Crítica | Guild Wars 2

estrelas 5

Irei começar com uma confissão, não joguei o primeiro Guild Wars. Foi via relatos de terceiros e críticas que descobri ter perdido a oportunidade de jogar um ótimo MMO (Massive Multiplayer Online). Felizmente, em 2012, sua continuação, Guild Wars 2, foi lançada e o melhor: não é necessário ter jogado seu antecessor para entender sua história.

Guild Wars 2 se passa em Tyria, 250 anos após os eventos da expansão Eye of The North do primeiro jogo. Cinco dragões ancestrais acordaram em diferentes partes de Tyria  e estão devastando todo o mundo. Cabe ao jogador juntar os membros de uma guilda multi-racial, chamada Destiny’s Edge, e consequentemente unir as raças de Tyria, para derrotar essa ameaça.

O enredo principal é bastante simples e não oferece muita inovação a priori – o verdadeiro espírito da história, contudo, se encontra em dois fatores. O primeiro é a possibilidade de fazer escolhas que alteram o desenrolar da história – em diversos momentos podemos optar por realizar uma operação de maneira diferente, por exemplo. O outro fator é a própria criação de personagens: cada raça define a história pessoal do personagem criado.

Das diversas raças de Tyria podemos escolher entre cinco para ser nosso personagem. As possíveis escolhas são:

  • Humano: Uma das primeiras raças a surgir em Tyria, mas agora perderam grande parte de sua glória e terra natal devido a diversas guerras.
  • Asura: pequenas criaturas com grandes olhos e orelhas – são grandes inventores e muito inteligentes.
  • Sylvari: seres feitos de planta. São a raça mais recente de Tyria.
  • Norn: São iguais aos humanos, inclusive em proporção, porém gigantescos. São grandes caçadores e habitam regiões gélidas.
  • Charr: Uma mistura de tigre e touro, são uma raça forjada na guerra e moldada por ela.
racas_planocritico

Yoda, Humano, Gigante, Tigre-touro ou árvore?

Um dos grandes e inúmeros pontos positivos de Guild Wars 2 já começa aí, a escolha da raça apenas tem efeitos visuais e para fins de história. Portanto todas as classes se encaixam perfeitamente com todas as raças: crie o personagem que você quiser.

As classes de Guild Wars 2, chamadas de profissão dentro do jogo, oferecem uma jogabilidade incrivelmente distinta uma da outra – mesmo aquelas que utilizam as mesmas armas são totalmente diferentes uma da outra. Na criação de personagens podemos escolher entre:

  • Warrior: É o clássico guerreiro, pode utilizar a maioria das armas para provocar a maior quantidade de dano possível e destruir os inimigos através da força bruta. Utilizam armadura pesada.
  • Guardian: É o paladino do jogo, o protetor. Podem conferir diversos bônus de armadura para ele próprio e seus aliados. Vestem, assim como o guerreiro, armaduras pesadas.
  • Thief: São mestres do subterfúgio. Conseguem provocar uma quantidade enorme de dano a um inimigo singular. Podem desaparecer da visão por instantes e voltar a atacar ou aproveitar a deixa e fugir do combate. Vestem armadura média.
  • Ranger: São os caçadores, especialistas em combate a longa distância. Contam, desde o momento da criação de personagem, com um animal de estimação (que pode ser alterado por outros com a progressão do jogo). Utilizam armadura média.
  • Engineer: Mestres da tecnologia, engenheiros conseguem criar torres, bombas, elixires e inúmeros outros artifícios para destruir o inimígo e ajudar os aliados. Também utilizam armadura média.
  • Elementalist: São magos que utilizam o poder dos quatro elementos, fogo, água, terra e ar. São extremamente frágeis, porém muito versáteis. Utilizam armadura leve.
  • Mesmer: Ilusões e mais ilusões, mesmers conseguem enganar qualquer inimigo criando cópias idênticas de si (porém com menos vida) que servem tanto para distração quanto para dano em si. Compensam sua falta de vida com o fato de não serem atingidos devido ao número de ilusões criadas. Vestem armadura leve.
  • Necromancer: Usuários da magia negra, podem conjurar os mortos para servirem de lacaios. São especialistas no enfraquecimento do inimigo e na drenagem de vida. Utilizam armadura leve.
Um bando pacífico de aventureiros

Um bando pacífico de aventureiros

Cada profissão possui limitações de que armas podem ou não usar. Essas armas, conforme equipadas, definem as habilidades disponíveis para utilização. Um personagem da mesma classe que empunhe uma espada, por exemplo, não terá as mesmas habilidades primárias de alguém que utilize  um machado. Essas habilidades primárias são as mesmas do início ao fim do jogo e realmente só variam de acordo com a troca de arma. Não se preocupe, contudo, o jogo de forma alguma se torna monótono por isso – além dessas primárias ainda ganhamos, com o passar dos níveis, habilidades de suporte que garantem uma ótima customização de personagem. Ao todo, o personagem tem dez slots de habilidades que somente podem ser trocadas quando fora da luta.

Ao escolhermos a raça, o gênero e a profissão de nosso personagem partimos para sua aparência. Guild Wars 2 se destaca de outros MMOs nesse ponto, oferecendo uma detalhada criação de personagem que permite alterar detalhadamente diversos aspectos de sua aparência. Como em qualquer outro jogo, uma mudança mais radical no visual requer mais paciência e cuidado, mas é possível deixar o seu personagem da maneira como você quer.

O interessante da customização do visual do personagem é que, a qualquer momento do jogo, podemos alterar o esquema de cores da armadura. Conforme progredimos no game também adquirimos novas tinturas que possibilitam uma ainda maior customização.

Após essa etapa escolhemos alguns detalhes da história pessoal e, a seguir, partimos para o jogo propriamente dito. Começamos com uma arma pré-definida para a classe, mas logo podemos trocar para outra. O game inicia, independente da raça, já na ação. Somos introduzidos ao combate que é, provavelmente, o elemento mais inovador do jogo.

Ao contrário de outros MMOs nos quais o jogador aperta um botão e precisa esperar, com seu personagem parado, o lançar do ataque, em Guild Wars 2, o combate é dinâmico. Durante os ataques, seja você de qualquer classe utilizando qualquer arma, é possível se movimentar. Após usar determinada habilidade ela entra em um tempo de recarga, mas as outras ainda estão disponíveis – não há medidor de mana, então não se preocupe, seu mago pode lanar quantas magias ele quiser e pode andar por aí enquanto o faz. É possível se esquivar de ataques vindos em sua direção, dando um propósito a toda essa movimentação durante o combate – muitas vezes o posicionamento certo pode salvar sua vida.

Apesar de oferecer um ótimo combate, não é através dele que seu personagem irá evoluir primariamente. Em Guild Wars 2 tudo oferece certo ganho de experiência – quests, matar monstros, minerar, cortar árvores, descobrir novas localizações, etc. Existem inúmeros meios de chegar ao nível máximo, 80, e isso é feito de maneira fluida e sem esforços homéricos.

As missões do jogo se dividem entre a história pessoal e aquelas dadas pelos cidadãos procurando ajuda pelo mapa de Tyria. Para a felicidade do jogador  não existem missões como “mate 100 tigres”, todas elas possuem uma barra de completude que deve ser preenchida realizando o que é pedido. Nunca haverá apenas um objetivo, o que garante a dinâmica dessas tarefas, não entediando o jogador.

Além dessas, existem eventos que ocorrem esporadicamente em lugares pré-definidos. Esses eventos dinâmicos, contudo, são compartilhados por todos os jogadores naquela região e apresentam variados objetivos. Dentre esses eventos, os mais divertidos e recompensadores são as lutas contra chefes – criaturas extremamente fortes que só podem ser derrotadas com a união de diversos jogadores. Espere ver nessas lutas mais de vinte jogadores lutando ao mesmo tempo e sem perda de framerate.

Acredite ou não, tem um pobre coitado ali no meio

Acredite ou não, tem um pobre coitado ali no meio

A interação com outros jogadores não se limita a esses eventos, contudo. Como o próprio nome do jogo nos diz, é possível formar guildas de jogadores e essas, além de facilitar a interação, garantem diversos bônus de acordo com as conquistas realizadas por ela. Guild Wars 2 não é um game para se jogar sozinho, encorajo altamente a participação em uma dessas.

O mapa do jogo é incrivelmente extenso e variado, fazendo-nos querer explorar cada centímetro dele, em busca de novas e exóticas localizações. Isso é ainda mais realçado pelos belos gráficos do jogo – muitas vezes, simplesmente olhar para o horizonte é recompensador. E por falar em recompensa, explorar por completo cada uma das regiões de Tyria nos faz ganhar um tesouro de experiência e outros itens.

Humanos e sua mania de grandeza

Humanos e sua mania de grandeza

Explorar o mapa inteiro do jogo constitui uma das muitas conquistas de Guild Wars 2, completar cada uma delas garante uma recompensa pré-definida. Além disso, diariamente nos são dados objetivos opcionais que facilitam ainda mais o ganho de experiência. Essas daily quests em geral são completadas ao se jogar naturalmente o game por determinado período de tempo.

Somado ao modo normal do jogo, ainda existem duas possíveis alternativas: O Player Versus Player (PvP) e o inovador World Versus World (WvW). Para acessar ambos teleportamos nosso personagem através de uma opção do menu in-game. O primeiro nos coloca em um cenário mais restrito onde devemos derrotar outros jogadores e conquistar pontos de controle.

O WvW, por sua vez, nos faz competir contra os outros servidores de Guild Wars 2 pelo controle de pontos específicos do mapa, dominar fortalezas, destruir comboios de suprimentos. Quanto melhor um servidor se sai no WvW maiores são os bônus transpostos ao modo normal do jogo, o PvE (player versus enviroment). O melhor desse modo, contudo, é que ele se mantém eternamente, fazendo o jogador se sentir como em uma verdadeira guerra contra outros mundos.

Grond! Grond! Grond!

Grond! Grond! Grond!

Uma grande diferença entre o WvW e o PvP são as recompensas. No modo PvP elas não podem ser transpostas ao PvE, não havendo sequer ganho de experiência. Já no modo World Versus World é possível chegar ao nível máximo do MMO somente jogando nele.

O jogo também conta com um sistema de criação de armas, armaduras, acessórios e até comida (que dá diversos bônus ao personagem). O crafting, contudo, não conta com a mesma fluidez de avanço de nível que o resto do jogo e acaba se tornando uma atividade pesarosa, embora muito recompensadora. Os melhores equipamentos são adquiridos assim, através da pura sorte, como recompensa por matar certos inimigos e também por completar dungeons.

Essas dungeons são bastante variadas e oferecem diferentes desafios. Essa é uma opção de jogo totalmente multijogador, é impossível completar qualquer dungeon sozinho. Cada uma delas requer um nível mínimo e oferecem um alto grau de dificuldade. Se desafios não lhe convém, não se preocupe, isso é algo opcional do game, embora altamente recomendável.

Um dos maiores problemas da maioria dos MMOs é o seu late-game: o que fazer ao atingir o nível máximo. Guild Wars 2 elimina esse tipo de problema com maestria através dos modos WvW, PvP e seu sistema de história viva (Living Story). Através desse, periodicamente são lançados novos enredos, localizações para se explorar, itens para se adquirir e conquistas para desbloquear. O game, portanto, se mantém em constante renovação. O único ponto negativo desse fator é a rápida troca – o conteúdo novo se mantém por pouco tempo e logo é substituído por outro – muitas vezes se torna difícil explorar todos os novos elementos introduzidos pela Living Story. Claramente isso é um estímulo para se jogar constantemente o game.

Ao fim dessa enorme crítica (perdoe-me, mas foi necessário, para abordar todos os inúmeros aspectos relevantes desse jogo gigantesco), chegamos a um ponto crucial de qualquer MMO: o pagamento. Ao contrário da maioria dos jogos pagos do gênero, Guild Wars 2 só precisa ser adquirido uma vez. Não há taxas mensais ou anuais de manutenção da conta. A única forma de se gastar mais dinheiro após a compra do jogo é através da loja in-game que oferece diversos produtos de customização do personagem que somente alteram o visual. Além desses produtos estéticos é possível também comprar expansões de inventário e de slots possíveis de personagens. Todos esses são opcionais e são meras conveniências – é possível aproveitar o game perfeitamente sem elas.

Se você estava a procura de um ótimo MMO, com um combate dinâmico, recompensador, divertido e incrivelmente completo, não procure mais. Guild Wars 2 é um ótimo game que nos insere em um mundo vivo, repleto de escolhas e interações multijogador. Os gráficos estonteantes irão prender a atenção de qualquer um e a ótima jogabilidade e elementos inovadores irão garantir que o jogador não se entedie. Seja fã ou não do gênero, esse jogo merece ser aproveitado ao máximo.

Guild Wars 2
Desenvolvedora:
 ArenaNet
Lançamento: 28 de Agosto de 2012
Gênero: Massive Multiplayer Online (MMO)
Disponível para: PC, Mac

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.