Crítica | Injustice: Gods Among Us – Ultimate Edition

estrelas 3,5

Após o grande sucesso da franquia Arkham de Batman, a DC e Warner decidiram, em parceria com a NetherRealm, decidiram apostar em um jogo de luta com os personagens da DC. Alguns anos antes já havíamos visto o game Mortal Kombat vs DC. Universe, portanto não foi exatamente um pulo no escuro. Além do mais, era uma coisa que os fãs já pediam há tempos. Assim surgiu Injustice: Gods Among Us.

Em personagens, os desenvolvedores não pouparam esforços: são trinta personagens jogáveis, incluindo os seis que foram lançados como Dlcs (mas que estão incluídos na Ultimate Edition). Cada um desses conta com um estilo diferente de luta, jogar com o Lanterna Verde, por exemplo, soa como outro game quando comparado a Lobo e o mesmo vale para qualquer personagem.

A mecânica do game é bastante similar à encontrada em Mortal Kombat, não é tão livre quanto em Marvel vs. Capcom, mas também não tão travado quanto em Tekken. Sendo assim, irá agradar tanto aos mais habituados com jogos de luta, quanto aos totalmente leigos. O problema da jogabilidade está na conexão entre os combos que requerem que os botões sejam apertados de maneira exageradamente veloz, quando poderiam ter seguido mais o estilo de Mortal Kombat.

images

Isso vai doer…

Os ataques dos heróis e vilões refletem seus poderes nos quadrinhos, obviamente, pautando toda a jogabilidade em cima deles. Cada um deles ainda possui um ataque especial que pode ser utilizado quando uma barra se preenche após o jogador dar ou receber dano. Esses especiais, quando acertados, nos levam para uma pequena cena, em geral, exagerada (como Doomsday atravessando o planeta simplesmente batendo no seu inimigo no chão). Não é preciso dizer que esses ataques garantem uma quantidade enorme de dano.

Não é só através dos ataques do personagem, contudo, que podemos derrotar o adversário. Cada cenário possui diferentes e a transição entre eles se dá de maneira bastante violenta, que geralmente inclui um dos personagens sendo espancado. Se você esperava um game de luta sem muita violência, Injustice definitivamente não é para você.

Além do modo versus (online ou offline), o game ainda conta com seu modo história e o S.T.A.R. Labs. O primeiro nos introduz em uma trama que bastante se encaixa nas narrativas mais adultas da DC Comics. Nela, o Coringa consegue detonar uma bomba atômica em Metropolis. Com as inúmeras mortes em sua consciência, Superman acaba se deixando levar pela ira e mata o Coringa, instaurando, em seguida, um regime totalitário sob o seu comando.

Nesse ponto surge uma divisão entre os heróis e vilões – alguns seguem o Regime de Superman enquanto outros se aliam à Insurgência liderada por Batman, iniciando uma guerra entre os personagens. Cinco anos depois, os membros da Insurgência descobrem uma realidade alternativa, na qual o Coringa foi impedido de detonar a bomba e, portanto, o Regime não foi criado. Com isso em mente, os membros da Liga da Justiça desse universo menos sombrio são levados um a um para o universo em guerra, para ajudarem a combater Superman. A história se desenvolve de maneira bastante satisfatória, gerando, é claro, o maior número possível de embates entre os personagens.

O modo S.T.A.R. Labs nada mais é do que diversos desafios impostos a cada um dos personagens. O nível de dificuldade é gradualmente estabelecido, de forma a acostumar o jogador à mecânica do game. Em última instância, contudo, esse é um modo que somente irá ser terminado por quem anseia em ter o jogo terminado em 100%, visto que as recompensas não são tão tentadoras (em geral customizações da insígnia do jogador no modo online).

Shazam!

Shazam!

Um grande problema de Injustice é justamente o fato dele não ser nada recompensador. Já começamos com todos os personagens liberados para a utilização e diversas de suas aparências alternativas também. Isso acaba nos deixando com poucos motivos para terminar os modos de um só jogador do game. Somente alguns elementos de customização podem ser comprados com pontos adquiridos no jogo.

Injustice: Gods Among Us é, sem dúvidas, um jogo bastante acessível para qualquer tipo de jogador. Ele exibe elementos que requerem mais experiência em games de luta, ao mesmo tempo que apresenta uma mecânica de fácil aproximação. Sua versão ultimate conta com todos os personagens de Dlc e as diversas skins liberadas. Irá garantir diversas horas de diversão, em geral ligada ao multiplayer. Ainda assim pode ser uma aposta arriscada para quem não é fã da DC, considerando que há jogos melhores de luta no mercado.

Injustice: Gods Among Us – Ultimate Edition
Desenvolvedora:
 NetherRealm Studios
Lançamento: 12 de Novembro de 2013
Gênero: Luta
Disponível para: Ps3, Ps Vita, Xbox 360, Pc.

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.