Especial | David Fincher

DAVID FINCHER

Denver, Colorado, EUA – 28 de agosto de 1962

David Andrew Leo Fincher nasceu no dia 28 de agosto de 1962, em Denver, no Colorado, Estados Unidos. Filho de Claire Mae, enfermeira e Howard Kelly Fincher, autor e repórter.

Sua prolífica carreira na Sétima Arte começou ainda em tenra idade, quando, com apenas oito anos, inspirado por Butch Cassidy, ele começou a usar a câmera Super 8 de seu pai. Mas, profissionalmente mesmo, ele começou como assistente de produção na Korty Films, depois trabalhando como produtor de efeitos visuais e sendo um dos responsáveis pelo lado técnico da animação Twice Upon a Time, de John Korty e Charles Swenson.

Depois, Fincher foi contratado pela renomada butique de efeitos especiais Industrial Light & Magic, de George Lucas e chegou a trabalhar nas produções de O Retorno de Jedi e Indiana Jones e o Templo da Perdição. Ainda à sombra de grandes produções, o futuro diretor larga a IL&M para, em movimento arriscado, dirigir o famoso comercial da Sociedade Americana de Câncer que mostrava um feto fumando ainda na barriga da mãe. Foi esse o trabalho que fez a carreira de Fincher deslanchar, com a direção de seu verdadeiro primeiro longa, The Beat of the Live Drum, que nada mais era do que a filmagem de um show de Rick Springfield. Além disso, ele passou a mirar na direção de publicidade, trabalhando em grandes projetos de renomadas empresas e, mais tarde, juntando-se à Propaganda Films, passou a dirigir videoclipes, incluindo Express Yourself, Oh Father e Vogue de Madonna e Straight Up, Forever Your Girl e Cold Hearted, de Paula Abdul. Ele ganhou dois Grammys e três MTV Video Music Awards nesse seu início de carreira.

Mas sua carreira no cinema propriamente dita começou – e quase acabou – em 1992, com Alien³, produção amaldiçoada por diversos problemas e na qual ele caiu de paraquedas. Apesar de todos os problemas, Fincher perseverou e vem nos brindando com um filme inesquecível atrás do outro.

O Plano Crítico fez a crítica de todos os filmes e episódios de TV de ficção que dirigiu, além de seu único de não-ficção, além de ter listado, para fins de conhecimento amplo da obra do diretor, todos os seus videoclips e um trailer que dirigiu. Cliquem nas abas abaixo e, depois, nos respectivos links e imagens para acessar nosso trabalho:

RITTER FAN. . . . Aprendi a fazer cara feia com Marion Cobretti, a dar cano nas pessoas com John Matrix e me apaixonei por Stephanie Zinone, ainda que Emmeline Lestrange e Lisa tenham sido fortes concorrentes. Comecei a lutar inspirado em Daniel-San e a pilotar aviões de cabeça para baixo com Maverick. Vim pelado do futuro para matar Sarah Connor, alimento Gizmo religiosamente antes da meia-noite e volta e meia tenho que ir ao Bairro Proibido para livrá-lo de demônios. Sou ex-tira, ex-blade-runner, ex-assassino, mas, às vezes, volto às minhas antigas atividades, mando um "yippe ki-yay m@th&rf%ck&r" e pego a Ferrari do pai do Cameron ou o V8 Interceptor do louco do Max para dar uma volta por Ridgemont High com Jessica Rabbit.