Fora de Plano #20 | Sobre a Morte de David Bowie: Estão Levando os Heróis

david-bowie-cantor-aladdin

Diário de Handerson – 11/01/2016

David Bowie se foi. Alguém está levando os heróis.

Na manhã de hoje, segunda, a notícia já havia se espalhado. David Bowie era o alter-ego de inúmeros heróis provavelmente conhecidos por você: Ziggy Stardust, Major Tom, Aladdin Sane, Halloween Jack, Pierrot, The Thin White Duke e, recentemente, o destemido Blackstar. Como uma união de todos esses ele era conhecido como o indestrutível Camaleão. Dizem que combatia o mal usando como armas uma guitarra, uma voz poderosa e uma capacidade ilimitada de inovar.

Disseram que ele sofria secretamente com um câncer há 18 meses, mas eles não me enganam. Estão levando os heróis. Há menos de um mês, dia 28 de dezembro de 2015, levaram Lemmy Kilmister. Sim, aquele com o poder de imortalidade – mas que se mostrou falha dessa vez – que chutava bundas como líder da equipe mutante do Motörhead. E, aqui pelo Brasil, começaram a atacar também. Recentemente foi a vez do bravo Júpiter Maçã.

Mas Bowie deixou sinais. Seu último álbum, Blackstar, está cheio de códigos que estou disposto a quebrar com o objetivo de solucionar esse mistério. O que parece é que Bowie sabia que ia morrer em breve e estava tentando dizer isso em seu último álbum e seu clipe, Lazarus, também último vídeo em que aparece. Veja o fantástico clipe, perceba onde ele está. Sim, uma cama de hospital, fazendo coreografias um tanto bizarras. E, depois, parece estar escrevendo algo como um testamento. Por fim, entra de maneira tímida em um guarda-roupa. O que mais me arrepiou é o verso inicial da canção: Look Up Here/ I’m in Heaven (Olhe aqui em cima/ Estou no paraíso). Estava tudo ali, como não pude perceber?

Se quer prestar uma homenagem a esse cara, escute sua obra. Mas principalmente faça isso obedecendo a ordem dele no verso do disco The Rise And Fall Of Ziggy Stardust: To Be Played At Maximum Volume (“Para ser tocado em volume máximo“). Ninguém sabe ao certo a origem de seus poderes, dizem que era coisa extraterrestre e que já salvou esse mundo várias vezes. A certeza que todos possuem é que revolucionou a História da Música, da moda e do comportamento, criando uma discografia e uma capacidade de se renovar impressionantes. É um gênio, não tenha dúvidas.

Enquanto faço uma homenagem a ele escutando várias de suas obras de arte, sigo tentando desvendar esse mistério. Estão levando os heróis. Fiquem atentos.

We Can Be Heroes
Just For One Day
We Can Be Heroes

HANDERSON ORNELAS. . . Estudante de engenharia química, fascinado por música, cinema e quadrinhos. Um fã de ficção científica e aventura que carrega seu fone de ouvido por todo lado e se emociona facilmente com música, principalmente com "The Dark Side Of The Moon". Enquanto não viaja pelo tempo e espaço em uma TARDIS, viaja pelo mundo dos livros e da música.