Lista | As Piores Adaptações de HQs para o Cinema

Para não deixar a nossa lista de MELHORES adaptações de HQs para o cinema, resolvemos chutar o balde e trazer a lista do material radioativo, da gosma, da raspa, do vírus, das piores abominações já realizadas por diretores e produtores no que diz respeito ao mundo dos quadrinhos & cinema! Tudo nessa lista tem cara de canastrice, bizarrice (no sentido ruim), estrupícios, atropelos… Confesso que esta foi uma lista mais divertida de compilar e votar do que a de MELHORES HQs NO CINEMA, mas dói na alma pensar que um dia um grupo de pessoas pagaram ingresso para ver essas atrocidades em tela grande, e pior ainda, que um dia se dispuseram a produzir coisas “desse nível”.

Participaram da votação Ritter Frozen Mamilos, Luiz da Motoca, Rafael Lanterna Elektra, Guilherme Sem Origem e Sidnei em Busca do 3. Embarque conosco nesta Nau dos Loucos, prepare um baldinho amarelo para depositar seu cérebro e/ou neurônios enquanto confere e alista e boa diversão!

 

Batman Eternamente + Batman & Robin

.

Origem das Aberrações: Estados Unidos e Reino Unido, 1995 (Batman Eternamente) e 1997 (Batman & Robin)

Aberrador: Joel Schumacher
Luiz da Motoca aberra a aberração: Eu preferia ser amarrado, trancado num quarto escuro e condenado a 10 anos de reclusão, forçado a aprender coreografias de funk, ouvir ópera chinesa, dublar Michel Teló e Justin Bieber, assistir TV de domingo e conversar com evangélicos fanáticos 12 horas por dia do que voltar a ver qualquer um desses dois filmes. Sem mais.

.

Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança 

.
Origem da Aberração: Estados Unidos e Emirados Árabes Unidos, 2011
Aberrador: Mark Neveldine e Brian Taylor
Luiz da Motoca aberra a aberração: Olha que eu já vi gente fazer um show das poderosas quando se falava mal dessa delícia de filme que é O Motoqueiro Fantasma. O pior é que a pessoa em questão – possuída por um poderoso espírito sem bom senso – defendia a atuação de Nicolas Cage, que, segundo ela, encarnou muito bem o Motoqueiro! Defendia-se ainda a “pegada dark” do filme, dizendo que os diretores capturaram com precisão a atmosfera do original (que ela não tinha lido). Pois é. Nem preciso dizer que nosso namoro durou apenas algumas semanas depois que voltamos da estreia desse filme.
.

Lanterna Verde

Origem da Aberração: Estados Unidos, 2011
Aberrador: Martin Campbell
Ritter Frozen Mamilos aberra a aberração: O herói é amado por todos, mas tem um defeito que o torna anti-cinematográfico: ele é poderoso demais. Afinal de contas, ele transforma pensamento em coisas verdes. Mas aí entrou uma tropa (sem trocadilho) de roteiristas que nunca havia escrito nada decente antes, efeitos especiais patéticos que ficam abaixo do nível de videogames da geração anterior com direito a pista de Hot Wheels verde, um ator que deve ter recebido informação de que o herói é um palhaço, uma história em que o mocinho tem que enfrentar fumaça e pronto, o resultado é um lixo tóxico verde e intragável que me fez perder diversos pontos de QI, o dinheiro do ingresso e duas horas da minha vida. Pelo menos a Warner também perdeu uma baita quantidade de grana com essa porcaria verde de 200 milhões de dólares…
.

X-Men Origens: Wolverine

.
Origem da Aberração: Estados Unidos, 2009
Aberrador: Gavin Hood
Ritter Frozen Mamilos aberra a aberração: Wolverine é o herói mais cool que existe no universo Marvel. Tem garras retráteis de um metal inquebrável, um esqueleto revestido desse mesmo metal, um fator de cura que o torna quase imortal, uma atitude barra pesada, costeletas de Elvis e cabelo arrepiado. Em cima disso tudo, o personagem é vivido por Hugh Jackman, que o retratou perfeitamente bem, tornando-se literalmente a encarnação viva do carcaju brigão.

Mas então vem a Fox, totalmente segura de si, achando que iria abafar colocando Wolverine de qualquer maneira na tela em uma história que só é boa na sequência inicial, que mostra o herói em vários momentos históricos. Só que, quando começa o filme de verdade, a coisa desanda completamente e vemos efeitos especiais de 15ª categoria, com direito a garras de papelão, roteiro absurdamente cheio de buracos, um exército de personagens coadjuvantes que só tem como objetivo atrapalhar a narrativa e apaziguar um bando de nerds que só querem ver a maior quantidade possível de seus heróis preferidos na tela sem que haja qualquer conexão razoável. E eu já falei que o mesmo cara que faz o papel principal na outra maravilha dessa lista – Lanterna Verde – tem um papel nesse filme também? Começo a ver padrões preocupantes de comportamento…

.

Elektra

Origem da Aberração: Canadá, Estados Unidos, 2005
Aberrador: Rob Bowman
Ritter Frozen Mamilos aberra a aberração: Vamos primeiro listar as várias qualidades do filme: (1) a Jennifer Garner é uma gata; (2) ela usa pouca roupa; (3) a que usa é bem coladinha no corpo; (4) ela empunha adagas e espadas; (5) tem um corpão bem torneado; (6) e flexível. Ih, desculpa, acabou espaço para falar do lado negativo desse filme com a Jennifer Garner cujo nome não me lembro mais…
Luiz da Motoca dá um troféu joinha para Ritter Frozen Mamilos, pelo comentário acima.
.

The Spirit: O Filme

Origem da Aberração: Estados Unidos, 2008
Aberrador: Frank Miller
Ritter Frozen Mamilos aberra a aberração: Frank Miller participou da produção de Sin City (que, aliás, está lá na outra lista) e ficou pendurado no cangote de Robert Rodriguez durante a direção. Isso deve ter feito com que o outrora excelente roteirista e desenhista que literalmente ressuscitou Batman nos quadrinhos achasse que já sabia também dirigir filmes. Partiu para adaptar The Spirit, a obra mais mainstream do mestre Will Eisner. O resultado? Uma hecatombe de proporções bíblicas. O filme, que tenta seguir a cartilha preto-e-branco-com-pitadas-de-cores de Sin City é intragável, inenarrável, insuportável e indubitavelmente uma das piores porcarias feitas em celuloide que a humanidade já testemunhou. E não, não é um exagero. O DVD desse filme não serve nem como porta-copos. Ainda bem que Eisner não viveu para ver sua obra ser vilipendiada desse jeito…
.

Superman IV: Em Busca da Paz

.
Origem da Aberração: Reino Unido, Estados Unidos, 1987
Aberrador: Sidney J. Furie
Ritter Frozen Mamilos aberra a aberração: O primeiro Superman é uma obra-prima. O segundo é muito bom (mas poderia ter sido muito melhor). O terceiro é passável. O quarto, que custou uma fração do que os dois primeiros custaram, é um ótimo exemplo de uma comédia de baixo orçamento. Mas não era para ser uma comédia. Longe disso. Nessa aventura, Superman encontra um inimigo a altura, o Homem Nuclear, que pode destruir o kriptoniano apenas com sua juba loira oitentista, músculos sarados e péssima atuação. Ninguém pode com poderes desses não é mesmo? Pois é: Superman foi derrotado fragorosamente. Nem Doomsday matou o herói por tanto tempo…
.

Homem Aranha 3

.
Origem da Aberração: Estados Unidos, 2007
Aberrador: Sam Raimi
Ritter Frozen Mamilos aberra a aberração: O pecado do terceiro Homem-Aranha de Sam Raimi é o excesso. Excesso de piadas, excesso de músicas (???), excesso de vilões, excesso de pancadaria, excesso de efeitos especiais. É mais um exemplo de descontrole de Hollywood e da prática idiota de fazer continuações maiores e mais explosivas do que os filmes anteriores. Mas claro, eu e um bando de fãs felizes da vida fomos ao cinema na certeza de que o terceiro filme seria tão bom quanto os dois anteriores, somente para eu ter que fazer como Ulisses às avessas e me amarrar na cadeira para não sair do cinema gritando com a cantoria do Peter Parker.
.

A Liga Extraordinária

Origem da Aberração: Estados Unidos, Alemanha, República Checa, Reino Unido, 2003
Aberrador: Stephen Norrington
Ritter Frozen Mamilos aberra a aberração: Vou revelar logo: esse filme é meu guilty pleasure super-heroístico. Reconheço os problemas, mas eu gosto dele. Não posso fazer nada. Me internem! Fui obrigado a escrever esse parágrafo. Eu me rebelo e me recuso! O filme é bom. Adoro ele! É o melhor adaptação de quadrinhos já feita!

Luiz da Motoca aberra o aberro de Ritter Frozen Mamilos: Só posso dizer para o cidadão que fez o comentário acima, que eu já marquei uma reunião com o Dr. Jeremiah A. e que vamos escolher uma cela no Asilo Arkham onde ele encontrará muitos amiguinhos que com certeza partilharão dessa opinião. Atenciosamente, eu.

.

Quarteto Fantástico

Origem da Aberração: Estados Unidos, Alemanha, 2005
Aberrador: Tim Story
Ritter Frozen Mamilos aberra a aberração: Eu preferia ter ido assistir à versão do Quarteto dirigida por Olley Sassone e nunca lançada no cinema… (vejam o trailer). Preciso dizer mais? Bem, se é necessário, então vou dizer: por que raios a Fox fez essa coisa grotesca que de fantástica não tem nada? Custava ao menos tentar, mesmo que de longe, trazer para o filme o espírito e conceito dos quadrinhos? Custava arrumar atores decentes? O único bom está debaixo de uma maquiagem de pedra que parece feita de isopor, já que a produção resolveu “inovar” e não usar efeitos especiais para o Coisa. É nessas horas que dá vontade de pegar uma borracha e apagar o cérebro.
.
LUIZ SANTIAGO. . . .Depois de recusar o ingresso em Hogwarts, fui abduzido pelo Universo Ultimate. Lá, tive ajuda do pessoal do Greendale Community College para desenvolver técnicas avançadas de um monte de coisas. No mesmo período, conheci o Dr. Manhattan e vi, no futuro, Ozymandias ser difamado com a publicação do diário de Rorschach. Hoje costumo andar disfarçado de professor, mas na verdade sou um agente de Torchwood, esperando a TARDIS chegar na minha sala de operações a qualquer momento.