Crítica | The Walking Dead – 2ª Temporada, Episódio 1

estrelas 4

Contém inevitáveis spoilers da primeira temporada!

A primeira temporada do game The Walking Dead nos coloca sob o ponto de vista de Lee Everett. O jogo conta sua história desde o aparecimento dos zumbis até a sua morte, nos deixando com um ótimo desfecho, mesmo com as evidentes pontas soltas, sendo Clementine a maior delas.

A primeira coisa que se deve saber sobre essa segunda temporada é que ela importa os saves da primeira. As decisões tomadas influenciam o que vemos nesse segundo game. Para isso a Telltale utilizou um sistema parecido ao que vemos na franquia Mass Effect. No início do jogo podemos escolher se vamos utilizar um saved game da primeira temporada ou vamos usar decisões aleatórias geradas pelo próprio jogo. Se a primeira opção for escolhida ele irá analisar quais episódios nós terminamos (1 a 5 e 400 Days). Se algum desses não tiver sido completado, o jogo irá realizar as escolhas que faríamos aleatoriamente.

Assim como em outros jogos que permitem tal operação isso contribui consideravelmente na imersão do jogo. O simples saber que as decisões tomadas por nós são mantidas gera uma sensação de continuidade ainda maior de um game para o outro. Portanto recomendo que a primeira temporada seja jogada antes, mesmo que essa segunda possa ser compreendida por si só.

Quando você menos espera...

Quando você menos espera…

O game se passa pouco mais de um ano após os eventos de seu antecessor. Dessa vez controlamos Clementine, que está visivelmente mais madura e menos alegre, além de ter crescido, é claro. Parte de sua inocência se foi ao ter constatado a morte de seus pais e, pouco após, a morte de Lee. Não é a mesma menina que conhecemos. Logo no início do jogo já fica claro o impacto das escolhas da temporada anterior, mas independente delas, a progressão da história logo deixa Clementine sozinha.

Logo nos primeiros minutos do game já fica clara a diferença entre a 1ª e a 2ª temporadas – podemos sentir que não se trata de uma repetição do primeiro game. É um clima diferente (ouso dizer mais melancólico) com marcas características que dão identidade à franquia. Os eventos do primeiro game soam como um passado distante e sentir falta de Lee é inevitável. Não é nenhuma surpresa que a história do game se encaixa perfeitamente com os quadrinhos nos quais foi baseado.

A jogabilidade se mantém quase a mesma, com a inclusão de elementos vistos em The Wolf Among Us, além de uma reformulação da interface. Agora, principalmente nos momentos de ação, o jogo nos pede para apertar mais botões de reação, ao invés do simples point and click. Com isso a dinâmica do jogo é consideravelmente melhorada. O design foi melhor elaborado, utilizando um modelo mais simples. Infelizmente alguns problemas de movimentação do primeiro se mantém. Os gráficos também foram claramente melhorados, com melhores texturas, filtro e movimentação facial dos personagens.

Chantagem emocional

Chantagem emocional

Não é preciso dizer que as escolhas e a interação de personagens retorna e sempre intercaladas com momentos de tensão. Nisso também já sentimos uma diferença evidente em relação à temporada anterior. Por controlarmos uma criança não fica tão fácil perdoar alguém que se nega a ajudar de imediato. Ainda assim, como foi dito por Chuck no primeiro game: devemos parar de tratar Clementine como uma criança e a enxergarmos como uma pessoa viva, pois essa é a diferença – pessoas vivas e pessoas mortas.

Esse primeiro episódio da segunda temporada é recheado de momentos de tensão, melancolia e, é claro, diversão. É um digno sucessor do game anterior e irá deixar qualquer um aflito pelo próximo episódio, mesmo com um cliffhanger que poderia ter sido melhor trabalhado. É um jogo que somente será totalmente aproveitado pelos jogadores da temporada anterior. E aqui vai uma sugestão: não deixe para jogar a temporada toda de uma vez – ela foi feita para ser apreciada aos poucos – a expectativa faz parte do jogo.

The Walking Dead – 2ª Temporada – Episódio 1: All That Remains (The Walking Dead – Season 2, Episode 1: All That Remains)
Desenvolvedora:
 Telltale Games
Lançamento: 18 de Dezembro de 2013
Gênero: Aventura
Disponível para: PS3, PC, Xbox 360, iOS, Mac

GUILHERME CORAL. . . .Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes ao ramo do Cinema e Audiovisual, onde atualmente me aventuro. Mas minha louca obsessão pelo entretenimento desta Terra não se limita à tela grande - literatura, séries, games são todos partes imprescindíveis do itinerário dessa longa viagem.