Lista | 10 Cenas Inesquecíveis em Filmes Natalinos

natal-plano-critico

O que seria do Natal sem aqueles filmes-família que reúne todo mundo para choramingar um pouco e ser bombardeado por fofuras (algumas vezes disfarçadas) e pelas mais variadas formas do espírito natalino? Parece ironia, mas esses filmes de Natal são ótimas oportunidades de uma sessão despreocupada, apenas para entretenimento e que às vezes nos faz lacrimejar um pouco. Todo mundo tem um filme de Natal favorito (bom, eu acho…), aquele que mais marcou um momento da vida ou que assistiu tantas vezes que já perdeu a conta…

Nessa lista, eu trago para vocês 10 inesquecíveis cenas natalinas do cinema. Óbvio que com filmes do mundo todo e com pouco mais de 121 anos de História do Cinema, uma lista como essa tem suas limitações. E é óbvio também que se trata da MINHA lista, a lista do Luiz, então cenas que são plenamente adoráveis para mim, podem não ter o mesmo impacto para outras pessoas. O desafio, contudo, permanece, e repasso para você, leitor: encontrar grandes cenas de Natal, seja porque são muito engraçadas, emocionantes, sacanas ou qualquer variação dessas três categorias. Tenham em mente, também, que eu procurei pegar filmes de diferentes épocas do cinema e com diferentes abordagens! — NOTA: juro que tentei pegar filmes com cenas de Natal fora de Hollywood, mas não existem vídeos dessas boas cenas na internet, é um pecado! Meu maior lamento foi não ter encontrado nada do francês Sempre aos Domingos (1962), que tem uma das sequências natalinas mais lancinantes que eu já vi.

Para não ter que passar mais um ano pensando sobre um ranqueamento entre “melhores dentre os melhores”, eu escolhi classificar os filmes abaixo em ordem cronológica, do mais antigo, para o mais próximo de 2016, que é quando esta lista está indo ao ar.

Me digam nos comentários: qual das cenas dessa lista é a sua favorita? Qual cena você acha que poderia facilmente constar entre estas?
.

1 – Toda vez que um sino toca, um anjo ganha suas asas

Pérola dirigida por Frank Capra, A Felicidade Não Se Compra (1946) é praticamente obra obrigatória para todo cinéfilo em época de Natal e que sim, sempre me faz chorar muito um pouco 😥 . Um dos filmes que melhor juntam o Natal com uma forte dose de humanismo, crítica social e um alerta às pessoas [prepare-se para mais um verdadeiro clichê dezembrista] que se esqueceram que a felicidade pode estar em coisas pequenas e que às vezes estiveram ao seu lado o tempo todo, mas foram colocadas de lado em favor de projetos exorbitantes. A última cena do filme, com James Stewart surtando de felicidade, cantando com a família + metade da cidade, tendo seu desejo atendido pelo anjo Clarence, é maravilhosa.

2 – Papai Noel no tribunal

De Ilusão Também Se Vive (1947) é um daqueles filmes de premissa um pouco boba à primeira vista, mas que vai nos surpreendendo a cada minuto. A trama aborda um velho senhor que afirma ser o verdadeiro Papai Noel e é declarado como louco, até que um advogado resolve defendê-lo para que ele fosse reconhecido pelo que afirma ser. A cena do tribunal onde as cartas são apresentadas é ótima, com um desfecho bem caloroso. Edmund Gwenn está incrível como Kris Kringle/Papai Noel nesse filme, inclusive levou para casa o Oscar de Melhor Ator por esta performance.

3 – A cena final de Natal Branco (1954)

Uma comédia musical de Michael Curtiz, temperada com muito romance, ótimo elenco infantil, canções que depois ficaram bastante conhecidas e um final que é sempre lembrado, por motivos que vocês verão logo abaixo. Bing Crosby está esbanjando simpatia nessa película!

4 – Você vai acabar atirando no próprio olho!

Uma História de Natal (1983) me faz rir de tantas formas que eu nem sei por onde começar a falar sobre ele. Primeiro, pela fofidão e ao mesmo tempo zero de frescuras das quais o roteiro do filme se livra. O pequeno Ralphie quer uma arma de chumbinho e os pais + todo mundo dizem que ele não pode ter uma porque… bem, ele vai acabar atirando no próprio olho. A forma hilária e doce como as coisas vão acontecendo e a aproximação dessa linha principal do filme com a equivalente brasileira “imagina se pega no olho!” sempre me fazem rir insanamente com esse filme. Um dos meus favoritos de Natal, não apenas pelo tema, mas por ser uma pequena obra-prima. A cena que eu escolhi, com Ralph se encontrando com o Papai Noel no shopping, é meio assustadora e engraçada, quase politicamente incorreta, o que eu adoro.

5 – É um milagre. É mesmo um tipo de milagre, porque acontece todo Natal

Como a maioria dos críticos, eu tenho problemas com Os Fantasmas Contra Atacam (1988), mas não dá para reclamar de Bill Murray nesse filme, muito menos do sensacional discurso que ele faz sobre o “milagre de Natal”. Um milagre sobre o qual o filme nos fala e que ele também saboreia.

6 – Posso te mostrar uma coisa?

Férias Frustradas de Natal (1989) é absolutamente hilário, com um Chevy Chase impagável em praticamente todas as cenas do filme — aqueles palavrões todos do final são exceentes. Essa cena é um tipo de apoio moral para os caras que não gostam de fazer compras de Natal…

7 – Feliz Natal, seu animal sujo!

Em 1990, Chris Columbus já havia feito mágica com o icônico Esqueceram de Mim. Em Esqueceram de Mim 2 – Perdido em Nova York (1992), Columbus se juntou novamente a John Hughes para mais uma saga solitária de Kevin McCallister (Macaulay Culkin), com direito a uma das “cenas de Natal” mais engraçadas do cinema e uma das falas que muitas vezes gostaríamos de falar para aquele parente não muito querido…

8 – O que é isso?

Sabem aquela pessoa trevosa, mal humorada, reclamona, isolada? Então, esta cena de O Estranho Mundo de Jack (1993) me lembra esse tipo de pessoa quando chega o Natal e elas são forçadas a sair da caverna e experimentar as luzes, a comida, o calor o Natal.

9 – Max, me ajude! Eu estou sentindo!

Baseado em obra clássica de Dr. Seuss, O Grinch (2000) traz Jim Carrey em um de seus mais icônicos papéis. O momento em que seu personagem se vê frustrado e começa a pensar de forma diferente sobre o Natal, resultado no crescimento de seu coração, é uma das coisas mais legais desses filmes com um “vilão de Natal” abraçados pelo espírito natalino.

10 – PAPAAAINOEEEEEEEEEL!!! OMG!!! EU CONHEÇO ELE!

Um Duende em Nova York (2003) é uma das coisas mais divertidas de Natal dos anos 2000. Dirigido por Jon Favreau, o filme tem problemas de roteiro, mas eu faço questão de esquecer deles porque estou ocupado demais rindo das palhaçadas de Will Ferrell como duende. Existem cenas gloriosas nesse filme, como a que ele diz para o “falso Papai Noel” que ele está “sentado em um trono de mentiras” ou a cena do elevador + a cena em que ele conhece Walter ou… bem, eu ficaria o tempo todo falando das boas cenas desse filme. Mas esta reação abaixo é simplesmente impagável. Praticamente eu, quando vejo os enfeites de Natal na rua pela primeira vez, todo ano.

.

HORS CONCOURS

HO HO HO

Duro de Matar (1988) é o filme favorito de Natal de muita gente, embora não seja, a rigor, um filme de Natal. Mas é um filme de Natal. Se é que vocês me entendem. Ho ho ho.

EU ODEIO O NATAL!

É mesmo? Hum… que bom pra você, fera! Conte-me mais sobre isso!


.

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.