para fazer seu coquetel que ele injeta em Trish. No começo do episódio 13, uma enfermeira diz que Trish usou “duas de suas nove vidas” e, ao final do mesmo episódio, notamos que Trish, com base no experimento, ganhou pelo menos uma espécie de super-agilidade. Será que veremos Felina – de uniforme e tudo mais – na próxima temporada da série?

VI. Outras Referências aos Quadrinhos e/ou UCM:

1. Homem-Aranha

Acho que nenhuma série Marvel/Netflix citou tanto um personagem dos filmes do UCM como foi o caso do Homem-Aranha na 2ª temporada de Jessica Jones. Todas menções indiretas, claro, mas foram várias:

(a) O Whizzer diz, em seu vídeo, que “com grandes poderes, vêm grandes doenças mentais”;

(b) O namorado de Trish diz que as “bolas dele estão formingando” em referência ao sentido dele de algo não está certo ou, mais indiretamente, em relação ao sentido de aranha que Peter Parker tem;

(c) Em resposta ao comentário acima sobre o formigamento, Jessica Jones dize para ele que ele tem um “scroty-sense“, legendado como “senso escroto”, mas que deveria ter sido “senso escrotal”. Mais uma referência ao sentido de aranha;

(d) Jessica diz para sua mãe para ela não dizer que “com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”;

(e) Vido pergunta para Jessica se ela tem “super-sentidos”.

2. Capitão América

Imagem relacionada

Vido mostra para Jessica Jones seu brinquedo preferido, um boneco do Capitão América cujo escudo ele perdeu, mas que ele substituiu por um que ele fez que é preso ao braço do herói com magnetos. Esse escudo magnético foi usado pelo personagem em Vingadores: Era de Ultron e também nos quadrinhos.

3. Patsy Walker

No segundo episódio, vemos um pôster de Patsy Walker com o exato mesmo logotipo da revista original da Atlas Comics (sucessora da Timely e predecessora da Marvel).

4. Josie’s

O primeiro bar que Jessica Jones visita é o Josie’s, onipresente na série e nos quadrinhos do Demolidor.

5. Rand Enterprises

Jeri menciona a Rand Enterprises, empresa de Danny Rand, o Punho de Ferro, duas vezes. A primeira apenas muito brevemente. Na segunda, descobrimos que seu escritório trabalha principalmente com a Rand Enterprises, responsável por 62% do faturamento. Essa forte conexão de Jeri com o Punho de Ferro vem dos quadrinhos, já que a contrapartida das HQs da advogada – um homem com o mesmo nome – é peça-chave para a vida de Danny Rand desde sua volta de K’un Lun.

6. Invasão Secreta

Uma das possíveis clientes de Jessica Jones, logo no começo da temporada, acha que lagartos estão tomando a forma humana e substituindo pessoas. Seria uma referência à Invasão Secreta, saga em que os Skrulls, alienígenas camaleônicos que mudam a forma a seu bel-prazer, tomam a forma de humanos importantes, incluindo super-heróis, para dominar a Terra? Nada é aleatório, lembrem-se disso!

7. Team-Up

No episódio 5, uma policial diz para Jessica Jones que sabem que “eles” (ou seja, os humanos super-poderosos) gostam de fazer team-up, ou seja, reunir-se em grupos. Aqui, a referência não só é aos famosos “team-ups” dos quadrinhos, que já ganharam até publicações próprias da Marvel Comics, como também, claro, aos Vingadores e, mais especificamente, aos Defensores.

8. David Mack e Michael Gaydos

David Mack é o capista de todas as publicações solo de Jessica Jones, ou melhor, das únicas duas que já foram feitas: a original Alias e a atual Jessica Jones. Seu estilo inconfundível é homenageado na figura de Oscar Arocho, o vizinho, superintendente e interesse romântico de Jessica Jones que é pintor. Ele não só tem um quadro pendurado em sua parede que segue de perto o estilo de David Mack, como, também, o quadro que ele pinta de Jessica dormindo e dá de presente para ela é muito claramente uma arte de Mack.

Além disso, vemos a característica cor roxa das artes de Jessica Jones bem presente na sequência em que Jessica derruba um balde de tinta dessa cor no apartamento de Oscar e os dois transam em cima da tinta. A cor, claro, também represente Kilgrave, conhecido nos quadrinhos como Homem-Púrpura por ele ter a pela dessa cor. E, finalmente, ainda no departamento de arte, mas agora de Michael Gaydos, o artista de Alias e Jessica Jones, vemos, assim como na 1ª temporada, a reprodução de uma famosa página dos quadrinhos em que vemos Jessica sentada em um vaso sanitário.

9. Morte de Kilgrave

Jessica mata Kilgrave levantando-o e quebrando seu pescoço. Alisa, sua mãe, faz exatamente o mesmo com uma enfermeira no flashback de sua “origem”.

10. A Balsa

A Balsa, prisão para seres super-poderosos que foi criada, nos quadrinhos, justamente na história de Jessica Jones, em Alias #26, de novembro de 2003, é citada várias vezes mais para o final da série, depois que Alisa é presa. Essa é a mesma prisão onde os ex-Vingadores capturados em Guerra Civil são encarcerados e, depois, libertados pelo Capitão América. A prisão também é mencionada por Jeffrey Mace, em Agents of S.H.I.E.L.D.

11. Acordos de Sokovia

O ato de registro de super-humanos é indiretamente abordado, em relação a Jessica Jones, quando Alisa está sendo presa.

12. Stan Lee

Diferente de todas as outras temporadas de séries Marvel/Netflix, aqui a ponta de Stan Lee não é como o policial Irving Forbush, em fotos (por sua vez uma referência ao Forbush Man, da paródia Not Bran Echh, da Marvel Comics, traduzido aqui no Brasil como Homem-Fuleiro, como nosso leitor Ricardo corretamente me informou), mas sim como o cliente de um advogado chamado Forbush, em um busdoor na sequência em que Jessica, Alisa e Oscar vão resgatar Vido na rodoviária.

13. Westchester

O final da série se passa em Westchester. O que isso tem de relevante? Oras, é lá que, nos quadrinhos e nos filmes da Fox, se localiza a escola de mutantes de Charles Xavier, o professor X. Coincidência ou sinal de que estamos próximos de ter os X-Men no UCM?

14. Bloco D

Aparentemente, todo mundo que é preso nas séries Marvel/Netflix vai para o bloco de celas D. É para lá que foi Alisa, assim como Wilson Fisk e Frank Castle.

VII. Outras referências

1. Harry Potter

Jessica Jones diz para Trish que a IGH não é Voldemort.

2. Desafio do balde de gelo

Diagnosticada com ALS, Jeri diz para Inez que não pretende fazer o desafio do balde de gelo, referência direta ao famoso “ice-bucket challenge” que fez extremo sucesso na arrecadação de fundos em busca de uma cura para a doença.

3. Helen Frankenthaler

Oscar é comparado com Helen Frankenthaler, pintora abstrata americana.

4. Peter Pan

A marca da empresa de ônibus que as Jones param para resgatar Vido é Peter Pan.

5. Assassinos

O filme que Jessica e Trish assistem no terraço de um prédio? Assassinos, de 1946, com Burt Lancaster e Ava Gardner, dirigido por Robert Siodmak e escrito por Anthony Veiller, com base em história de Ernest Hemingway.

6. A Marca da Maldade

O outro filme que as duas assistem no telhado é A Marca da Maldade, de Orson Welles, de 1958, com Charlton Heston e Janet Leigh.

7. Game of Thrones

Reparam no fliperama de Game of Thrones que aparece lá no Josie’s, bar que Jessica frequenta? Pois está lá!

8. Superman II

A cena em Vido cai pela janela e Jessica o salva lembra muito a sequência alternativa de abertura de Superman II, em que Lois se joga da janela para tentar provar que Clark Kent é o Superman.

9. Nirvana

Aparentemente, Jessica gostava muito de escutar Nirvana, já que ela diz muito claramente para sua mãe que a banda não era deprimente.

XXXXXXXXXXXXXX

Foi o que conseguimos achar! Acharam outros? Erramos algum? Mandem seus comentários!

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.