Lista | 15 Musicais Lo Lo Loucos Para Você Não Achar Que Só de La La Land Vive o Gênero

loucos-musicais-bizarros-lalaland-plano-critico-filmes

Anunciado como a Segunda Vinda de Cristo e como a Grande Solução Para os Problemas da Galáxia, La La Land: Cantando Estações (2016), do diretor Damien Chazelle, está rasgando todas as sedas e recebendo todos os confetes possíveis desde a sua primeira exibição fora de festivais, em dezembro de 2016.

Conta-se, no Livro dos Mitos Verdadeiros do Cinema, que se alguém falar mal do filme, aparecerá um exército de unicórnios selvagens tocando tuba e sapateando e levarão a pessoa para um lugar onde ela deverá ouvir óperas chinesas no último volume por 56 anos consecutivos. Outros dizem que se alguém colocar a palavra “não” ou “ruim” ou “mal” ou qualquer derivado pouco elogioso na mesma frase em que está o título do filme, aparecerá um pentagrama no chão e o próprio Lúcifer virá e transformará a pessoa em um contrafagote rosa e desafinado. #truestory

Esta lista, porém (que vai ao ar 48h antes da estreia e La La Land nos cinemas brasileiros), vem mostrar o lado escuro dessa Lua cantante, o outro lado dos musicais cinematográficos, a vertente lo lo louca e ao mesmo tempo li li linda desse gênero que tantos inimigos e tanto desgosto vem arrecadando em sua História. Preparados? Então vam… calma! Antes de começar de verdade, eu quero dizer que The Rocky Horror Picture Show (1975) não está na lista porque é um filme absurdamente óbvio para uma lista assim e eu queria trazer coisas não tão absurdamente óbvias, ao menos no meu óbvio julgamento, obviamente. Então vamos dizer que The Rocky é o nosso hors concours. Combinados? Então bora!

.

Os Monkees Estão de Volta (1968)

Head

AHUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHAUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHUAHUAH

UHUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHAUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHUAHUAH

HAUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHAUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHUAHUAH

UHUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHAUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHUAHUAH

AHUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHAUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHUAHUAH

Esta é a minha mais genuína reação toda vez que me lembro desse filme.


.
O Fantasma do Paraíso (1974)

Phantom of the Paradise

Escrito e dirigido por Brian De Palma, O Fantasma do Paraíso é um rock musical que lembra uma mistura de Fausto com O Fantasma da Ópera, trazendo vilão sexy e performances inacreditavelmente aleatórias. A obra foi de grande influência para The Rocky Horror Picture Show, que seria lançado no ano seguinte.

.
Lisztomania (1975)

Franz Liszt (isso mesmo, o compositor!) ganha uma versão modernosa sob as lentes de Ken Russell em um musical que costura o clássico e o pop. Um filme que serve inclusive para discussão entre as influências (ou não) que uma vertente chupinha da outra.

.
Bugsy Malone: Quando as Metralhadoras Cospem (1976)

Bugsy Malone

Com roteiro de direção de Alan Parker, esse filme é realmente um ponto fora da curva. Louco e interessante ao mesmo tempo. Com elenco formado apenas por crianças e adolescentes (Jodie Foster com 14 anos!), o longa é como um pesadelo musical de lip-sync, ingenuidade e muita fofura disfarçada.

.
Rock ‘n’ Roll High School (1979)

Allan Arkush e Joe Dante fazem aqui um musical centrado em estudantes de Ensino Médio cantando, quebrando, fumando, transando e vivendo Ramones. Fim de papo. Já começou a assistir ou vai demorar?

.
A Música Não Pode Parar (1980)

Can’t Stop the Music

A única coisa que você realmente precisa saber sobre esse… esse… eh… filme (?) dirigido por Nancy Walker é que se trata de uma pseudo cinebiografia dos reis destruidores do disco gay, o grupo Village People. O filme é ruim. Mas é impossível não se divertir MUITO durante a sessão.

.
Forbidden Zone (1980)

A versão ultimate do que pode ser um musical bizarro. Em qualquer sentido nonsense que vocês puderem imaginar.

.
Dinheiro do Céu (1981)

Pennies from Heaven

Dirigido por Herbert Ross, essa pérola estilo guilty pleasure traz Steve Martin, Jessica Harper e Christopher Walken em papéis inimagináveis. Uma comédia romântica e musical com toques de humor, crítica à indústria da música e muita tirada de sarro com o próprio gênero musical.

.
Tratamento de Choque (1981)

Shock Treatment

Richard O’Brien prometeu, Richard O’Brien cumpriu: a pseudo sequência de The Rocky Horror Picture Show seria tão louca (ou talvez pior) do que tudo aquilo que tínhamos visto antes. E para ser sincero, Tratamento de Choque é basicamente um motivo para o espectador se internado rapidamente em um hospício. Sério. Que musical bizarro do canhão!

.
A Viagem Musical (1983)

Rock & Rule

Do diretor Clive A. Smith, A Viagem Musical teve uma das chamadas mais legais para um musical bizarro: A BELA… A FERA… E A BATIDA (hahahaha). Filme canadense que, ao contrário do que possa parecer, é muito bacana, Rock & Rule traz canções de Deborah Harry, Lou Reed, Cheap Trick e Iggy Pop e ainda faz uma sopa musical completamente maluca entre gêneros, girando em torno de uma banda de rock e uma garota sexy em perigo… Oh!

.
Cry-Baby (1990)

Um filme de John Waters, não é minha gente… como poderia ser normal? Johnny Depp interpreta aqui um carinha chato chamado Cry-Baby, em um típico romance cheio de clichês, entrecortado por situações insanas, primando por um humor sacana e investindo na imagem de “bad boy desejado” de Depp.

.
Alferd Packer (Canibal!): The Musical (1993)

Começou como uma brincadeira de Trey Parker e Matt Stone (sim, os criadores de South Park), quando ainda estudavam juntos. Eles fizeram um trailer tão bizarro e que foi tão bem recebido, que receberam um orçamento para fazerem um longa baseado na vida do famoso canibal americano. Vejam a cena abaixo (se você entende um pouco de música, prepare-se para rir na discussão sobre escalas musicais que eles travam no final) e eu duvido que não vão correndo procurar esse negócio para assistir.

.
The American Astronaut (2001)

A mistura mais improvável de sci-fi/western/musical/fantasia/comédia filmado em preto e branco e com ideias de cenário nível feira cultura de escola de Ensino Fundamental… Ou seja: uma obra imperdível!

.
Repo! The Genetic Opera (2008)

O prazer culpado e desafinado que você mais (e mais) respeita!!! Isso sim é que é um filme tão ruim, mas tão ruim, que acaba se tornando muito, muito bom!!!

.
Stage Fright (2014)

Uma combinação de horror e musical que se passa em um dos cenários perfeitos para as referências a O Fantasma da Ópera. Só que dessa vez, com muito mais sede e banhos de sangue.

LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.