Entenda Melhor | O Futuro Pós-Vingadores: Guerra Infinita

  • spoilers. Leiam, aqui, nossas críticas de Guerra Infinita e acessem, aqui, nosso índice do Universo Cinematográfico Marvel.

Thanos venceu.

O fracasso dos super-heróis, mas a esperança de vitória.

A mão pesada do grandiloquente vilão de Vingadores: Guerra Infinita reduziu pela metade a vida no universo. Pelo menos no Universo Cinematográfico da Marvel, que construiu por 10 anos uma invejável teia de histórias compartilhadas. Com um estalar de dedos, personagens queridos como Homem-Aranha, Doutor Estranho, Pantera Negra, o Senhor das Estrelas, Drax, entre outros, foram reduzidos a pó. Essas mortes, porém, não serão eternas…

  • A sequência de Homem-Aranha: De Volta ao Lar já foi confirmada e marcada para lançamento em 2019, após Vingadores 4.
  • Os Guardiões da Galáxia já tiveram a confirmação de um encerramento da trilogia. Como apenas Rocket Racoon sobrou da equipe original, é bastante improvável que apenas o personagem estrele o filme, ao lado de caras novas, é claro.
  • Doutor Estranho e principalmente Pantera Negra foram sucessos gigantescos de bilheteria. Haverá continuações. Pantera Negra, aliás, já tem sequência confirmada, apesar de não haver data.

O que exatamente isso significa para o futuro do universo? A resposta para essa pergunta é simples. As mortes serão revertidas. “Mas como” é a verdadeira pergunta. Além disso, temos uma espécie de comprovação no próprio filme, na seguinte cena, que o inesperado e doloroso acontecimento não será irreversível:

O Doutor Estranho, em determinado momento do filme, começa a apresentar certas convulsões e nos revela, após ser indagado pelos heróis, confusos com o que estavam vendo, que visitou mais de 14 milhões de possibilidades futuras para o exato presente e encontrara apenas uma realidade na qual os heróis saíram vitoriosos. Nada mais é dito claramente sobre isso; se o personagem está tentando seguir essa linha do futuro, única, na qual Thanos é derrotado. Por isso, na crítica que escrevi, apontei como destaque o personagem, visto que ele está extremamente misterioso, de um modo que não se é possível assumir de maneira óbvia o que acontecerá no futuro.

Na trama, o embate então começa em Titan, com Thanos aparecendo em combate e os heróis se unindo para enfrentar o vilão, interessado na Joia do Infinito que se encontra com o Doutor Estranho. Mais para frente, o mago acaba entregando a Joia do Tempo para Thanos, que estava prestes a assassinar o Homem de Ferro. A atitude do personagem é extremamente curiosa, visto que, em uma cena anterior, o personagem afirmara para Tony Stark e o Homem-Aranha que priorizaria o bem da Joia e não a vida deles. Os heróis perdem, metade do universo é dizimado, até que o Doutor Estranho, prestes a morrer, diz para Tony que era para ser assim.

Dessa forma, é bem cabível crermos que a derrota dos heróis, daquela exata maneira, passando por aquelas exatas frustrações (a Manopla do Infinito que quase sai por pouco, a Joia da Mente que é quase destruída, o vilão que é quase morto por Thor) seria a única forma de Thanos, após ter vencido, acabar sendo derrotado no futuro. O Doutor Estranho sabia o que estava fazendo. Se não soubesse, não teria entregado a Joia do Tempo e, mais do que tudo, teria a usado. Por que o personagem não usou aquela “arma”, com poderes que, naquele caso, seriam de extrema ajuda? Talvez reverter o acesso de fúria de Peter Quill, indignado com a morte de Gamora. Não existe acaso aqui.

Como os Vingadores irão ganhar essa Guerra Infinita?

Brie Larson no set de Vingadores: Guerra Infinita.

Mas então… se essa é a linha do tempo em que os heróis derrotam o vilão, como será que os heróis irão derrotar o vilão?

Em um primeiro momento, a Capitã Marvel é a principal aposta do público para enfrentar as ameaças futuras, seja Thanos ou até uma outra, de igual para igual. O filme da personagem, com data marcada para 14 de março de 2019, no Brasil, se passará nos anos 90 e contará a história de Carol Danvers, figura ainda inédita no cinema. Já nos quadrinhos, a personagem é extremamente famosa, tendo adquirido seus poderes ao ser salva por Mar-Vell, o Capitão Marvel, um guerreiro alienígena da raça kree. Após passar por diversas alcunhas, Carol Danvers, mais recentemente, adotou o título utilizado pelo super-herói e é uma das principais forças dos quadrinhos da Marvel Comics. Dado o envolvimento da heroína com alienígenas de diversas raças nos quadrinhos, é esperado que o mundo cósmico retorne mais uma vez para os cinemas. Em fotos de set, liberadas pelo Hollywood Pipeline, Brie Larson, a atriz que interpretará a personagem, aparece trajando um uniforme verde, que faz clara alusão a caracterização original de Mar-Vell. Além disso, em uma recente entrevista para a Variety, Kevin Feige, presidente da Marvel Studios, afirmou: “Vocês verão a heroína mais poderosa que já apresentamos”. Os poderes, pelo visto, existem de sobra.

É possível que essa mesma mudança de uniforme aconteça com Carol Danvers.

A pergunta que surge, contudo, é como fazer a personagem, que estará estrelando um filme passado nos anos 90, se unir aos heróis do presente, desiludidos frente a uma devastação sem precedentes. Nisso, a cena pós-crédito de Vingadores: Guerra Infinita surge como uma luva para conectar a presença da personagem na sequência; a Capitã Marvel está garantida dessa forma.

Na cena, Nick Fury e Maria Hill estão no trânsito, discutindo sobre o desaparecimento de Tony Stark, levado ao espaço na tentativa de resgatar o Dr. Estranho. Quando os eventos relacionados com a vitória de Thanos começam a acontecer, ambos saem do carro. As pessoas estão desaparecendo; outras, entrando em pânico. Alguns carros batem e até um helicóptero cai. Maria Hill, enfim, também começa a desaparecer, o que torna tudo ainda mais notável para Nick Fury, logo pegando um pager modificado para contactar alguém. O antigo diretor da S.H.I.E.L.D, infelizmente, também é afetado pelo estalar de dedos de Thanos, morrendo no processo – mas não antes de soltar um último motherf***** e utilizar o pager. Segundos se passam e o símbolo da Capitã Marvel aparece. A heroína está finalmente dentro desse Universo Cinematográfico.

Com essa cena, e a confirmação de que Samuel L. Jackson, com cabelo e os dois olhos, estará presente em Capitã Marvel, cria-se uma conexão extremamente forte da personagem com o presente. O pager, porém, daria margem para uma mensagem que viaja no tempo? Ou a personagem estaria em hibernação, em um estado parecido com o de Steve Rogers em Capitão América: O Primeiro Vingador? As perguntas são muitas, e poucas delas podem ser respondidas com certeza. A única ponta resolvida é a da participação da personagem, e a do potencial de Carol como uma carta na manga dos heróis para Thanos. Mas, esperem, ainda existe outro(s). Afinal, nada disso relacionado a Capitã Marvel responde como os nossos heróis que faleceram irão retornar para a saga – e eles irão.

O envolvimento do Homem-Formiga e da Vespa nisso tudo.

Evangeline Lilly e Paul Rudd, em imagens de Homem-Formiga e a Vespa.

Homem-Formiga e a Vespa, com estreia marcada para 5 de julho de 2018, no Brasil, é o próximo capítulo do Universo Cinematográfico da Marvel. A história, entretanto, se passará antes dos eventos de Vingadores: Guerra Infinita, visto que o teaser trailer do filme, lançado em janeiro desse ano, apresenta o mundo da forma como o conhecíamos. A situação de Lang, preso em Capitão América: Guerra Civil, já foi explicada em Guerra Infinita, junto com a do Gavião Arqueiro (ponto que será reiterado mais para frente). Ambos os heróis estiveram fora da mais nova incursão da Marvel.

Após os antigos membros dos Vingadores se reunirem com o Máquina de Combate, é revelado que tanto o Gavião Arqueiro quanto o Homem-Formiga fizeram um acordo, garantindo a eles a possibilidade de permanecerem em prisão domiciliar, ainda mais pelo fato de ambos terem uma família. 

Mas isso significa que o filme do herói – e da heroína também – será totalmente independente dos eventos catastróficos que aconteceram? Em entrevista ao Omelete, o roteirista Stephen McFeely disse: “Homem-Formiga, Vespa e Capitã Marvel terão papel importante em Guerra Infinita e no quarto filme. Nós colocamos algumas coisas nesses dois filmes, pequenas coisas, que ajudarão as pessoas a entender o que acontece no 4. Capitã Marvel não se passa nos anos 90 por acaso, há um motivo ali que vai ajudar a entender o próximo filme”. Em consequência a tal assertiva, é esperado que haja conexões e, acima de tudo, os personagens, tanto o Homem-Formiga quanto a Vespa, sejam importante na continuação de Guerra Infinita. Como torná-los importante é algo completamente diferente.

Paul Rudd, Robert Downey Jr. e Chris Evans em imagens do set de Vingadores: Guerra Infinita e Vingadores 4.

Algumas fotos de set, liberadas pela JustJared, mostram Paul Rudd ao lado de Chris Evans. Todavia, o ator que interpreta o Capitão América aparece com a aparência que tinha no primeiro Vingadores. Ademais, Tom Hiddleston contracena com os heróis em outras imagens, aparentemente reencenando a última cena dos Vingadores, na qual os heróis à paisana transportam o Deus da Trapaça. O que isso poderia significar? Há algumas possibilidades, como flashbacks. Contudo, o Homem-Formiga e o Homem de Ferro também estão em cena, mas com uma caracterização mais atual. Aparentemente, eles estariam fazendo uso de uma tecnologia apresentada no próprio Guerra Civil: a Binary Augmented Retro Framing. O dispositivo possibilitava o usuário acessar memórias passadas. No caso, Tony Stark se relembrava do último encontro que teve com os seus pais, antes deles serem assassinados pelo Soldado Invernal. O porquê de se especular sobre o uso dessa tecnologia encontra-se também em imagens de set, que mostram uma maleta laranja com essas escritas.

Todavia, a mais plausível das explicações é também uma das mais simples: viagem no tempo. A começar uma teorização sobre o envolvimentos dos heróis diminutos nessa brincadeira, em Homem-Formiga, Hank Pym afirma que o “tempo e o espaço” não se aplicam na Zona Quântica, lugar para onde Janet van Dyne, a Vespa original, foi quando sumiu em 1987, após se encolher demasiadamente. A personagem não morreu, visto que a sua silhueta aparece quando Scott Lang visita essa Zona, além de que, nos quadrinhos, o transporte dessa personagem para esse universo sub-atômico já aconteceu, apesar dela ter aparentemente morrido. Além do mais, Michelle Pfeiffer foi escalada para o papel, o que garante a sua presença na continuação. Por outro lado, por Michelle Pfeiffer já ser mais velha, as aplicações do tempo, pelo menos, parecem ser as mesmas. Com a Joia do Tempo fora da mesa, dado os eventos de Guerra Infinita, a Zona Quântica é o próximo caminho para teorias. A menos que a pedra venha para as mãos dos heróis, o que seria o caminho narrativo mais fácil, há uma abertura para novas possibilidades. De qualquer forma, Scott Lang estará envolvido e isso não é uma mera coincidência…

As jornadas do futuro.

Os Vingadores originais, com a adição do Capitão América, que entraria na equipe edições depois.

Sob uma esfera completamente diferente de análise, Vingadores 4 será, até que personagens mortos pelo estalar de dedos (e, talvez, até os mortos anteriormente) retornem, uma oportunidade perfeita para diminuir o elenco e focar na conclusão de diversas jornadas. Não é a toa que, dos heróis que sobreviveram, todos os originais, da equipe que estrelou o filme de 2012, estão na lista: Homem de Ferro, Capitão América, Thor, Bruce Banner, Natasha e, certamente, até mesmo o Gavião Arqueiro. O último, que não apareceu em Guerra Infinita, é presença confirmada na continuação, tendo aparecido com uma vestimenta diferente em imagens de set, o que comprova que o personagem assumirá uma nova identidade: Ronin. O que significa, contudo, a permanência desse núcleo original? Será uma maneira de concluir uma saga, no caso, de maneira cíclica? Vamos por partes.

  • Natasha Romanoff é, sem dúvidas, a mais deslocada desses personagens, não contando com um arco dramático bem definido e poucas possibilidades futuras a serem teorizadas. Um filme solo da personagem foi “anunciado”, mas sem garantias alguma. Isso pode significar, provavelmente, que a personagem sobreviverá. O próximo filme também deve contar com a relação de Bruce e ela, o que foi deixado de lado em Guerra Infinita.
  • Bruce Banner não está mais conseguindo invocar o Hulk, visto que o Gigante Esmeralda foi humilhado por Thanos. A jornada do personagem é óbvia: conseguir correlacionar a sua existência com a existência do seu monstro interior, ou seja, nesse caso, fazê-lo tomar coragem para retornar a luta. O próximo filme também deve contar com a relação de Natasha e ele, o que foi deixado de lado em Guerra Infinita.
  • Clint Barton é, muito provavelmente, a grande surpresa dessa lista, visto que os indícios comprovam que o personagem passará por um pesado acontecimento. O estalar de dedos de Thanos, afinal, pode muito bem ter dizimado toda a sua família, que fora apresentada em Vingadores: Era de Ultron. Isso também justificaria a mudança de nome do personagem.

Por último, os três únicos heróis que já ganharam trilogias também devem ganhar conclusões para os seus arcos. O Poderoso Thor, nunca antes tão poderoso, pode abrir espaço para um sacrifício em prol da sobrevivência do seu povo. Impedir o Ragnarok, por assim dizer. Isso, dessa maneira, necessitaria que o povo ainda estivesse de pé, o que é uma incógnita. O Homem de Ferro, por outro lado, por estar em um relacionamento com a Pepper Potts e até mesmo ter demonstrado desejos paternos, pode permanecer por mais tempo. Uma morte do herói seria mais trágica do que realmente heroica. Como Jim Rhodes também sobreviveu, é possível que o Máquina de Combate seja a baixa da mitologia particular de Stark. Já o Capitão América desponta como um dos mais indicados a morrer; uma resolução para a sua trajetória que faz completo sentido, visto que a sua despedida sempre foi uma das mais fortes dos quadrinhos, morrendo como um soldado ou morrendo como um sonho. O contrato do ator, assim como o de outros, terminará, mas o clima para Chris Evans é de despedida, como revelou ao Entertainment Tonight“Bem, meu contrato acabou, é tudo que sei. Vou sentir muita falta de tudo. Quer dizer, não só do personagem, mas das pessoas… A experiência, os bons filmes, memórias maravilhosas. Vou sentir muita falta”.

Ademais, o retorno de um personagem icônico de sua mitologia pode ser usado para tornar essa resolução ainda mais impactante e complexa. Precisamos ver um último encontro do Capitão América com o Caveira Vermelha, eternos inimigo do Sentinela da Liberdade, que surpreendeu todo o público de cinema ao despontar em uma aparição para lá de poderosa em Guerra Infinita:

Ao ser informado por Gamora, incapaz de continuar guardando o segredo ao ver sua irmã sendo torturada, que a Joia da Alma se encontra em Vormir, Thanos e sua filha vão ao planeta e são recepcionados pelo Caveira Vermelha, que se teletransportou para lá após os eventos de Capitão América: O Primeiro Vingador, devido o contato com o Tesseract, a Joia do Espaço. O antagonista de Steve Rogers tornou-se guardião da Joia da Alma, levando Thanos e Gamora até o ponto em que terão que sacrificar alguém que ama para receber a Joia; um preço a ser pago. Thanos revela que amava verdadeiramente Gamora, não o suficiente para impedir o seu destino; a sua terrível “missão”; jogando sua filha para o precipício e conquistando a penúltima Joia que precisava. O destino do Caveira Vermelha , porém, permanece em aberto.”

Outrossim, é curioso notar a possibilidade, com a viagem no tempo, do Homem-Formiga e da Vespa se tornarem parte da criação do super-grupo, o que nos remonta aos próprios quadrinhos, nos quais os personagens são membros fundadores, enquanto o Gavião Arqueiro, a Viúva Negra e o Capitão América não. Será que teremos um fanservice nesse nível? Ao menos, a importância que Scott Lang parece carregar no futuro é incrível, algo inesperado para um herói tão “pequeno”. Um adendo a Nebulosa, personagem que tinha tudo para morrer nesse filme, mas que sobrevive, o que é uma jogada interessante para dar mais espaço e relevância para a personagem. De todos, ela é a mais determinada em assassinar Thanos e, preferencialmente, a minha escolha pessoal para dar cabo a vida do Titã Louco. Talvez, após ele ser derrotado pela Capitã Marvel – com a ajuda de outros personagens ou não – Nebulosa aparecerá para dar fim ao pai que nunca a amou. Já sobre Rocket Racoon, o papel dele no pós-Guerra Infinita é um mistério. Por ser o “último” – comentarei sobre as aspas mais para frente – Guardião da Galáxia, talvez teremos uma carga dramática relacionada a solidão, ou então, a descoberta do personagem de que ele realmente amava aquelas pessoas, que eram uma família para ele. Aprenda a construir com verdade um grupo unido, Esquadrão Suicida.

Shuri, em imagem retirada do trailer de Pantera Negra.

Um outro fator que se torna notável dentro de tudo isso é o núcleo do Pantera Negra, que deverá funcionar em Vingadores 4 mesmo sem a presença do seu líder. Em Pantera Negra, M’Baku, que também aparece em Guerra Infinita, mostra os seus valores e, possivelmente, se tornará o sucessor ao torno. Por outro lado, Shuri, que pode estar viva ou morta, é a irmã de T’Challa, o que, talvez, a garantisse algum direito de herdar o trono. Isso não significaria, porém, que a personagem iria aceitar assumir o trono – a rejeição seria plausível. Ela pode estar envolvida, quem sabe, na reconstrução de certo sintozóide (ponto a ser explorado mais para frente). No final das contas, não sabemos ao certo o que se passará na cabeça da personagem, ainda mais em consequência da perda de seu irmão. De qualquer forma, também é incerto o que os roteiristas têm nas mãos – e no papel – para a general Okoye, outra sobrevivente da desintegração de meio mundo.

De qualquer maneira, uma chamada de elenco, noticiada pela MCU Exchange (encarem como especulação), garantiu que teremos um grande funeral a céu aberto. Dado os eventos de Guerra Infinita, essa possibilidade é bem plausível. Porém, o resto do mundo também estaria organizando funerais. Na chamada de elenco, aliás, apenas 100 figurantes estão sendo convocados, o que não parece ser grande coisa. Talvez, teremos algum enterro mais fechado apenas para os Vingadores que pereceram.

Outras reviravoltas em jogo.

Para dar um fim as teorizações de Vingadores 4, é necessário abordar alguns pontos que ficaram em aberto – ou não. A questão é que, enquanto Guerra Infinita cobre inúmeras coisas que não pareciam que seriam cobertas, outras aparentemente são esquecidas. Mas seria preguiça dos realizadores ou uma decisão intencional, baseado em um pensamento a longo prazo. Sabemos que as ausências do Homem-Formiga, da Vespa e do Gavião Arqueiro se tratam disso, mas e a de outros personagens? Para começarmos a indagar, precisamos discutir sobre os asgardianos; saber se eles foram exterminados ou não.

Thanos costuma (casos específicos, como os dos anões forjadores de armas, existem) matar apenas metade de um povo, mas, na cena de abertura de Guerra Infinita, ninguém, além de Heimdall, Thor, Loki e Hulk, parece estar vivo. Após Heimdall e Loki serem mortos, e Hulk enviado para a Terra, Thanos e a Ordem Negra vão embora, mas não antes do Titã Louco destruir a nave com o uso da Joia do Poder. Ela explode – o que, aparentemente, mataria a todos, até mesmo aqueles que viveram. Thor apenas sobreviveu por ser alguém além; um Deus. O curioso de se notar é que personagens importantes como a Valquíria e o Korg, que receberam atenção em Thor: Ragnarok (principalmente a primeira), simplesmente não aparecem, o que, em primeira instância, pareceu ser sinal de desleixo. Contudo, talvez tenhamos algo a mais…

E se o povo de Asgard foi evacuado? Ou se pelo menos Korg, Valquíria e, é claro, Miek escaparam da nave antes dela explodir, talvez enviados por Thor a algum lugar? Como muito bem aprendemos com a “morte” do Caveira Vermelha, se não há corpo não há provas. Deixa-se, dessa forma, espaço para explorar personagens diferentes, coadjuvantes que sempre são relegados ao papel de coadjuvantes. Para um futuro filme que perdera grande parte do seu núcleo cômico (Senhor das Estrelas, Drax, Homem-Aranha; demais relações com teor humorístico, como as interações entre Doutor Estranho e Homem de Ferro), Korg pode ser uma bem-vinda adição. A obra, para os heróis que sobraram, será extremamente pesada e sombria. Como esse personagem nada tem a ver com nada, talvez fosse responsável por um equilíbrio; não deixar a obra completamente amarga.

Tessa Thompson, a Valquíria, em cena de Thor: Ragnarok.

Ademais, uma personagem da importância de Valquíria não poderia ser descartada, hipoteticamente, dessa forma, ainda mais se tratando de um universo como esse, mais interessado em concluir jornadas do que terminá-las abruptamente (sabemos que os que viraram pó irão retornar, a diferença é que Valquíria não faz parte desse grupo). Lembrando que a Valquíria está muito longe de ser uma Sif. Aliás, a própria Tessa Thompson, intérprete da Valquíria, em entrevista para a IGN, informou para nós um interesse de Kevin Feige em trabalhar heroínas no cinema, até mesmo em um possível filme de grupo com mulheres. Ela diz: “A Marvel é extremamente colaborativa. Acho que Kevin Feige está entusiasmado com a ideia [do filme com heroínas], e se você olhar para o que já aconteceu comigo, Valquíria e nossa história, e também em ‘Pantera Negra, as mulheres estão dominando os cinemas. Existe um grande interesse do público. Eles estão fazendo a ‘Capitã Marvel’ e ‘Viúva Negra’, há um interesse em ter as mulheres na vanguarda nesta fase. Sinto que há esperanças.”, afirmou.

Zoe Saldana, intérprete da Gamora, em cena de Vingadores: Guerra Infinita.

Em um outro plano de análise, teorias envolvendo a possibilidade das pessoas mortas com o estalar de dedos de Thanos terem se teletransportado para a “dimensão” da Joia da Alma, única das seis gemas que é senciente, também estão assombrando a internet. A realidade é que essa teoria pode sim ser realidade, mas não dessa maneira necessariamente. Nos quadrinhos, a pedra realmente tem o poder de aprisionar almas dentro dela, mas seria esse o caso do que aconteceu com metade do universo? Acredito que não. Todavia, a morte de Gamora acontece de uma forma completamente diferente. Ela é sacrificada por Thanos. Mais tarde, a personagem aparece, como uma criança, em um lugar diferente, quase paradisíaco. Nos quadrinhos, a personagem já ficou presa nessa “dimensão”, tendo que ser resgatada – ou seja, essa possibilidade está dentro do cânone. Além disso, em entrevista para o E!, Zoe Saldana disse: “Para mim, não parecia um adeus, parecia mais um ‘ainda vai continuar’, pois sabia que todos voltaríamos em algum momento este ano para terminar o segundo – o quarto filme da franquia ‘Vingadores’”. O retorno de Gamora parece também ser uma certeza.

Visão, como aparece na capa de uma edição da revista Vingadores da Costa Oeste.

Por último, o próprio Visão não é decididamente uma morte permanente. O sintozóide, diferentemente de sua contraparte dos quadrinhos, possui a Joia da Mente na cabeça, o que possibilitou sua criação por Ultron, em Vingadores: Era de Ultron. Antes de analisarmos os aspectos de uma possível sobre-vida, precisamos reconstituir o que aconteceu em Guerra Infinita com o personagem.

No filme, a Ordem Negra e Thanos perseguem incessantemente o personagem. Como o Visão dos Irmãos Russo é nerfado (significa piorar algo) totalmente em termos de poderes, o herói acaba sendo atacado inúmeras vezes. Com o intuito de remover a pedra de sua cabeça, que está sendo cobiçada e que, junto as outras, tornará Thanos extremamente poderoso, o Capitão América e o resto dos “Vingadores” vão para Wakanda, lugar em que reside a brilhante Shuri, irmã de T’Challa. Enquanto o exército de Thanos ataca, Visão é “operado” por Shuri, tentando “copiar”, de certa forma, os dados que existem no personagem- sua mente – possibilitando que a Joia seja removida sem matar o herói, buscando trazer consigo o máximo que puder do intrínseco do personagem, suas emoções e suas memórias. A remoção da Joia, por sinal, seria conciliada com a sua conseguinte destruição, algo possível de ser feito pela Feiticeira Escarlate. Infelizmente, para variar nesse filme, tudo dá errado, e Wanda acaba tendo que destruir a pedra no próprio Visão, algo que faz com muita dor e finalmente consegue, matando o “homem” que ama.

Como, novamente para variar, até o que dá certo dá errado, Thanos volta no tempo com o poder da Joia do Tempo e “revive” Visão, arrancando com a mão a pedra de sua cabeça, matando-o de uma maneira extremamente gráfica. O sintozóide cai no chão morto, com o seu corpo se tornando cinza. A Feiticeira Escarlate se devasta com isso, mas, para piorar a situação, acaba sendo atingida pelo estalar de dedos de Thanos, desaparecendo dessa face do universo. Ambos, dessa forma, morrem; uma verdadeira tragédia romântica.

Diante desses acontecimentos, como Visão pode reviver? E ao falar sobre reviver, não estou falando sobre a viagem no tempo, mas algo anterior a isso; torná-lo uma peça no filme e não uma mera consequência. Tendo em vista que Shuri não consegue terminar de realizar o procedimento no herói, definitivamente não teríamos o velho e bom Visão de volta, mas isso não significa que a personagem não extraiu nada do homem sintético. Dessa forma, é bem capaz que o personagem retorne, mas não da forma como ele era antes, até mesmo com o seu corpo sendo daquela cor, cinza, algo que seria um serviço ao fã gigantesco. Isso se dá pois, nos quadrinhos, algo do tipo já aconteceu ao personagem, que fora, certa vez, capturado e dissecado. Mais tarde, os Vingadores recuperam as suas partes e Hank Pym, que nos quadrinhos é um membro fundador do super-grupo, contemporâneo em atividade heroica aos demais, tenta reconstruí-lo. Deixando algumas partes mais complicadas dos quadrinhos de lado, o personagem enfim retorna, mas frio e sem memórias anteriores. A mesma ideia pode ser ter sido usada pelos roteiristas do quarto filme, algo que seria extraordinário e, caso Wanda Maximoff retornasse, projetaria consequências para muito além da Guerra Infinita.

Sean Gunn, intérprete do Kraglin, o maior Guardião da Galáxia.

Esse último caso é mais curioso… O personagem não é realmente um Guardião da Galáxia, pelo menos não me lembro dele ser categorizado como um, mas ele estava entre os heróis nas cenas pós-créditos de Guardiões da Galáxia Vol. II, o que garante que Kraglin permaneceu entre eles por mais tempo. O coadjuvante, interpretado por Sean Gunn, irmão de James Gunn, ganhou uma notabilidade nesse filme e é de se indagar sua ausência aqui. Por que o ex-Saqueador não aparece em Guerra Infinita? Será que ele estaria em uma outra missão? Sean Gunn, de qualquer forma, “aparece” no filme, contribuindo com a captura de movimento de Rocket Racoon. Será que essa é a resposta para o futuro da”lebre”? Sean Gunn interagindo com Sean Gunn? Essa é uma possibilidade.

Além de Guerra Infinita. De olho na Fase 4.

Sabemos muito bem que o Universo Cinematográfico Marvel não irá terminar após Vingadores 4. Em entrevista à Associated Press, Kevin Feige comentou sobre o futuro da grandiosíssima saga. “Existem coisas que são elementos chave para vários dos nossos personagens nos quadrinhos que ainda não exploramos em heróis que apareceram em três ou quatro dos nossos filmes. Temos um material criativo maravilhoso para se inspirar”, afirmou. O planejamento, portanto, não culminará em Vingadores 4. Se Guerra Infinita é o ápice, o próximo capítulo da franquia será o ápice², visto que a conclusão factual está longe de acontecer. O fim nunca esteve mais distante. Em tempo, parece que teremos, no mínimo, filmes até 2025. Com isso, não é nenhum pouco precipitado apontarmos as pistas deixadas pela equipe organizadora dese Universo para o futuro além da Fase 3, além de teorizarmos o que o estúdio está aprontando para nós. E certamente eles estão tramando algo.

Nova (Richard Rider), nos quadrinhos.

Com a Capitã Marvel já em cena, é bem improvável que esse personagem, o Nova, seja introduzido em Vingadores 4. Contudo, há um indício que pode dar margem a sua apresentação, na Fase 4. Nos quadrinhos, Rhomman Dey é o último sobrevivente da Tropa Nova, localizada em Xandar. Prestes a morrer, o personagem seleciona o estudante de high-school, Richard Rider, para o substituir. O garoto, dessa forma, recebe o uniforme e poderes. Como em Guerra Infinita se é informado que Xandar foi atacada e, provavelmente, a Tropa Nova dizimada, não é de se jogar fora a possibilidade de introdução do Nova. Vale lembrar que Rhomman Dey apareceu em Guardiões da Galáxia, sendo interpretado por John C. Reilly. Sendo este o personagem mais relevante da Tropa Nova que aparece em cena no filme – a excluir a Nova Prime, que, para ser sincero, é um desperdício completo de Glenn Close – faz todo sentido que ele ganhe uma sobre-vida, não tornando-se parte dos esquecidos da Marvel Studios (todo o casting de Incrível Hulk, com exceção de William Hurt, o Coronel Ross, entra nesse grupo, para exemplificar).

O futuro em si.

Capitão América tenta segurar a mão de Thanos, em Vingadores: Guerra Infinita.

No final das contas, tendo avaliado diversos aspectos da natureza dessa franquia, parece que os Vingadores: Guerra Infinita não será realmente importante para o futuro além de Vingadores 4. Contudo, para o filme que irá ser lançado ano que vem, com estreia prevista para 3 de maio de 2019, é seguro dizer que os eventos que aconteceram aqui não serão inúteis, tornando-se parte de uma amarra extremamente bem feita de um para o outro. Afinal, é parte um de duas. As mortes de hoje irão possibilitar as mortes do amanhã, com o intuito, em uma das hipóteses, de impedir que as mortes do antes ainda existam no agora. O impacto permanece; Guerra Infinita é, provavelmente, o filme mais impactante de super-herói em termos de desilusão. Acompanhar 10 anos de uma saga para ver os seus heróis perdendo, morrendo; os feitos passados transformados em inúteis conquistas; pode ser devastador para alguns. A questão não é se essas mortes irão permanecer no futuro. O impacto não desaparece por causa disso. A função do filme continua clara. O importante é o discurso que ela traz sobre falhas, sobre a impotência dos super-heróis. Mesmo desesperançoso, ainda há um futuro e ele pode trazer novos heróis, velhos amigos, ressuscitação de mortos, viagens no tempo ou até, quem sabe, sacrifícios heroicos. Há muitas possibilidades, mas até lá, a única garantia é esta…

Thanos irá retornar.

GABRIEL CARVALHO . . . Sem saber se essa é a vida real ou é uma fantasia, desafiei as leis da gravidade, movido por uma pequena loucura chamada amor. Os anos de carinho e lealdade nada foram além de fingimento. Já paguei as minhas contas e entre guerras de mundos e invasões de Marte, decidi que quero tudo. Agora está um lindo dia e eu tive um sonho. Um sonho de uma doce ilusão. Nunca soube o que era bom ou o que era ruim, mas eu conhecia a vida já antes de sair da enfermaria. É estranho, mas é verdade. Eu me libertei das mentiras e tenho de aproveitar qualquer coisa que esse mundo possa me dar. Apesar de ter estado sobre pressão em momentos de grande desgraça, o resto da minha vida tem sido um show. E o show deve continuar.